m
Liana
Nigri
Brasil
vivendo em Rio de Janeiro . RJ
32 anos . artista . designer

Sou libra com ascendente libra, o que me faz extremamente sensível às relações humanas e com uma forte necessidade de me expressar esteticamente. E tenho lua em Sagitário, que me levou a várias aventuras pelo mundo:

Em 2004 estava na universidade cursando desenho industrial quando pela primeira vez saí de casa e fui à Milão cursar 1 semestre da faculdade na Politecnico di Milano, e lá aprendi a ver a moda sob as lentes do design. Em 2007 lá fui de novo fazer um mestrado chamado MA Design for Textile Futures na Central Saint Martins em Londres que me estimulou a trabalhar sob minhas próprias demandas internas.

Não tenho apenas a lua em Sagitário, mas vários outros pelo mapa, então mais uma vez em 2012 coloquei minha casa nas costas e fui para Nova Iorque, onde morei 4 anos e foi lá onde aprofundei meu trabalho artístico.

Em Setembro de 2016 voltei à minha cidade natal para fazer uma residência artística de 3 meses no Despina, que me levou esse ano de 2017 para terras jamais imaginadas por mim nas montanhas da Romênia para mais uma imersão.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Não gosto da ideia de estar fechada à uma única ferramenta de expressão, a beleza da arte contemporânea é exatamente a não compartimentalização por mídia, mas sim por ideias, poéticas ou mensagem. Minha pesquisa se baseia na bioarte, ou seja o uso de materiais vivos para produzir arte, e também utilizo esculturas, vídeo, fotografia, desenho e instalação.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Meu trabalho é principalmente inspirado por elementos da natureza versus a ideia da passagem do tempo - e consequentemente, a noção em impermanência. Nesse sentido, minha pesquisa consiste na observação das mudanças ocorridas nas superfícies das plantas e/ou na pele humana durante o período do ciclo da vida. Por meio desse processo, eu convido o espectador a olhar mais de perto à vida pela perspectiva do envelhecimento revelando beleza onde nunca esperado.

// Como é o seu processo criativo?

Gosto muito das experiências em residências artísticas, onde tenho a oportunidade de me dedicar intensamente a minha pesquisa durante um tempo delimitado num espaço novo. Além de sempre ter trocas memoráveis com outros artistas durante os programas.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
Liana Nigri por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Meditação para poder me conectar melhor comigo mesma e por consequência com os outros à minha volta. Essa prática me ajuda a estar no momento presente para observar e sentir.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Meus trabalhos preferidos são normalmente os trabalhos que estou envolvida agora. E no momento continuo minha pesquisa com o biofilme nas séries "Lasting Leaves", onde crio uma segunda pele de folhas de Costela de Adão, e a série "Lasting Lives", que estudo corpos de mulheres em diversas idades.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acredito que minha primeira residência artística em 2015 em Bioarte na School of Visual Arts em Nova Iorque foi determinante para eu conseguir produzir um corpo de trabalho robusto que expressasse a poética que desejava.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
Liana Nigri por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Minhas grandes referências são artistas mulheres, como Doris Salcedo, Eva Hesse, Adriana Varejão, Maria Bethânia e Clarice Lispector. Cada uma me influencia de um jeito diferente, mas todas têm um olhar de extrema sensibilidade pela fragilidade e força humana.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sim, nossa geração de mulheres ainda sofrem muitos preconceitos velados, principalmente no Brasil onde esta luta está atrasadíssima, por isso devemos nos unir e expressar essa força na nossa produção.

Liana Nigri por Projeto Curadoria
Liana Nigri por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Conhecer pessoas livres, que não julgam e não são julgadas pelo que as fazem bem. E assim também tentar ser.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Nunca parem e se unam!

Liana Nigri por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Na Romênia comecei um novo trabalho que se chama "Passages" onde juntei duas gerações para falar sobre o desejo humano de congelar o tempo e relações. O trabalho consiste em esculturas compostas de partes do corpo de uma mãe e uma filha congeladas em pedras de gelo. Então, o poder da impermanência derrete e transforma essa união em duas formas separadas com suas próprias marcas e formas, diferentes partes do mesmo todo.

Liana Nigri por Projeto Curadoria

Fotos de Leandro Viana, Hilnando Mendes e Lucas Martins

COMPARTILHE
b
//+entrevistas