m
Tamara
Alves
Portugal
vivendo em Lisboa . Portugal
34 anos . artista . graffiteira . tatuadora

Nunca gosto de falar sobre mim, então vou usar uma citação do Bukowski com a qual me identifico:

“Understand me. I’m not like an ordinary world. I have my madness, I live in another dimension and I do not have time for things that have no soul.”

Tamara Alves por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Qualquer material em qualquer suporte. Adoro desenhar, por isso desde o lápis ao pincel, ao spray têm sido as minhas ferramentas principais.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

O amor, a paixão, as pessoas, o ser animal, a chama interior, a cidade, tento colocar no papel aquilo que me vibra no peito, o que está cá dentro, seja ele um grito de um animal ou um coração com marcas.

// Como é o seu processo criativo?

Penso bastante, sinto, pesquiso, leio, tento procurar por palavras de outros o que eu tenho na cabeça, para que se torne fácil colocar no papel fazendo algum sentido.

Costumo usar frases de autores ou músicos que gosto para explicar as coisas que pinto, sinto que não sou boa com palavras mas as palavras deles vão complementar as minhas imagens.

Depois da imagem na cabeça estar mais lúcida trabalho a partir de fotografias que tiro de modelos amigos.

Tamara Alves por Projeto Curadoria
Tamara Alves por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

A cidade e o contacto com as pessoas é essencial, ler e ler, ouvir música, pesquisar e estar constantemente a estudar.

Gosto de me perder pela cidade, gosto de estar sozinha mas também adoro estar em grupo e absorver o que as pessoas e os meus amigos tem para me dar.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

De momento a minha última série de trabalhos em aguarela intitulada “It’s a pleasure to burn”, porque sinto que é uma nova fase e são trabalhos que exigiram muito de mim psicologicamente, são imagens fortes, mal consigo falar sobre eles, foram retirados das entranhas.

Tamara Alves por Projeto Curadoria
Tamara Alves por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Vir viver para Lisboa na altura que a arte urbana estava a crescer foi sem dúvida decisivo, sendo mulher, infelizmente somos poucas na área, mas ajudou a crescer no meio e a ter o trabalho valorizado nos dias de hoje, fazendo murais ou a pintar em papel.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Se as minhas pinturas fossem música queriam ser a Fka Twigs, se fossem poesia talvez um Bukowski ou um Rimbaud, influenciam-me bastante, inspiram-me e dão-me força para ser eu própria, e a encontrar a minha própria mensagem, não é fácil falar do que falo e muitas vezes duvido de mim própria, assim como toda a gente.

Em pintura adoro Conor Harrington, Swoon, são trabalhos muito diferentes dos meus mas que me inspiram a experimentar, não ter medo do erro, do acidente e de sair do meu ambiente de conforto.

Tamara Alves por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Acho que ainda há preconceito, ainda há uma certa desconfiança, cada vez menos mas ainda não sinto que a mulher esteja num patamar de igualdade. Não sinto isso no meu trabalho mas senti durante algum tempo a tentar vingar numa área dominada por homens.

Tamara Alves por Projeto Curadoria
Tamara Alves por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Sou fácil de agradar, sou animal, as coisas simples - sol, apaixonar-me, amigos, etc. Adoro viajar.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Não tentem agradar ninguém, vocês têm o que é necessário, cada um de nós tem uma mensagem e é essa mensagem que temos de trabalhar e desenvolver. Não a dos outros, a nossa. A nossa chama.

Tamara Alves por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Em novembro tenho uma exposição no Martinhal Sco Resort em Sagres e durante a semana do Desassossego de 16 a 30 de Novembro vou estar a pintar um mural dedicado ao José Saramago ou ao Fernando Pessoa em Lisboa. Ainda a trabalhar sobre isso.

Tamara Alves por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas