m
Sandra
Jávera
Brasil
vivendo em New York . EUA
31 anos . ilustradora . ceramista

Eu sou de São Paulo e me formei em Arquitetura na FAU em 2011. Antes de me formar, eu já sabia que queria seguir mais para as áreas do desenho e de experimentações artísticas. Quando olho pra trás me parece que tudo desde essa época aconteceu de forma meio atrapalhada/espontânea, meio sem pensar. Eu não me lembro de decidir com cautela nada - as coisas foram acontecendo. Quando me dei conta estava morando em Nova Iorque - me mudei pra cá em 2012 - e agora, de novo, me surpreendo de que já estamos em 2017 e que vivo há quase 5 (CINCO!) anos aqui.

Trabalho com ilustração desde 2010, quando fui chamada pela primeira vez para ilustrar uma matéria na Folhinha.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Papel + bico de pena com tinta nanquim + tinta a base d'água, guache e aquarela, são as que uso com mais frequência.

Em 2013 comecei a trabalhar com cerâmica e ainda hoje é uma das ferramentas de expressão mais poderosas que já encontrei pra mim.

Mas meu ponto fraco é a constância, então começo uma coisa, paro; pulo de galho em galho.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Muita coisa. Tem muito artista bom pelo mundo que me inspira bastante - não só no campo visual, mas também na literatura, artes do corpo, pelo senso de humor. E não precisa ser artista pra me inspirar - qualquer coisa viva ou feita pelo Homem tem um potencial de me emocionar, eu acho. Às vezes uma comida gostosa, uma flor bonita , uma flor feia, basicamente, qualquer coisa. Acho que a inspiração vem menos da "coisa"e mais da nossa vontade de encontrar inspiração em algum lugar - qualquer lugar.

Eu fico admirada pela capacidade criativa da vida em geral - e pela variedade de formas de expressão que o Homem inventou, e como cada indivíduo escolhe se expressar diante de tanta variedade. A necessidade de criação do Homem me parece um dos mistérios mais interessantes - e acho que, em resumo, é o que mais me inspira.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Depende do projeto. Normalmente é bem caótico e envolve pelo menos uma ou duas crises existenciais... hahaha... Isso tem melhorado com o tempo, mas a verdade é que sempre no meio de um projeto eu tenho a certeza de que não vai dar, que está muito difícil. Aí continuo fazendo, com dificuldade, até que sai alguma coisa. E a partir dessa coisa fica mais fácil e, às vezes, consigo até me divertir no processo. Mas isso de se divertir é mais recente.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu tenho meditado com certa frequência. Como sinto muita ansiedade no processo criativo, sei que preciso buscar algum tipo de equilíbrio. Mas tem fase que eu não estou criativa e é dureza - não sei muito bem o que fazer. Mas faço também coisas como ir ao museu, olhar referências, pesquisar sobre o que e quem me interessa.

Neste sentido acho bem legal fazer mais de uma coisa, tipo desenho e cerâmica, porque quando um trava, às vezes o outro segue melhor e assim seguimos...

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Eu tenho um carinho especial pelos livros. Eu gosto de tudo sobre livros - gosto de papel, de impressão, tinta, da ideia de uma pessoa lendo. Eu já trabalhei com alguns textos muito lindos e, quando você ilustra um texto, tem que ler profundamente aquilo. E essas imersões costumam ser importantes e prazeirosas pra mim.

Normalmente ilustro livros infantis. E gosto de pensar que o livro eventualmente vai cair na mão gorduchinha de uma criança - e que, de forma indireta e distante, nos comunicaremos por ali.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Tive alguns e foram marcados especialmente por pessoas que confiaram no meu trabalho e geraram oportunidades de trabalho pra mim. Ser freelancer é muito complicado.

Eu recebi ajuda de muita gente. A Gabriela Romeu, por exemplo, me chamou para os meus primeiros trabalhos de ilustração. Ela confiou em mim num momento em que eu nunca tinha nada publicado ainda!

Valorizo muito as pessoas que trabalham com ilustradores/artistas em geral e se arriscam - e geram oportunidades pra quem está começando. Acho que para as artes, um certo risco é necessário e pessoas corajosas também.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Nossa, é uma miscelânea que inclui muitos tipos de artistas. Tem a FAU - que foi onde estudei - que me marcou bastante, a Bauhaus, que eu adorava quando estudava arquitetura... o movimento modernista brasileiro como um todo. E depois que eu me mudei pra Nova Iorque comecei a ver muita coisa contemporânea também.

Vou falar 10 nomes só pra não ficar muito longo; mas a verdade é que a lista é imensa e nem me lembraria de todos os nomes.

1. Violeta Lopiz (ilustradora espanhola) 2. Jesus Cisneros (também espanhol, ilustrador) 3. Andrés Sandoval (fui assistente dele por um tempo e admiro muito o trabalho dele!) 4. Lina Bo Bardi (os desenhos dela, lindos) 5. Sabine Finkenauer 6. Paul Klee 7. Vicki Sher (artista que conheci há pouco nas mídias sociais) 8. John Van Oers (também há pouco que conheci) 9. Shino Takeda (ceramista) 10. Isamu Noguchi.

Tem vezes que as referências aparecem de forma bem clara e consciente ( às vezes imprimo coisas que eu gosto e penduro num quadro de referência, por exemplo) e tem vezes que você faz uma coisa e só depois de um tempo percebe que teve influência de tal pessoa.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu sinto que existe sim esse preconceito, bastante. Mas eu tenho dificuldade de falar sobre isso. Recentemente eu vi/li bastantes coisas sobre esse assunto e ainda não consegui digerir as informações.

Às vezes eu sinto que a postura das empresas/editoras diante de um ilustrador homem é mais respeitosa com relação ao tempo dele e o valor que ele cobra do que diante de uma ilustradora mulher.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

A curto prazo: coisinhas - eu curto tralhas de todos os tipos - balinhas, lâmpadas, papéis, chás, etc. Eu fico muito animada entre objetos, prateleiras cheias de coisas; lojas de materiais de arte e em China Town, coisas assim. Mas é felicidade passageira: fico feliz e logo depois triste com a acumulação de coisas inúteis.

A longo prazo: Amigas(os)/família. São muito mais difíceis que as tralhinhas, mas garantem alegrias pro resto da vida!

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações ?

Priorizar o tempo para a criação acima de tudo. A gente normalmente coloca muita coisa na frente da criação... às vezes coisas que podem esperar. E eu sei que tempo é uma das questões mais difíceis do mundo, achar tempo.

Mas a verdade é que 15 minutos de criação já são uma conquista linda! E mais - esses 15 magicamente, muitas vezes, abrem espaço para mais 15, e quando a gente vê, já fez alguma coisa.

Acho que não ser muito perfeccionista e não se comparar muito com os outros pode ajudar algumas pessoas. Pra mim ajuda.

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
Sandra Jávera por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Estou trabalhando em ilustrações para uma revista de florais e num livro de poemas bem bonito. To naquele momento em que tudo parece difícil demais, mas to meio calma, sei que passa!

Sandra Jávera por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas