X FECHAR
RESPONDA NOSSA PESQUISA E PARTICIPE DO
MAPEAMENTO DE PERFIL DE
MULHERES CRIATIVAS BRASILEIRAS
DO PROJETO CURADORIA
//PARTICIPAR//
*O resultado será divulgado em forma de infográfico neste site
m
Paula
Quintão
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
34 anos . escritora

Sou Paula Quintão. Uma tecelã do mundo. Trago da sombra para a luz. Trago das profundezas para a superfície. E costumo dizer que de passo em passo eu desvendo um mundo dentro e fora de mim.

Quando conto sobre a minha profissão, é escritora que eu digo. Isso porque me faz sentir liberdade ser escritora. Faz sentir a vida fluindo porque sei que para escrever preciso antes ter vivido. E se posso escrever é porque estou vivendo bem.

Há algo em mim que ama as entregas, mas que só é capaz de entregar se antes eu experiencio. Minhas experiências começaram logo cedo. Fui mãe aos 15 anos, fiquei grávida aos 14. E hoje percebo o quanto a minha vida queria logo cedo me contar o quanto é de experiências que se vive.

De Minas me mudei para Manaus, passei 5 anos da minha vida por lá onde fiz um doutorado, onde capotei o carro e sobrevivemos eu e minha filha, plantei umas árvores, aprendi com os indígenas o valor do passo a passo e a mudar minha relação com o tempo, e com os relacionamentos o quanto não basta ter amor para se fazer uma relação amorosa.

Hoje moro em São Paulo e daqui administro e crio em meus três negócios ativos: o portal Coragem Para Empreender, a Escola de Rumos e a editora Jornada.

Tenho 2 livros impressos escritos, o Para Sempre Um Novo EU (2012) e O Caminho Que As Estrelas Me Viram Cruzar (2017). E outros tantos livros digitais disponíveis no site da minha editora.

// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Hoje minhas expressões acontecem principalmente pela escrita e pelos vídeos. É claro que a escrita é sempre extensão da minha alma e acontece a todo momento, seja em meus cadernos de reflexões seja em meus blocos de nota do celular. A escrita simplesmente flui por mim. Mas me experimentar em vídeo também é um lindo exercício de estado de presença e entrega.

Paula Quintão por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Minha maior motivação é a própria vida e as emoções que sinto em cada momento. Sou uma exploradora por natureza, então valorizo todas as emoções e perguntas que me faço e me fazem para ir em busca de uma resposta. É como se eu mergulhasse profundamente nos oceanos e encontrasse o que procuro. Então minha motivação essencial é encontrar respostas, sou uma coletora de respostas.

// Como é o seu processo criativo?

Meu processo criativo nasce muito da pergunta e passa muito pelo escrever. Se tenho uma pergunta e me coloco a buscar ativamente a resposta - perguntas são como imãs, observe que se você pergunta algo, em breve a resposta chegará - escrevendo consigo sempre pensar com mais clareza e abrir os caminhos da criação.

Assim nascem meus livros e meus cursos. No exato instante em que me coloco a escrever, todas as respostas e todas as conexões acontecem.

Paula Quintão por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu tinha medo de um dia minha criatividade acabar. Eu pensava que precisava anotar todas as ideias para que no dia que elas se esgotassem eu pudesse resgatar meus escritos e me salvar da escassez de criação.

E a verdade é que a criatividade é ilimitada quando nos percebemos como parte do todo, quando nos enxergamos como parte de uma grande teia em que estamos todos e que colocar as ideias em ação é receber um sinal verde para receber mais e mais inspiração para novos projetos.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Hoje tenho três projetos preferidos: a escrita, o empreendedorismo e o autocuidado. Quando escrevo (ou produzo meus conteúdos em vídeo ou palestras) eu estou entregando a bagagem que acumulei ao longo das experiências de vida e conhecimento. Quando eu empreendo eu abro o campo para ser eu mesma, em meu máximo potencial. E quando eu me cuido eu sustento em mim a vida que me possibilita fazer tudo o que eu faço.

Paula Quintão por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

A ida ao Monte Roraima em 2011 foi um grande marco. Naquele momento eu estava no meio do meu doutorado e sentia uma sensação muito forte de que a minha semana de trabalho poderia ser mais feliz do que era. Ir para a montanha me mostrou que o meu dia a dia não era tão livre e que eu precisava fazer algum ajuste.

Como era possível na montanha dormindo no chão duro, sentindo frio, entre totais desconhecidos e com o corpo todo doendo eu estar mais feliz que no meu dia a dia? A segunda à sexta precisava de mudanças e foi quando eu comecei a pensar no que poderia ser feito para criar um trabalho e uma rotina diferente. Empreender foi minha grande resposta e hoje meu negócio tem 5 anos, nasceu em 2013 e me sustenta integralmente.

Paula Quintão por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Essas minhas inspirações e influências mudam sempre, é como se em algum momento a inspiração estivesse viva e outro momento deixasse de me preencher. Eu amo estar sempre ao som de uma boa música, em ambientes que encantam meus olhos e em lugares que me fazem sentir presença. Se há uma fonte de inspiração constante para mim são as viagens e as caminhadas.

Sair para caminhar é encontrar sempre mais clareza. Algo caminha dentro. E sair em viagem é me sentir inteira, completa e viva. Meus dois livros nasceram de experiências de viagem, o primeiro ao Monte Roraima e o segundo ao Caminho de Santiago. Viagens são riquezas para a minha alma.

Paula Quintão por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu não sinto nenhum tipo de preconceito, sinto às vezes algumas "não permissões", mas não no meu trabalho, porque eu pude criar um trabalho que é totalmente extensão de mim mesma e é meu próprio território.

// E o que te faz feliz?

Se há uma pergunta que estou sempre a investigar dentro de mim é essa... "O que me faz feliz?". Sinto que estar feliz é um estado de presença, estar plena e inteira vivendo aquele momento. E eu amo explorar, amo o novo, amo caminhar, eu me sinto viva quando descubro novos lugares, dentro e fora de mim, seja viajando ou seja na minha cidade, seja vivendo meus processos de autoconhecimento e conectando pontas soltas, montando um grande mapa ou um quebra-cabeças. E para além da exploração, eu amo organizar o que coletei e entregar em forma de cursos e escritos. Sinto que minha felicidade está nos elementos que constituem minha própria missão de vida: explorar, coletar, organizar e entregar.

Paula Quintão por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Acreditar em nós mesmas e em nossas vozes. Acreditar no senso interno que envia uma mensagem e diz "fale isso".

Lembro quando eu estava com meu primeiro livro pronto, ele estava completo no meu computador, e eu ainda não sabia se publicaria ou não. Até que fui à livraria Saraiva de Manaus e por lá encontrei um livro sobre publicar livros nessas bancas de destaques. Abri em qualquer página e estava escrito algo mais ou menos assim... "se essa história tem valor para você, ela terá valor para alguém".

Respirei fundo e soube: eu publicaria meu livro.

Hoje o Para Sempre Um Novo EU está em sua segunda edição e isso é mesmo maravilhoso. Perceber o quanto nossas histórias, nossas criações, nossas entregas têm lugar na vida de outras pessoas.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Atualmente tenho três projetos vivos e que a cada dia se tornam mais inteiros. O portal Coragem Para Empreender. A Escola de Rumos. E a Editora Jornadas.

Vou deixar aqui esses links e neles nos encontramos.

Página Pessoal de Escritos

Coragem Para Empreender

Escola de Rumos

Editora Jornadas

Youtube.

Instagram.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas