m
Luiza
Normey
Brasil
vivendo em Florianópolis . SC
27 anos . ilustradora . designer

Oi, eu sou a Luiza, sempre desenhei, mas desde a faculdade percebi que o que eu queria como profissão ia além da ilustração. Vivo na eterna busca de como posso ser cada vez mais autêntica no que eu faço, e no último ano descobri a beleza do ensino. Gosto muito de criar, aprender coisas novas e ensinar tudo que sei. Sou formada em Design Gráfico pela UFSC, trabalhei 3 anos com design, fiz uma Pós em Design de Superfície na Espanha e agora estou de volta ao Brasil trabalhando com estamparia, ilustração e ministrando oficinas criativas pelo país.

Luiza Normey por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

A minha técnica favorita é a aquarela. Mas também produzo com guache, acrílica, carimbo, canetinhas, lápis de cor, nanquim, colagem, bordado e pintura digital.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Para minha surpresa, o que está mais me inspirando ultimamente são os meus cursos. Quando penso quais exercícios criar para os alunos ou qual tipo de arte posso fazer para divulgar as Oficinas, as melhores ideias surgem. Procuro explorar o máximo da técnica, sair do comum e da minha zona de conforto. Busco bastante inspiração nos artistas que sigo no Instagram e no que encontro no Pinterest.

// Como é o seu processo criativo?

Às vezes surgem ideias do nada, mas quando não tenho essa sorte, busco referências para o que eu estiver precisando, ideia, técnica, paleta de cor, etc. Algumas vezes arrisco de não ter muita coisa definida e tento algo mais espontâneo, isso funciona muito bem com técnicas que permitem mais o acaso como aquarela, carimbo e colagem. Mas quando é um trabalho com briefing bem específico, faço algo mais planejado. Tenho um blog onde mostro como é meu processo criativo e fiz um post sobre isso também no Estampaholic.com

Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Saio de casa para dar umas voltas, pegar sol. Converso com pessoas que pensam diferente de mim. Saio com meus amigos. Observo tudo à minha volta e tenho grande preferência por inspirações que vêm da natureza. Ter um cronograma semanal ajuda, e se permitir relaxar e não pensar em nada em algumas (talvez várias) horas do dia, ajuda mais do que trabalhar sem parar. Importante também ver os outros artistas como fonte de inspiração e não competição. Cada um tem seu estilo pessoal, e não existe melhor ou pior, apenas diferente, e essa é a graça!

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

São aqueles que criei de maneira mais espontânea... sem pensar muito, sem refazer nada, e no fim surgiu algo simples e significativo. Para dar exemplos, tem a pintura “À Deriva”, a estampa “Cerejas”, o pôster “Bananas” e o vídeo do Degradê com o barquinho de papel dourado.

Luiza Normey por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Sim, vários! O primeiro deles foi quando cansei do meu trabalho, fiz um workshop de estamparia e tentei emprego em outro lugar. Não consegui, mas me deixou inquieta, e foi aí que criei minha página de facebook da Matiza. Um ano depois, ainda insatisfeita, encontrei por acaso a Pós Graduação em Estamparia na Espanha, me demiti e uma semana depois minha página do facebook bombou. O motivo foi uma ilustração sobre cabelo cacheado, nesse momento mudei meu foco para esse tema e tive coragem de abrir uma loja virtual. Mas pouco tempo depois viajei para fazer a Pós e meu foco mudou de novo. E meu momento decisivo mais recente foi quando finalmente tomei coragem de ministrar minha primeira Oficina de Aquarela e adorei!

Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Que difícil, parece ser tanta coisa! Minhas inspirações mudaram muito durante os anos, antes eu me interessava bastante por ilustração mais realista ou de personagem, meio cartoon, pintura digital e tal. Hoje adoro os artistas mais experimentais, e tenho uma paixão por qualquer um que saiba mexer com paleta de cor. Para citar alguns nomes, Cassie Byrnes e Clare Therese na estamparia, Bianca Xunise, Fran Meneses e Lucia Bryon nos quadrinhos, Erica Duran e Slow Stitch Sophie no bordado, Atelier Bingo no abstrato... Eles me inspiram a sair da minha zona de conforto e explorar novos estilos e técnicas.

Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sim, existe, cada dia enxergo mais como o mundo trata as mulheres diferente dos homens, como já nascemos com menos liberdades. Porém, no meu caso não tenho do que reclamar porque minha arte é muito “suave”, “fofinha” e “de boas”. Não de propósito, é meio que assim que gosto de me expressar. Mas não sei o que aconteceria se eu quisesse ir para uma linha erótica, ou de discussão de gênero, política, ou apenas um estilo mais agressivo ou conceitual. Também acredito que existe mais preconceito na área do graffite, quadrinhos, espaços considerados mais “masculinos”.

Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Saber o que eu quero me faz muito feliz. Tanto na vida como na arte. Para quem me acompanha desde 2014 pode ver que mudei muito no que crio, e é porque sigo nessa constante busca do que eu quero. Já descobri muita coisa, e elas estão relacionadas com coisas que gosto, como: cores, mar, natureza, conversar, viajar, não estar presa a nenhum lugar, experimentar na arte, experimentar na cozinha, conhecer gente fora do comum, ensinar, dançar, observar, aprender...

Luiza Normey por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Primeiro, saber que todo mundo é capaz de criar, mas cada um tem sua maneira singular de se expressar. Às vezes é difícil continuar, persistir quando se acredita que nada está suficientemente bom, mas é só uma questão de encontrar o que você faz de melhor, e o que tua personalidade vai acrescentar ao teu trabalho que mais nenhuma pessoa no mundo poderia fazer igual. Eu sou a rainha das crises artísticas, e o melhor para sair delas é experimentar de tudo, abrir os horizontes, se inspirar num estilo que gosta e depois acrescentar algo teu. E outra coisa muito importante é conhecer, conversar, fazer amizade com mulheres que também criam, e nunca rivalizar ou invejar, isso só te deixará mais insegura. Quando eu era nova tinha uma mania de competição, hoje tenho muito orgulho do que faço porque parei de olhar pro lado e me concentrei em mim. Ah, e meu sonho é conhecer e ser amiga de todas as minas que admiro no Instagram. haha.

Luiza Normey por Projeto Curadoria
Luiza Normey por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tenho sim! Faz pouco tempo que descobri qual caminho quero trilhar profissionalmente, e ele está muito ligado ao que já venho fazendo, ensino, estamparia, ilustração... Gosto muito de aprender coisas novas e depois ensinar às pessoas, mas no momento só consigo alcançar aqueles que estão na mesma cidade ou país que eu. Meu plano é expandir para o online, youtube, e explorar tudo que vier a partir disso, além de fazer mais parcerias, com outros artistas, empresas e ateliês, e me desafiar cada vez mais artisticamente.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas