m
Yara
Fukimoto
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
34 anos . designer . ceramista

Eu sou designer de produto por formação, trabalhei muitos anos com design gráfico no estúdio MY.S, estúdio que criei em 2007 junto com mais duas sócias. Hoje ainda trabalho com design gráfico, mas meu trabalho artístico e autoral, tem ganhado maior espaço no meu dia a dia.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Minha principal matéria-prima é argila, a cerâmica tem sido a minha maior dedicação atualmente, mas também me expresso na pintura acrílica e gosto de desenhar com nanquim.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Minha maior motivação para criar, acho que são os meus processos internos de transformação. Eu faço a minha arte como necessidade, uma necessidade meio vital até, é uma busca por compreender o que me compõem, do que sou feita. Gosto de prestar atenção nas sensações e nos sentimentos que tenho na relação com as pessoas, ou ao prestar atenção na beleza das coisas, no céu por exemplo, o mar, as pedras e coisas que encontro pelo caminho, na minha relação com o tempo.

Minha inspiração vem do que não é óbvio, do que eu não entendo, é a minha ignorância e a minha curiosidade, do que me deixa inquieta, que me faz pensar e me coloca no eixo, do que me dá saudade, do que me faz perceber que sou coisa pequena, enfim, vem da poesia e dos mistérios que a vida tem.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Na hora de criar, tanto na pintura quanto na cerâmica, eu tento não racionalizar muito, gosto de produzir instintivamente e acredito nessa forma de investigação artística, em que eu tento acessar um caminho que não é do pensamento lógico, mas que vem diretamente do campo sensível, me leva para um gesto criativo muito mais honesto e sincero. Depois da coisa existir, eu tento entender, fazer esse caminho do raciocínio e escrever me ajuda muito nessa busca pela compreensão, acabo sempre descobrindo muita coisa sobre mim. Muitas vezes vem imagens na minha cabeça, ideias que ficam lá me cutucando até que eu as transforme em algo, e esse algo vai se descobrindo muitas outras coisas durante o processo.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu tento sempre ver as coisas com a poesia nos olhos, aproveitar o tempo presente, ler, escrever, estar em contato com o que me inspira, ficar em silêncio e me conectar comigo mesma é muito importante. Acho que as principais coisas pra mim são, prestar atenção na beleza das pequenas coisas, dedicar um tempo à reflexão e estar junto com as pessoas que eu amo e que também me inspiram.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Todas as minhas peças de cerâmica, eu as amo muito, principalmente as mais recentes, o motivo é simplesmente porque são como se fossem pedaços de mim. O projeto "Manifesto do Papel" que participei com Cocoon Collective, um coletivo artístico que faço parte, com curadoria da Stephanie Marihan e patrocínio da Canson, foi também muito especial e importante pra mim, por ter suporte, incentivo e liberdade pra criar uma exposição com artista amigos que admiro e amo.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acho que tive vários marcos importantíssimos na minha carreira, cada um necessariamente importante para cada ciclo da minha vida, para me tornar o que sou como pessoa e poder fazer o que amo profissionalmente. O marco mais recente foi a compra do forno de cerâmica, foi quando eu realmente consegui ter liberdade na minha produção e assim transformar uma paixão em profissão. Antes do forno, eu queimava minhas peças no do curso de cerâmica que fazia, até que conversando com um amigo, ele disse: "como você quer trabalhar com cerâmica se não tem forno?", comprar um forno era muito caro para mim e eu achava que era um sonho para um futuro longínquo, isso ficou na minha cabeça e inacreditavelmente no mês seguinte apareceu uma oportunidade de comprar um forno usado e reformado que tem me dado muitas alegrias!

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Minha maior influência é a minha eterna professora Kimi Nii. Há mais de cinco anos que tenho a sorte de poder conviver e aprender com ela, com certeza muito do que eu faço tem influência dela. Também me identifico muito com a arte povera, gosto muito do trabalho do artista Giuseppe Penone, também adoro o trabalho do Frans Krajcberg, Henrique Oliveira, Laerte Ramos, Anna Maria Maiolino, Maria Martins, Elisa Bracher. Acho que sempre ao admirar outros artistas você amplia o seu olhar e claro que isso também vai influenciar de alguma forma o seu trabalho.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Existe preconceito em relação a mulher em todas as formas dela se expressar, não só artisticamente, eu sinto que ainda hoje o homem é mais respeitado em todas as áreas profissionais. Já senti isso no meu trabalho algumas vezes, mas não é sempre e sinceramente eu tento não me abalar e me cercar de pessoas que respeitam e valorizam as mulheres, mas quando acontece, tento me manter firme e fazer o meu melhor.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Poder trabalhar com o que eu amo. Estar com as pessoas que são especiais para mim. Conhecer coisas e lugares novos, ficar no meu canto e conversar comigo mesma, ler Clarisse Lispector e Valter Hugo Mãe, escrever sem pretensões, ver o mar, olhar o céu, colecionar coisinhas achadas por aí, pedras brutas, poesia, aprender sobre plantas, cultivar as batatas doces que brotam, um abraço verdadeiro, ouvir música, comer e dormir.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Acho que fazer, fazer e fazer, seguindo sempre a sua intuição. Acho que uma criação leva a outra e assim por diante, as ideias vão surgindo a partir de outras, assim como toda ação tem uma reação, quando se movimenta energia para determinada coisa, com certeza outras portas também irão se abrir, interna e externamente. Também acredito no poder da troca de conhecimento, compartilhamentos, da união de pessoas com interesses parecidos, quando um ajuda o outro, todo mundo cresce.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Quero muito me dedicar mais para um caminho cada vez mais artístico, poder mergulhar numa pesquisa artística mais profunda e então expor tudo isso para que a obra possa se conectar com outras pessoas e fazer sentido, não só dentro, mas também fora de mim. Tenho vontade também de experimentar outros materiais.

Yara Fukimoto por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas