m
Lu
Simão
Brasil
vivendo em Belo Horizonte . MG
33 anos . ilustradora

Meu nome é Luisa, Lu, sou mãe da Manu e do Zé! Minha formação vem da Moda, da necessidade de me expressar através da criação. Fiz faculdade, pós e mestrado na área, o que me levou para um outro momento profissional. Falo que a estrada é importante para que possamos nos construir como pessoas. Muita gente me achou louca de mudar de área no auge de minha carreira como estilista de noivas. Para mim, foi apenas uma nova etapa que eu precisava viver. E tem sido incrível!

Lu Simão por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Minhas principais ferramentas são papéis, pincéis, tintas, paredes e um sentimento muito forte de que é possível poetizar um pouco mais o nosso entorno. Tento fazer isso em cada pintura que faço, em cada pincelada, em cada parede. Transformar.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Minha principal inspiração são meus filhos e seus universos criativos. Amo tentar pensar como eles e cada trabalho meu tem um pouco do tom lúdico dos mundos imaginários que acredito existir na cabecinha deles!

// Como é o seu processo criativo?

Varia muito. Não tenho uma sequência exata de trabalho. Procuro sentir cada um deles e deixar fluir da forma que tiver que ser. Tem processos que são bem naturais, caminham de forma mais fluída. Outros que me demandam mais, que me desafiam mais. Ambos me agregam muito, me ensinam um tanto.

Lu Simão por Projeto Curadoria
Lu Simão por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Acho que a mente criativa só depende dos estímulos certos e de estar no seu lugar. Brinco que a pintura é uma extensão de quem eu sou. Para onde vou, ela está comigo. Dessa maneira, tudo se torna inspiração. A vida, o cotidiano, os problemas, as celebrações, os instantes. A vida de todos nós é riquíssima em referências, basta treinar nossos olhares para enxergá-las.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Amo os trabalhos em que fico totalmente livre para criar. Muitas vezes o briefing é importante, mas certamente o trabalho flui muito melhor quando há uma confiança total na execução do trabalho. Adoro trabalhos sem prazos definidos também – mas sei que são quase impossíveis.

Lu Simão por Projeto Curadoria
Lu Simão por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Não consigo pensar em algo decisivo. Me vem à cabeça o momento em que me alinhei com meu propósito de vida. Esse sim foi um grande acontecimento. Ganhar dinheiro deixou de ser o foco e passei a viver por algo maior, que me conectasse com a minha verdade. Sempre que sinto que tem algo errado, volto para meu eixo, me lembro de tudo que me trouxe até aqui e tudo se alinha novamente. Externamente, alguns trabalhos deram grande visibilidade ao meu trabalho. Por um ano, publiquei tirinhas na Revista Crescer, mensalmente. Foi superbacana, pois consegui alcançar um público muito legal com esse trabalho. Assinei a lata do Panetone Especial da rede Supernosso, que também foi de grande honra para mim. Livros são incríveis também! Uma linda oportunidade de trabalhar narrativas de forma livre e lúdica. Cada livro ilustrado foi um grande presente para mim!

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Me influencio muito por cartunistas como Laerte, Maurício de Souza, Bill Watterson, Quino, Angeli. Amo a simplicidade dos traços e a acidez de alguns trabalhos. Acho genial conseguir dizer tanto com tão pouco. Alguns aquarelistas me inspiram também, principalmente os nórdicos. Inspirar-se significa trazer para o seu trabalho, técnicas, pinceladas, de pessoas que admira. O grande desafio é fazer de uma referência, algo que agregue ao seu trabalho, que te torna ainda mais único. Vejo muitas cópias por aí, e acho que as pessoas não acreditam no próprio trabalho quando fazem isso.

Lu Simão por Projeto Curadoria
Lu Simão por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Acredito que ainda há preconceito sim. Não sinto isso diretamente em meu trabalho, mas sinto no meu entorno. Existe uma cobrança pelo “sucesso”, pelo “dinheiro”, por estar dentro dos padrões, muitas vezes dentro de casa, cuidando dos filhos. Isso não é um problema, desde que seja uma escolha pessoal. Sou uma das pessoas mais encorajadoras de caminhos felizes. Eu realmente acredito que em cada pessoa existe um caminho de conexão, e que o trabalho é sim um meio de se conectar com sua essência. Expressar-se é permitir-se. Acho que estamos no caminho!

// E o que te faz feliz?

Minha sensação de felicidade está muito atrelada à tarefas realizadas. Sou uma pessoa muito ativa, a mil por hora. Pintar me acalma e me traz essa sensação muito forte. Sinto que estou fazendo o que devo fazer. Da mesma maneira quando estou com minha família em tarefas cotidianas. Vejo muita beleza nos instantes banais, nas ações mais corriqueiras. Procuro ser feliz, mesmo quando triste. Tenho aprendido a celebrar mais os acontecimentos, bons ou ruins. Celebrar é uma forma de trazer a felicidade mais para perto. Se algo deu muito errado, celebro o aprendizado, faço dele meu ganho naquela situação. E as coisas se tornam mais leves e felizes.

Lu Simão por Projeto Curadoria
Lu Simão por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

A primeira delas é acreditar em si mesmas. Ninguém vai fazer isso por você. Não há negócio que começa de fora para dentro. Nenhum! Cultivar o sentimento de competência, de capacidade, de amor, é fundamental para seguir. Outra coisa legal é entender que você não pode se esconder. Mostrar o que você faz é o primeiro passo. Sempre haverão pessoas que vão gostar do que faz, e sempre haverão pessoas que não vão gostar. E tudo bem, tá tudo certo. Converse com quem quer te ouvir. Dialogue com quem troca com você. Esse, para mim, é o caminho. Ah, e trabalhe. Muito! Todos os dias!

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Nesse ano de 2019 pretendo lançar meus livros. Não sei se terei tempo hábil, mas quero muito concluir um livro de pequenas crônicas sobre alguns sentimentos que foram arrebatadores na minha maternidade. Tenho mais de 3.000 charges desenhadas desde quando as crianças estavam na barriga. Quero fazer uma mistura de textos e imagens, como um registro para que possam ler quando estiverem mais velhos.

Lu Simão por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas