m
Letícia
Heger
Brasil
vivendo em Madri . Espanha
23 anos . ilustradora . tatuadora

Desde sempre inquieta e “fazedora”, iniciei meus estudos universitários em Publicidade e logo percebi que não era o que queria. Transferi para Design Gráfico pois dentre as opções disponíveis no mundo acadêmico é a área que mais sinto que me encaixo.

Em paralelo a aulas e estágios, iniciei minha carreira artística colando lambe-lambes nas ruas de Porto Alegre em 2013 – desde então já produzi e sigo produzindo adesivos, camisetas, cartazes, pratos ilustrados, entre outros. Me identifico muito com as temáticas: botânica, natureza, minimalismo & feminilidade, e cada vez mais percebo: é preciso ter coragem para florescer.

Hoje moro em Madri e enfoco meu trabalho sobretudo em tatuagens e murais, buscando sempre estar ao lado de marcas que tenham propósitos alinhados com os meus.

Letícia Heger por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Papel, lápis, caneta, tinta, agulha e pincel.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

A vida me inspira. Mulheres me inspiram. Histórias me inspiram.

Encontrei no feminismo uma grande força sobre a qual pretendo continuar enfocando meu trabalho – empoderando cada vez mais mulheres da melhor forma que puder; seja com um “ouvido amigo” em uma sessão de tatuagem, ou incentivando seus projetos e desejos pessoais.

// Como é o seu processo criativo?

Tudo começa com um papel e um lápis – às vezes uma ideia por trás, às vezes uma imagem de referência, às vezes nada disso é necessário: "I follow the flow to draw my flowers."

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Busco sempre que posso visitar exposições, ler sobre diferentes assuntos e estar sempre atenta ao meu redor – a inspiração está nos olhos de quem vê.

Letícia Heger por Projeto Curadoria
Letícia Heger por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Meu projeto favorito no momento são as tattoos estilo bracelete - as quais desenvolvo a ilustração juntamente com a/o cliente, diretamente no local a ser tatuado. Amo o processo, amo a co-criação, sempre amo o resultado.

Letícia Heger por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Certamente começar a tatuar foi um dos momentos mais empoderadores em relação ao meu trabalho. Anteriormente desenvolvia ilustrações exclusivas para tattoos - o que já me parecia genial alguém querer minha arte para sempre em sua pele; porém não tenho palavras para descrever o sentimento de eu mesma poder fazê-las. Cada linha é mais especial que a outra, feitas com muita buena onda & amor.

Acredito que as minhas sessões são como um ritual – no qual existe troca, existe energia, existe vida – e tal qual, a pessoa sai mais energizada do que chegou.

Letícia Heger por Projeto Curadoria
Letícia Heger por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Admiro muito artistas renomados como Picasso, Dali, Escher, Frida (claro), Fornasetti, dentre vários outros... Os utilizo como fonte de inspiração, como também artistas contemporâneos que descubro praticamente todos os dias, sobretudo através do Instagram.

Acredito que nós estamos fazendo um bom uso desta maravilha que é a internet: desbravando caminhos e possibilidades para levar mais arte para mais cantos do mundo.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Infelizmente tenho certeza que sim, ainda há preconceito

Creio que muito do meu objetivo é fazer com que cada vez mais a gente se sinta representada e respeitada, que tenha voz, e, esperançosamente em um futuro próximo, não seja mais necessário pedir por isso.

Letícia Heger por Projeto Curadoria
Letícia Heger por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Muitíssimas coisas me fazem feliz: desde sentar em uma janela e assistir o tempo passar, até uma mensagem de bom dia de alguém querido.

Ser feliz é um estado de espírito. É saber contemplar a vida através dos pequenos (ou grandes) detalhes. O clichêzão: a vida é uma só e é só nossa, o mínimo a fazer é o melhor que podemos, não?

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

P R O A T I V I D A D E

Em qualquer que seja a área – se a gente não seguir nosso sonho, ninguém vai fazer isso por nós.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Pretendo me dedicar cada vez mais a projetos de intervenção em espaços fechados: lojas, restaurantes, bares e cafés. Além de claro, continuar tatuando e semeando meu jardinzinho por onde passo.

Letícia Heger por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas