X FECHAR
RESPONDA NOSSA PESQUISA E PARTICIPE DO
MAPEAMENTO DE PERFIL DE
MULHERES CRIATIVAS BRASILEIRAS
DO PROJETO CURADORIA
//PARTICIPAR//
*O resultado será divulgado em forma de infográfico neste site
m
Mariana
Valente
Brasil
vivendo em Rio de Janeiro . RJ
30 anos . artista . ilustradora

Meus amigos me chamam de Valente, apesar de eu me achar uma pessoa um pouco medrosa. Sou artista e designer carioca morando em São Paulo. Trabalho como freelancer desenvolvendo projetos gráficos com colagem. Acredito que encontrei nessa linguagem a união ideal entre estética e significado. Na verdade, nós nos encontramos por acaso a muito tempo atrás.

Pequena história: Quando eu era pequena, estudei numa escola onde vivia uma cabra. Eu nunca tinha visto uma cabra de verdade e fiquei encantada. Comecei a levar comida de casa e passava o dia observando e alimentando a cabra. O cercado da bichinha ficava atrás do galpão onde aconteciam as aulas de artes, e como eu passei a fazer visitas regulares, o professor que me via com freqüência me convenceu a participar das suas aulas. Ele estava montando um projeto com sucata, e eu fiquei fascinada com a transformação que acontecia ali. Foi a primeira vez que ví um material aparentemente sem valor ser ressignificado. A partir desse momento, passei a andar atenta e em busca de possíveis ‘’achados’’ inesperados para colecionar e transformar.

Eu tenho muito interesse em colecionar memórias. Hoje em dia frequento sebos e feiras de antiguidade em busca de inspiração, livros, fotografias, correspondências e pequenos objetos de pessoas desconhecidas. Acredito na carga emocional desses materiais esquecidos no tempo, e tenho como tema de trabalho favorito a memória inventada e subjetividade feminina.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Trabalho a colagem de forma manual, digital e cada vez mais tenho sentido vontade de explorar novos suportes com os objetos garimpados.

Amo a espontaneidade e a liberdade que a colagem me dá de trabalhar com o que me der vontade.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Acho que a maior parte do meu trabalho surge de um lugar de desconforto que eu disfarço com beleza. Eu sou muito sensível, no melhor e pior sentido da palavra. Acredito que o trabalho artístico é necessidade básica para todos aqueles que sentem muito. A nossa existência, as questões da feminilidade, as perguntas sem respostas e os medos silenciosos são fontes inesgotáveis de inspiração. Apesar de não imprimir no meu trabalho, tenho tendência a flertar com questões do inconsciente. Acho que podemos aprender bastante com o desconforto existencial, pode ser saudável se for transformado em trabalho. Mas o próprio processo do trabalho me dá enorme liberdade e motivação para criar.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
Mariana Valente por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Tenho o costume de trocar o dia pela noite. Adoro ser uma janela acessa na madrugada, me sinto mais concentrada e inspirada.

Muitas vezes eu procuro e seleciono imagens durante o dia e espero a noite cair para começar a trabalhar e estudar composição.

Às vezes eu já tenho uma ideia de tema para desenvolver, e muitas outras vezes eu me permito descobrir o tema a medida que as imagens vão surgindo na busca.

O meu processo todo é muito intuitivo, desde a seleção do material, até a forma como eu recorto e procuro os encaixes. Gosto de não forçar muito a barra, mas às vezes um corte brusco é necessário. Tem colagens simples que levam semanas para terminar e colagens complexas que resolvo em poucas horas, ou seja: a colagem pulsa e tem vida própria. Gosto de acreditar que as imagens que escolho também me escolhem, e que a vida tem desses mistérios.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu e meu marido criamos o hábito de assistir filmes todos os dias. Por ele trabalhar com cinema e eu com imagens, esse exercício (delicioso) é fundamental para a gente. Na nossa sala tem uma ‘’parede de inspiração itinerante’’ onde gosto de trocar as artes com frequência para que novas inspirações circulem sempre pela casa. Também amo passear em sebos e ''caçar'' materiais inesperados pelo caminho.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
Mariana Valente por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Adoro a série de Porcelanas Afetivas, colagens manuais em pratos antigos que eu garimpo em feiras de antiguidade. Foi uma forma incorporar a porcelana como suporte para criar objetos de decoração únicos. A ideia surgiu de um presente que ganhei de uma amiga querida.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Em 2014 fiz uma residência artística  de 4 meses em Portugal na tradicional fábrica de porcelanas Vista Alegre, onde desenvolvi uma peça de tiragem limitada em homenagem ao livro A Paixão Segundo G.H. de Clarice Lispector, minha avó, para fazer parte da coleção ‘’1+1=1’’.

Foi um projeto muito difícil, porque eu tive que interpretar graficamente um romance muito complexo e enigmático, que me levou a confrontar minhas próprias angústias.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Frida Kahlo e sua capacidade de transformar dor em beleza, Clarice Lispector e sua entrega à sensibilidade, Stanley Kubrick e sua dedicação com trabalho e estética, Bebel Franco com seu universo de cores fantásticas, Magritte e seus múltiplos sentidos, entre muitos outros criativos maravilhosos!

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Preconceito existe sempre, infelizmente. Eu gosto muito de utilizar mulheres nuas para retratar o feminino, porque acho bonito e poético. Muitos se incomodam com a nudez, porque desperta a sexualidade, mas para mim o nu desperta o autoconhecimento e a mulher livre, sem amarras imaginárias.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
Mariana Valente por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

A sensibilidade da minha família, encontros, sonhos simbólicos, minha cãopanheira de ateliê Frederica, papelarias, sebos e feiras de antiguidade.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Somos colagens. Somos construções subjetivas de fragmentos de tudo que vivemos. Somos recortes de memórias, inspirações, dores e amores. Somos um quebra-cabeça impossível, incompleto e tudo bem. Segue tua intuição e escuta seu impulso criativo. Transforme suas inquietudes em trabalho. Se permita ser imperfeita, ter medos e incertezas. Na arte não existe certo e errado, existe o que você escolhe ou autoriza deixar sair.

Mariana Valente por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Me mudei para São Paulo sem conhecer ninguém. Por eu ter um processo de trabalho muito solitário, decidi criar oficinas de colagem para organizar e dividir minhas investigações colagísticas, conhecer espaços da cidade e pessoas com interesses em comum. Tem sido um período importante, porque estou podendo perceber meu trabalho com uma ‘’certa distância’’. Hoje completo um ano de oficinas, e tem sido uma experiência maravilhosa. Venho focando no olhar como ferramenta de trabalho, categoria que faz parte de uma primeira aproximação com a colagem do meu workshop. Para o ano que vem pretendo montar uma série de novas oficinas para quem já tem algum contato com colagem. Novidades muito em breve... Viva a colagem e a coragem!

Mariana Valente por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas