m
Luz
Guevara
Argentina
vivendo em Alto Paraíso de Goiás . GO . Brasil
28 anos . artista . tatuadora

Meu nome é Luz Guevara, sou artista nômade nascida na Patagônia Argentina. Viajo pelo mundo faz sete anos e atualmente moro em Alto Paraíso de Goiás, Brasil, vivenciando Arte e a Cura na Chapada dos Veadeiros.

Ao finalizar os estudos acadêmicos em Artes Plásticas decidi fechar um ciclo e sair para explorar a arte fora dos livros e das teorias, comecei uma longa viagem em busca de experiências nutritivas e trocas verdadeiras.

Nesse percurso conheci a antiga arte ritualística da tatuagem. Essa nova ferramenta intensificou a minha troca energética com as pessoas, criando laços muito fortes com elas e com suas histórias.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Eu me expresso através do meu olhar e do meu corpo, imprimindo minha energia através de artes visuais como ilustração, muralismo, pintura, desenho e tatuagem além de terapeuta onde o recurso é corporal e energético.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

A natureza, as viagens, os sonhos, a espiritualidade, as mulheres, a energia, a magia, os encontros, as conversas, as visões, os abraços, os olhares, a dança, o movimento, as polaridades, o amor...

Criar me faz totalmente presente e consciente no universo, é um momento meditativo e de conexão com minha espiritualidade, traz paz e muita alegria ao coração.

// Como é o seu processo criativo?

No caso de encomendas normalmente a ideia ou motivo vem como demanda externa, daí sempre tem um momento de mergulho no tema, onde estudo, vejo imagens e até vídeos sobre a questão a ser codificada no papel. Depois vem muita brincadeira de composição para encaixar a ideia na anatomia da pessoa ou muro específico e finalmente as provas de cor.

Em paralelo sempre tenho impulsos e começo a desenhar ou pintar um muro sem estudo prévio, sem prova de nada e só pinto.

São dois movimentos que dançam constantemente, adoro estudar e ser precisa, mas ao mesmo tempo meu coração pula de felicidade quando toca free hand.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
Luz Guevara por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu vivo meus dias poetizando cada coisinha, sentindo cada cheiro, olhando bem profundo e vibrando ao máximo com os acontecimentos.

Vida e arte vão juntos da mão, não tem separação, minha trilha se recria sem pressa conforme as necessidades criativas.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Desde pequena minha obsessão foi o “corpo feminino” como escusa para desenhar. Esse estudo fez parte da minha rotina durante muito tempo até começar a viajar e me encantar com as plantas, os animais e a magia da natureza.

Dessa mistura surgiu o projeto das “Mulheres Deusas”, musas inspiradoras fusionadas com seres encantados, mulheres selvagens, conectadas com os espíritos da natureza, co-criadoras do divino.

Esse estudo constante do feminino e o selvagem dentro delas, levou muitas mulheres a quererem tatuar sua própria Deusa Talismã no corpo, como símbolo de proteção, poder e força pessoal.

Dessa demanda espontânea nasceram as “Deusas Tatuadas”, onde, através do olhar da Mel Maurer, o roteiro da Lorena Rodrigues e o making off do Fernando Carneiro, conseguimos fazer um ensaio fotográfico lindíssimo de mulheres tatuadas incorporando o seu ser sagrado através da relação do talismã tatuado na pele e a natureza interna refletida no exterior.

Por outro lado, parcerias com mulheres incríveis não faltam, como o projeto “Agulheiras” onde, junto a Lorena Rodrigues, unimos as artes da tatuagem & bordado num evento “Flash Day” onde tem exposição de artes bordadas com possibilidade de ser tatuada na hora.

Esses projetos são muito inspiradores porque trazem a força do feminino na construção sensível de artes combinadas.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Quando comecei de fato a viagem pela América do Sul, o simples movimento de país, hábitos, amigos, contexto, cultura, etc. fez ressoar muita coisa em mim e rapidamente a vontade de expressar tremendas emoções tinha que ser escoada. Nessa época estava vivendo a febre do Tango e o Contato Improvisação, só pensava em dançar e viajar pelo mundo, viver trocas e experiências reais.

Aí comecei a escrever, daqui a pouco a desenhar e finalmente retomei a pintura com maior paixão, depois disso chegou a tatuagem como presente e companheira indispensável das viagens.

Viajando aprendi a valorizar cada segundo que estou perto da natureza, dos lugares e das pessoas. Cada instante é único e nunca mais volta, estou feliz de me sentir uma artista nômade que se recria constantemente.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
Luz Guevara por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Eu me inspiro muito na natureza, nas experiências sociais e sensoriais do dia.

O movimento e o corpo são elementos que sempre chamam minha atenção, e como também danço muitas vezes a inspiração vem de sensações corporais ou emoções internas que pulsam.

Em paralelo sempre estou vendo arte de todo tipo, isso me gera mais vontade de criar, tem muita coisa incrível sendo feita no mundo, muita informação para se inspirar.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu pessoalmente me sinto muito bem, consigo ver como o tempo e a constância tem seus frutos, mas isso é uma construção e foi bem aos poucos que comecei a sentir respeito pelo que faço. Considero que só o fato de ser mulher faz que a trilha seja um pouco mais sinuosa sobretudo quando se trabalha com o corpo feminino nu.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
Luz Guevara por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Ter momentos de comunhão em solidão e em companhia, sentir-me profundamente conectada comigo e com o universo. Conectada com meu ritmo, minhas pausas e silêncios sem estruturas fixas e em constante sentir para poder estar num movimento criativo constante, fluindo e transformando cada micro espaço que ocupo na terra.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Se dar o tempo de entrar em contato com essa força dentro delas, se unir com outras mulheres para potencializar o poder pessoal e sobretudo acreditar muito em si, permitindo se explorar, expressar.

Luz Guevara por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Atualmente estou trabalhando num projeto que entrelaça a tatuagem, a acupuntura e a espiritualidade.

Enquanto finalizava minha formação como terapeuta em Medicina Chinessa, comecei a investigar a relação com a acupuntura e o uso de agulhas na inserção de tinta na pele na antiguidade.

Para minha surpresa encontrei muitos laços entre estas duas artes que tiveram sua origem há mais de cinco mil anos, onde já existia uma relação profunda entre pontos do corpo que sendo estimulados por punção conseguiam diminuir certas dores.

Isso me fez repensar a tatuagem como uma marca permanente que além de estética pode ser ao mesmo tempo terapêutica, um símbolo de poder pessoal que nos acompanha e nos lembra do nosso ser essencial.

Em paralelo, Chloé Leppurnenec, outra irmã das aquarelas, tattoos e arte nos muros está se aprofundando faz uns anos na arte da leitura de Tarô e juntas começamos o Coral Collective, projeto itinerante que fusiona saberes ancestrais e contemporâneos na criação de Talismãs para o corpo, os muros e a alma.

Em julho deste ano fizemos nosso primeiro tour pela Europa e foi fantástico, mas ainda não temos data definida nem local da nossa próxima jornada.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas