m
Julia
Mota
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
28 anos . artista

Sempre gostei de observar os espaços em que eu me encontrava. Talvez a vontade de entender melhor esse espaços tenha me motivado a procurar a faculdade de arquitetura, onde completei minha graduação. Durante o curso, no entanto, percebi que projetar espaços funcionais não era exatamente o que mais me instigava: eu desejava criar meu próprio mundo.

O primeiro contato que tive com uma prática de artes visuais foi nas aulas de aquarela com o professor e artista Tuneu. Foi lá que aprendi a dominar uma linguagem pictórica com a qual eu pudesse expressar minhas vontades espaciais. Ao longo da graduação fiz alguns cursos livres de gravura e pintura e acabei me aproximando mais desse campo de atuação profissional, deixando a arquitetura de lado. Recentemente completei um mestrado em Poéticas Visuais na ECA-USP, onde tive a oportunidade de desenvolver uma pesquisa de três anos em torno do meu próprio trabalho artístico, o que foi muito gratificante e me mostrou novos caminhos para eu continuar minha prática.

Julia Mota por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Pincel, tinta (aquarela, acrílica, óleo), papel, tela, rolinhos de borracha, cobre, ácido, prensa de gravura. Eu costumo trabalhar com imagens no plano bidimensional, desde a fotografia, até a pintura e a gravura. Gosto particularmente dos processos gráficos, como a gravura em metal, xilogravura, monotipia. E claro, a aquarela, onde tudo começou.

Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Gosto muito de observar os espaços em que me encontro e tento sempre tirar alguns temas para meus trabalhos a partir de experiências e situações vividas. O que me move a fazer a maioria dos meus trabalhos é uma vontade de transformar esses espaços, de encontrar outras leituras que deem algum outro sentido para eles. Para me inspirar, costumo pesquisar obras de outros artistas com os quais eu tenho afinidade.

Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Muitas vezes parto de imagens fotográficas que capturo nas ruas da cidade onde vivo e vou trabalhando essas imagens até elas se distanciarem da foto original. Mais recentemente, desenvolvi alguns exercícios de composição geométrica baseados em processos intuitivos, pesquisando a relação entre cores, formas e proporções. Na maioria das vezes, meus trabalhos são realizados sem projetos. A própria experiência do fazer me leva a caminhos que eu não esperava. É dai que vem uma sensação muitas vezes gratificante, de encontrar algo que eu não sabia que estava procurando. De qualquer forma, penso que as cores, imagens e ideias que estão presentes nos meus trabalhos derivam sempre de uma narrativa pessoal. Tem muito a ver com o estado de espírito em que me encontro, como se o meu trabalho criativo fosse uma continuidade de mim mesma.

Julia Mota por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Ver exposições, filmes, pesquisar sobre artistas que me inspiram, ou mesmo procurar conhecer outros artistas contemporâneos (Instagram é uma ótima ferramenta para isso).

Uma coisa que me inspira particularmente é ouvir música enquanto trabalho.

Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Uma série de monotipias que fiz no final da minha pesquisa de mestrado. Me parece que essa série sintetizou muito do que eu vinha procurando na pintura e na gravura. Houve um aprofundamento na técnica da monotipia, o que foi muito gratificante para mim: foi a descoberta de uma nova forma de expressão que era exatamente o que eu estava procurando no trabalho. Fiquei muito feliz em ver essa série exposta no Espaço das Artes da USP, em um grande espaço expositivo, e todas juntas.

Julia Mota por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Sim, quando entrei para o programa de Pós Graduação em Artes Visuais da USP. Passei a acreditar mais no meu trabalho e fiquei muito motivada em investir meu tempo na minha própria produção. Durante muito tempo vi minha prática como um hobby ou algo muito pessoal. Esse foi um marco que me fez levar mais a sério meu próprio trabalho, e também a aprender intuitivamente um método para pesquisar e produzir com regularidade.

Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

A lista é longa! Vai desde os mestres italianos, como Piero della Francesca, até Sean Scully e Agnes Martin. Procuro também referências arquitetônicas e fotográficas. Enfim, quase tudo me inspira.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Na minha experiência pessoal, por enquanto, não vivi nenhuma situação em que senti algum preconceito. É evidente que na história da arte os homens são maioria, mas penso que as mulheres vêm conquistando muito espaço nesse campo.

Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Frio, tomar café, um dia produtivo no ateliê, papéis (muitos!), misturar cores, abraçar meus gatos (e meu namorado), cheiro de tinta gráfica, ter meus amigos perto, ver meus trabalhos expostos, fazer coisas bonitas, entrar no mar, dormir muito, cozinhar.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Insista sempre no seu trabalho, mesmo nos momentos mais baixos. Mesmo que a vida burocrática engula seu tempo, tente reservar 15 minutos por dia para trabalhar ou pensar. Se possível, vá aumentando esse tempo gradualmente. Apesar de tudo isso, o tempo criativo não se mede em minutos. Coloque um som e vá fundo!

Julia Mota por Projeto Curadoria
Julia Mota por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Estou fazendo alguns estudos para uma série de pinturas em que procuro relacionar formas e composições geométricas com alguns sentimentos e ideias. Tem sido bastante desafiador me distanciar de um trabalho mais ligado a situações arquitetônicas, que era o que eu vinha fazendo até agora. No momento, tenho vontade de romper com aquilo que vinha fazendo e procurar um novo caminho. Vamos ver...!

COMPARTILHE
b
//+entrevistas