m
Talita
Hoffmann
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
28 anos . artista

Sou artista plástica com formação em design gráfico. Trabalho principalmente com pintura há mais ou menos dez anos. Nesse tempo já realizei exposições individuais e coletivas em lugares como São Paulo, Rio de Janeiro, Taiwan, Londres, Coréia do Sul, Espanha e Finlândia. Trabalho também como designer e ilustradora freelancer.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Desenho e pintura, basicamente.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Cidades, construções e desenhos arquitetônicos, fotografia, distorções de percepção da imagem, design gráfico urbano... Partindo de um lugar da pintura e do desenho, me interessa o achatamento dessas imagens e os ruídos que algumas dessas sobreposições provocam.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Tento ser organizada e dividir o processo em pequenas partes. Para trabalhos comerciais de ilustração é mais fácil pensar em termos de prazo, resultado final... Mas na pintura o processo acaba sendo mais intuitivo e menos calculado. Sempre começo desenhando, a partir de algum grupo de imagens e ideias de referências que eu salvo e anotações e que vão nortear o trabalho. A parte da pintura é mais lenta e adicionada aos poucos, em um processo que envolve projeções, photoshop, mistura de tinta e muita paciência, basicamente.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Tento desenhar o máximo que posso, sempre carrego um caderno comigo. Também me preocupo em ir atrás de novas referências, lendo, vendo filmes, indo à exposições e shows. Fora isso, acho que tentar não ser sugada pela burocracia da vida também já é uma forma de resistência dessa criatividade, hehe.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Exposições individuais são sempre os projetos mais empolgantes pra mim, pois dão a possibilidade de expandir um pensamento em uma série de modos que um ou dois trabalhos apenas não dão conta. Todas que fiz até hoje sem dúvida foram projetos preferidos.

No ano passado também fiz um projeto bem legal, ilustrei um livro infantil com a editora Ubu. Foi interessante trabalhar pensando em um público tão jovem (de três a cinco anos) em um projeto que tinha um conceito bem psicodélico. E o livro ficou com acabamento gráfico incrível - se chama “Jacaré, não!” e é de autoria do Antonio Prata.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Em 2008 eu participei de um salão no Museu do Trabalho em Porto Alegre, chamado A Novíssima Geração. É um salão para jovens artistas da cidade que promove uma exposição individual para um artista selecionado. Esse prêmio foi uma oportunidade bem legal de incentivo à minha produção, que me levou à exposições e trabalhos posteriores.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Me inspiro muito em recortes de pintura e arte naif, fotografia urbana e design gráfico. Alguns artistas que admiro são Walker Evans, Ed Ruscha, Henri Rousseau, Robert Crumb, Henry Darger, L. S. Lowry... Acho que de algum modo meio louco esses artistas transitam entre essas três coisas que eu mencionei e isso se reflete no meu trabalho inevitavelmente.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Não sinto exatamente um preconceito de expressão no meu trabalho, mas sinto que existem bem menos mulheres artistas representadas por galerias, por exemplo. Embora na universidade essa divisão seja praticamente igual, é de se pensar o que faz o mercado de arte funcionar desse jeito. Também existe uma vontade de tachar o trabalho de feminino muitas vezes, embora o rótulo “masculino” seja muito raro para artistas homens.

// E o que te faz feliz?

Música.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Continuem trabalhando e indo atrás de novas referências, estudando e se aperfeiçoando. Mas não sei se essa é uma dica especificamente para mulheres.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Ando fazendo algumas pinturas com colagens de grande formato e espero ter uma série delas logo mais. Também estou fazendo um zine que eu espero imprimir ainda esse semestre.

Talita Hoffmann por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas