m
Lia
Fenix
Brasil
vivendo em Itu . SP
34 anos . ilustradora . graffiteira

Eu me chamo Lia, assino meus trabalhos como Lia Fenix, sou de Itu, no interior de SP, tenho 34 anos, estou no meio do graffiti há uns 12 ou 13 anos. Além de graffiteira, sou ilustradora e professora.

A arte sempre foi meu grande amor, então minha maior alegria é poder trabalhar com ela, ainda tenho muito o que aprender nessa vida de artista, mas a cada dia que passa sinto que é dela que nasci e faço parte.

Meus trabalhos trazem a mulher como inspiração, e ponto de partida, adoro as formas femininas e o potencial suave e forte da sua essência.

Não vou escrever muita coisa aqui senão darei spoiler das outras respostas!

Lia Fenix por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Quase tudo que é analógico. Não manjo nada de processos digitais, embora queira muito aprender, minhas ferramentas favoritas são o spray, a aquarela, o nanquim, marcadores e lápis de cor, às vezes um pouco de tudo numa mesma obra.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Nossa, essa pergunta é complicada.

Meus trabalhos geralmente estão ligados ao meu estado de espírito, muita coisa do que faço é meio alter ego, sabe? Curto muito viajar num mix de sensações que acabam se transformando em algo inesperado.

Locais diferentes me inspiram, desenhos animados me inspiram e o circo me apaixona! Aquelas cores, fantasias e possibilidades enchem meu coração de amor.

Lia Fenix por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Uma verdadeira bagunça. Olho inúmeras imagens, testo vários materiais...

Curto trabalhar em um lugar calmo, com uma musiquinha rolando, acompanhada das minhas gatas e regado a café.

Funciono melhor sob pressão do que quando estou completamente livre, gosto de me desafiar.

Quando me frustro com um resultado, faço novamente para tentar uma nova solução, sou bastante crítica comigo...

Lia Fenix por Projeto Curadoria
Lia Fenix por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Sou viciada em Pinterest e Instagram, adorooo!!

Cabelos diferentes, joias antigas, fantasias, artefatos de arte, animais e flores, se acumulam diariamente em minhas galerias, numa espécie de museu particular, que acaba se derramando no sketchbook que carrego sempre na bolsa.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Acho que o projeto que mais curti participar foi a pintura de um fosso de elevador da MaxHaus no bairro do Morumbi em SP, já faz uns 6 anos. Meu trabalho mudou bastante de lá para cá, mas foi tão legal e gratificante pintar 25 andares, sentir que dei conta do recado, seria muito legal repetir a dose!

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

A minha participação na primeira Bienal de graffiti, em BH. Foi ali que percebi o quanto o meio da arte urbana é gigantesco, e potente.

Me deslumbrei naquela época, fiquei entorpecida diante de tudo aquilo, era uma realidade completamente diferente da que eu estava acostumada.

Eu vinha do interior e todos os artistas que eu seguia na rede estavam lá, foi muita informação, muita animação, e mesmo depois que a adrenalina baixou eu mantive o graffiti no coração.

Lia Fenix por Projeto Curadoria
Lia Fenix por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Minha maior influência veio de casa, quando pequena eu ficava na casa da minha avó e passava bastante tempo no ateliê do meu tio Reinaldo Ramos, um super vitralista!!!

Ficava lá namorando as cores dos vidros, olhando os livros dele, muitos de Art Nouveau... Hoje posso perceber a influência dos trabalhos dele nos meus, é algo bastante inconsciente, mas está lá.

Trago também alguns artistas como inspiração, como o Brian Viveros, Audrey Kawasaki, Klimt, assim como de outras vertentes artísticas, como a tatuagem, a ilustração, a HQ.

Lia Fenix por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sim!

Eu gosto muito de desenhar personagens nuas, um pouco sensuais, e é bastante engraçado ver a reação das pessoas em relação a elas, principalmente quando se trata de graffiti, não existe espaço para nudez na rua, ainda mais se esta é feita por uma mulher.

Muita gente ainda acredita no modelo estereotipado da mulher “bela, recatada e do lar”, não se pode representar a sensualidade e a sexualidade feminina sem despertar com isso um incomodo ou ainda suposições...

Lia Fenix por Projeto Curadoria
Lia Fenix por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Nossa... tanta coisa...

Sou uma pessoa de riso fácil, mas o que me cativa de verdade são as coisas simples da vida. Cheiro de bolo de fubá com café. Estar com as pessoas que amo, não precisa ser em um lugar incrível, pode ser no botequinho da esquina.

Meus animaizinhos, natureza, mar e brisa.

Viajar, conhecer lugares e pessoas diferentes, tomar sorvete, cerveja e café. Quer me fazer feliz, me convide para um café na padaria, eu adoro.

Enfim... são tantas coisas, que eu encheria essa página somente com coisas que me fazem feliz!!!

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Acho que a dica que eu tenho se resume a somente uma: coragem!

Tenha coragem de ser você, tenha coragem de lutar, tenha coragem de correr atrás e fazer acontecer, tenha coragem de honrar seus princípios, tenha coragem para ser firme, tenha coragem também para ser sensível, tenha coragem para tudo que achar importante para você!

Tenha coragem de ser MULHER!

Lia Fenix por Projeto Curadoria
Lia Fenix por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Esse semestre comecei a aprender a tatuar, então...

Aguardem que com certeza em breve haverão novidades tatueiras no perfil do Instagram @liafenixtattoo

COMPARTILHE
b
//+entrevistas