X FECHAR
RESPONDA NOSSA PESQUISA E PARTICIPE DO
MAPEAMENTO DE PERFIL DE
MULHERES CRIATIVAS BRASILEIRAS
DO PROJETO CURADORIA
//PARTICIPAR//
*O resultado será divulgado em forma de infográfico neste site
m
Thais
Ueda
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
41 anos . artista

Sou Thais Ueda, terceira geração de família de japoneses nascida no Brasil. Parte dos avós maternos vieram de Nagano e parte dos avós paternos de Hiroshima. Tenho duas filhas.

Sou formada em Propaganda e Marketing e Desenho Industrial. Por anos atuei em agências de propaganda e de web, até migrar para a ilustração e posteriormente artes visuais. Me considero uma desenhista, porque por baixo desse guarda-chuva, abrigo inúmeras atividades: estamparia - já me arrisquei na tatuagem - ilustração, design gráfico, graffiti e as artes visuais e onde mais o desenho puder alcançar.

Thais Ueda por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Eu utilizo muito computador, pincéis, lápis, papel, nanquim. Tudo junto!

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

O que me instiga é o vazio - a não-ação - como espaço/tempo potente para criação. A contemplação como um momento de estar consigo mesmo, frente ao bombardeio de informações a que estamos submetidos no dia a dia e estarmos conectados 24h por dia. Encontro muita referência sobre isso no zen-budismo e na cultura oriental.

Thais Ueda por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Escrevo e penso muito. Executo as ideias na minha cabeça. Quando isso se transforma em ação - ir ao papel, pegar o lápis ou pincel, ligar o computador - é para ter a imagem definitiva. Dificilmente fico testando e experimentando. Grande parte do trabalho artístico não é necessariamente a criação, gasto grande parte do tempo em operações burocráticas como emissão de notas, conferir pagamentos, fazer orçamentos, etc, acrescentado às tarefas do dia a dia, me sobra pouco tempo disponível para testar, a criação precisa ser certeira.

Thais Ueda por Projeto Curadoria
Thais Ueda por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Leio muito e gosto de trocar com amigas. Com uma delas, por exemplo, temos um Google Docs onde anotamos o que achamos interessante das nossas conversas, esse documento vira um lugar de consulta quando preciso criar.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Um dos meus projetos preferidos foi lançar a versão em português de um conto da Mongolia, junto com minha amiga artista Yumi Takatsuka, chamado Batoquim. Quando fui ao Japão, fiquei muito amiga de um casal da Mongolia, país que originou o oriente e que me fascina por eu amar as histórias de Marco Polo. Outro projeto que gosto muito é a minha última exposição individual "Tudo Abaixo do Céu", que circulou entre o Rio Grande do Sul e São Paulo, me traz grande alegria também, foi um projeto desafiador e que trouxe mais maturidade para meu trabalho.

Thais Ueda por Projeto Curadoria
Thais Ueda por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Quando eu fazia ilustração, comecei em paralelo a participar de pequenas exposições. Ganhei o prêmio da Fundação Bienal - Mostra de Artistas no Exterior e fui expor no Japão. Não gostei do que levei para lá, era tudo muito “bonitinho” e “bem feito” mas percebi que não levantava questionamentos ao observador/público. Aquilo mexeu muito comigo e a partir daquele momento mudei drasticamente o rumo do meu trabalho.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Eu gosto de ter referências entre diversas medias de artistas visuais, sendo eles Regina Silveira (artista plástica), Eikoh Hosoe (fotógrafo), Jun’Ichiro Tanizaki (escritor), Issey Miyake (estilista), Wim Wenders (cineasta). Adoro como eles trabalham a questão da sombra, outra questão que tenho buscado no meu trabalho.

Thais Ueda por Projeto Curadoria
Thais Ueda por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Uma coisa que comecei recentemente a recusar é participar de exposições de artistas mulheres no mês de março. Outra eu acho que o espaço atual da mulher foi conquistado recentemente, quem contou a história (social e da arte) o fez sob um ponto de vista, sob interesses, não temos muita referência de mulheres (artistas ou não), então estamos aprendendo aos poucos nos expressar, a descobrir as questões que nos interessam.

// E o que te faz feliz?

Me faz feliz estar alinhada, eu, meus propósitos e minhas ações… e minhas filhas me fazem muito feliz!

Thais Ueda por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Parece um clichê, mas seria acreditar em si mesma. Inicialmente, você cria a partir de uma questão que parece ser só sua, e de repente vai encontrando vozes e ressoando em outras pessoas. Quando isso acontece é muito bom!

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tenho muitos, ficam todos escritos em papéis soltos na primeira gaveta da minha escrivaninha. Acho que meu maior projeto este ano é me tornar uma pessoa organizada, ter um pensamento organizado, pois acredito que tudo flui melhor dessa maneira. Definir sonhos a longo prazo, não viver apenas o hoje pensando somente no amanhã, mas ampliar a visão da minha vida como um todo.

Thais Ueda por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas