m
Anna
Chedid
Brasil
vivendo em San Francisco . EUA
33 anos . designer . escultora

Oi, eu sou a Anna. Nascida e criada no interior de Minas Gerais, entre as montanhas, entre flores e adoro andar descalço. Me formei em Design de Moda, mas escolhi o papel e o tecido como forma de expressão.

Meu contato com flores de papel vem da infância, me lembro da minha mãe fazendo flores para festas de aniversário, peças de teatro da escola e arranjos de rosas amarelas para as bodas de ouro dos meus avós.

Eu me formei em Design de Moda e tinha uma marca voltada para acessórios de noiva. Estava procurando certa vez por flores de tecido pra fazer um arranjo e me deparei com um tutorial de flores de papel crepom. Foi o suficiente pra despertar a curiosidade e querer aprender a técnica.

Ganhei dois livros de presente do meu marido, ele é muito atento e incentivador, sobre o assunto e nunca mais parei de criar exemplares botânicos em papel.

Anna Chedid por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Cola, papel e tesoura! Ah, claro, uma boa câmera fotográfica também é uma ferramenta importante nesse processo expressivo.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

A verdade? Minha motivação é simples, eu gosto de criar imagens bonitas, objetos pra serem admirados, pra fazer as pessoas felizes.

E posso dizer que flores, plantas e ilustrações botânicas são minha inspiração diária. Mas a minha infância em Minas com a minha mãe sempre cuidando das flores do jardim e das plantas que tínhamos em casa contribuíram imensamente pra que eu me interessasse pelo assunto.

Anna Chedid por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Normalmente meu processo criativo começa com a escolha de alguma flor que eu tenha visto nas minhas pesquisas, que alguém tenha sugerido que pudesse ser interessante em papel, ou que eu tenha alguma memória afetiva. Por exemplo, esse ano eu tentei focar em flores brasileiras. Comecei pesquisando sobre o nome popular e em seguida usando o nome científico eu procuro por ilustrações botânicas como referência. Mas utilizo também fotos ou se for possível a flor ou planta natural. Assim que junto as informações necessárias testo algumas formas no papel. Se eu gostar de como o papel se comportou é aí que tudo começa a tomar forma. Uma flor ou planta pode levar de 8 à 16 horas pra ficar pronta, depende da complexidade, e eu estou contando somente as horas de execução do trabalho. Se levar em consideração as horas de pesquisa e testes, às vezes eu fico meses trabalhando em uma flor.

Anna Chedid por Projeto Curadoria
Anna Chedid por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Criatividade pra mim tem relação direta com manter uma rotina saudável.  Se eu me alimentar bem, praticar exercícios regularmente, manter meu ambiente de trabalho organizado, terei tempo para me dedicar às coisas que são prazeirosas, que me fazem feliz.  Se eu me sinto bem disposta, sou muito mais produtiva e criativa; consigo pesquisar com foco, produzir com mais tranquilidade e vontade.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Ah essa é uma pergunta muito cruel! Eu só posso dizer que tenho um carinho e apreço muito grande por todos os projetos em que participei e executei até hoje. Mas se eu tivesse que escolher, será sempre um trabalho ou projeto que eu ainda não executei, um dos que ainda residem no mundo das ideias. E o motivo é simples: eu gosto mesmo é do processo evolutivo, é o que mais me dá prazer. Não me entenda mal, eu admiro e gosto de todas as peças que produzo, mas o ato de "dar vida" à elas é uma sensação incrível!

Anna Chedid por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

A primeira noiva que disse que pagaria pra que eu fizesse o buquê dela completamente em papel foi muito marcante pra mim. Foi um momento em que eu percebi e valorizei o meu trabalho de uma maneira profissional. E daí em diante eu resolvi focar totalmente em criar flores e plantas em papel para quem desejasse ter uma escultura floral em papel.

Anna Chedid por Projeto Curadoria
Anna Chedid por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

As mulheres da minha família sempre foram super habilidosas e expressivas artisticamente, em especial a minha mãe, isso foi muito importante pra mim artisticamente.

Eu sempre gostei de olhar ilustrações botânicas nas enciclopédias quando criança, mas me aprofundei no assunto já adulta influenciada por outra escultora botânica floral, Lynn Dolan. Gosto muito das ilustrações botânicas da Marianne North, e ela tem uma série somente com exemplares brasileiros. As escultoras botânicas que admiro e influenciaram no meu trabalho são: Lynn Dolan, Jennifer Tran, Ann Wood e Tiffanie Turner.

Todas tem um trabalho muito preciso e ao mesmo tempo delicado, cada uma com sua interpretação pessoal, e é isso que admiro e tento traduzir nas minhas criações.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Claro, e apesar de ver alguma evolução em relação à isso, o público consumidor ainda tem muito que evoluir moralmente.  Já escutei tantas vezes, de pessoas muito próximas, as seguintes frases:
"Ah mas você não trabalha, fica em casa o dia inteiro!" ; "Deve ser um trabalho dos sonhos, cortar e colar papel o dia todo igual à uma criança na pré escola!" ; "Nossa, mas você cobra um valor excessivo, isso é só papel!" ; "Tá, mas e o seu trabalho de verdade, qual é?" ; "Mas você fez faculdade pra isso?"

E durante muito tempo eu mesma fiz piadas sobre isso, e muitas vezes eu fiquei chateada e me senti desvalorizada com esses comentários. Até perceber que eu estava em uma posição que poderia educar as pessoas sobre o meu trabalho e mostrar à elas o valor dele. É um processo educativo eterno! Mas eu não me deixo abalar mais por esses comentários ou pensamentos, simplesmente vou continuar criando esculturas botânicas em papel pra quem quiser admirar o que eu faço.

Anna Chedid por Projeto Curadoria
Anna Chedid por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

O privilégio de estar viva e poder criar o que eu quiser!  Claro que boa comida, em especial a do meu marido, as minhas duas felinas, minha família e amigos ajudam muito a manter o nível de felicidade sempre alto.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Tenha rotinas saudáveis. Não precisa ser a louca da dieta e da academia, simplesmente seja coerente ao se alimentar e procure se manter ativa.
Seja organizada com seu ambiente de trabalho e sua casa. É muito mais prazeroso viver e trabalhar em um ambiente organizado, limpo e bem iluminado. Dê atenção à você, se ame, coma um docinho quando sentir vontade, momentos prazerosos devem fazer parte de uma rotina saudável! Pessoas felizes são mais produtivas.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Nesse último trimestre eu estou revisando algumas flores que já produzi. Quero evoluir a maneira como as construo e futuramente estou pensando em criar tutoriais. Mas é um pensamento ainda, e o formato desses tutoriais ainda não está definido. Mas acho que o momento de compartilhar todo conhecimento que adquiri nesses últimos anos finalmente chegou.

Anna Chedid por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas