m
Laryssa
Araujo
Brasil
vivendo em Porto Alegre . RS
26 anos . ceramista

Hoje eu tenho coragem.

Eu sempre fui muito criativa e durante a minha infância minha mãe me incentivava bastante. Dos meus 6 aos 9 anos nós fazíamos aulas de pintura à óleo juntas, por exemplo. Com dez anos de idade, eu perdi minha mãe para o câncer e junto com ela, eu vi toda a minha energia artística se esvair.

Eu cursei jornalismo e nunca mais toquei numa tela de pintura. Eu recusei durante anos uma parte tão fundamental de mim mesma. Quando eu resolvi mudar de área, o acaso me levou de volta para a minha essência. Aos 23 anos, olhando o Instagram aleatoriamente, eu encontrei uma menina que produzia peças de cerâmica e na hora eu sabia que era exatamente aquilo que eu queria fazer. Fui atrás de cursos, livros, informações e tudo aconteceu muito fácil. É um processo muito fluido pra mim. Precisou apenas de um pequeno estalo para que eu visse as coisas se desenrolarem na minha frente.

Hoje é por meio do barro que eu dou licença para a minha imaginação e me sinto, de volta, conectada a quem eu sou. É um trabalho que eu exerço com propósito e orgulho. É o meu maior meio de expressão e é fundamental para que eu nunca mais me esconda do mundo e, principalmente, de mim mesma.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

No meu trabalho utilitário com cerâmica eu uso o torno. Para fazer esculturas de animais, que são as minhas favoritas, eu utilizo basicamente as mãos e alguns estecos de madeira.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Minha primeira motivação para criar é interna, eu faço cerâmica por mim. É um trabalho bem pessoal, onde eu costumo estar consciente durante todo o processo.

É tão cliché falar isso, mas minha principal inspiração é a natureza. Eu sou muito atenta as cores e as formas das flores, do mar, dos animais. Eu acho que qualquer inspiração genuína tem relação com a natureza.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Eu não tenho nenhum processo sólido ou ritual. Normalmente eu imagino a peça antes de começar a fazê-la, mas sempre fico aberta para as possibilidades que o barro me traz naquele momento. Para fazer esculturas eu busco bastante referências e monto um quadro com todos os ângulos do animal, por exemplo. A partir desse estudo, eu inicio a peça.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Sobretudo, tento perceber o que me cerca. Tem tanta coisa que, às vezes, está na nossa frente e não enxergamos. Nós condicionamos o nosso olhar a reparar sempre nas mesmas coisas, meu desafio diário é escapar disso.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

A escultura de cervo é a minha peça favorita. Foi a minha primeira escultura e quando ela ficou pronta eu me senti muito orgulhosa. Eu descobri que eu era capaz de fazer coisas que nem eu mesma sabia que eu podia fazer. Ampliou meus horizontes.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Minha decisão mais importante foi a escolha de me dedicar à cerâmica. Tudo que vem a partir disso tem força. A partir do momento em que tu faz uma escolha certa, ela flui. Por isso, eu sei que, agora, é aqui mesmo que eu deveria estar. Demorou muitos meses até eu provar pra mim mesma que eu estava no caminho certo, e mostrar isso para os outros também.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Eu sou bastante ligada à fotografia. Quando jornalista, eu trabalhei como fotógrafa também. Minhas principais referências são de fora do mundo da cerâmica. Um fotógrafo que me influencia bastante é o Reuben Wu, ele tem uma estética que beira a realidade. Eu gosto de como as imagens dele fazem eu me sentir. E o modo como eu me sinto reflete diretamente no meu trabalho em cerâmica.

Na cerâmica, eu tenho prestado atenção no trabalho da Crystal Morey.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu não sinto isso no meu trabalho. A maior parte do meu contato são com outras ceramistas. E isso nos fortalece. Mas de uma maneira geral, o mundo ainda é machista demais. Parece que é muito mais fácil uma mulher ser mal interpretada quando se expressa.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Estar consciente. Do meu trabalho, das minhas escolhas, das pessoas que eu zelo ao meu redor.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Se você tem certeza do que você quer, vá em frente. Sempre vai ter alguém para dizer o contrário, mas no final das contas só você pode viver a sua vida.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Em agosto, eu lanço a minha segunda coleção de cerâmica, ela se chama: Água e Sal. Isso porque, ela é inspirada no mar e na areia da praia. A escritora e amiga Cris Liboa sempre repetia a frase: "a cura para qualquer coisa é água salgada: suor, lágrimas ou o mar" (Isak Dinesen). E eu acredito nisso.

Laryssa Araujo por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas