m
Kemmy
Fukita
Brasil
vivendo em Paranavaí . PR
21 anos . ilustradora

Sou uma típica libriana indecisa, formada em Design de Moda, encontrei na ilustração uma forma de me expressar. Meu contato com os desenhos começou pelos quadrinhos e vídeos da Turma da Monica e sempre gostei de experimentar materiais diferentes para desenhar.

O último e mais recente material que encontrei para as ilustrações, foram os filtros usados do café da minha mãe e no ano de 2015, a ideia deu tão certo que acabei criando a página no Facebook, chamada ‘’No Filtro’’, onde realizo desenhos neste material, com postagens nas redes sociais e encomendas personalizadas. Atualmente além dos filtros, também trabalho em um estúdio de animação e grife independente da minha cidade, chamado Raspa Língua, onde tive a oportunidade de obter contato com a ilustração digital.

Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Atualmente o material que mais utilizo é o papel do filtro de café usado. Sempre gostei de experimentar diversos materiais para ilustração, como pratinhos de papelão e hashi de madeira, mas foi nos filtros que pude me expressar melhor e ainda ficar com aquele aroma de café nos desenhos.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Com o desenho consigo me conectar comigo mesma e isso me motiva muito. Sempre fui uma pessoa muito tímida, mas com os filtros acabei me soltando e pude ter um contato maior com as pessoas. Acredito que minhas grandes inspirações são de materiais rústicos e botânicos e isso acaba refletindo na minha identidade com os desenhos nos filtros.

Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Meu processo criativo é feito pela observação. Quando vivencio algo inspirador, costumo guardar essas informações em forma de imagens, redes sociais como o Instagram e o Pinterest me ajudam muito nestes registros e estudos.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Ao longo do tempo eu aprendi que não devemos fugir dos nossos sentimentos, então quando não estou com ideias criativas eu acabo vivendo isso e deixando fluir. Acredito que a criatividade é um processo e não um resultado final, então qualquer livro, fotografia, música, entre outros meios, podem servir de inspiração e me manter criativa.

Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

É nesse momento que minha indecisão libriana bate forte, mas tem um projeto que foi bem marcante por se tratar da minha primeira encomenda dos filtros, que foi uma ilustração do escritor Charles Bukowski.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Em um evento literário do Colégio Paroquial da minha cidade, ocorreu uma exposição dos trabalhos acadêmicos com a temática de poesias virais e o uso dos filtros de café, obtendo como inspiração a minha página e isso acabou sendo muito gratificante e motivador.

Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Com os filtros eu acabei entrando no mundo da escrita e meu pai é minha maior inspiração nessa questão, ele é poeta e todo poema que o faço ele me ajuda bastante. Nas ilustrações as cores começaram a fazer um grande sentido e atualmente tenho o cineasta Wes Anderson como influencia nas paletas de cores.

Em questões poéticas ilustrativas, admiro muito o estilista Ronaldo Fraga, devido aos seus croquis que contam histórias. Nos traços, tenho como referencia o quadrinista Jeff Lemire e a ilustradora Liliya Goncharova.

// Ainda existe algum preconceito em relação à mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sim, infelizmente. Na ilustração o reconhecimento ainda é muito maior por ilustradores homens do que mulheres.

Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Poder transmitir algum tipo de conhecimento ao próximo, me deixa muito feliz e realizada, é algo imaterial e que pode servir como registro de memórias.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

A minha dica seria de agir com medo, pois não tem como escapar desse sentimento e muitas vezes ele gera um bloqueio, e isto deve ser levado como uma motivação e não como impedimento de alguma realização.

Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
Kemmy Fukita por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Um projeto que tenho para os filtros é poder criar um site de loja online, onde eu possa expandir o acesso da minha arte e também pretendo montar oficinas para crianças com necessidades especiais, que envolva os processos criativos, inclusive o meu artigo de Pós – Graduação foi relacionada à esse assunto e me motivou ainda mais nesta proposta.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas