m
Jacqueline
Paz
Brasil
vivendo em Embu das Artes . SP
37 anos . artista . artesã

Sou artista autodidata. Nasci em São Paulo e moro no município de Embu das Artes. Ainda na infância tomei gosto por fazeres manuais, costura e desenho. Aos 20 anos conheci a estamparia em tecido e passei a utilizá-la como mais um suporte para minha arte. Cheguei a frequentar a faculdade de Design Gráfico, mas percebi que o meu processo de criação é mais orgânico. Há dois anos decidi empreender e criei o ateliê Kintê. Comecei produzindo alguns acessórios e estampando tecidos para serem utilizados como turbantes. Atualmente, fazem parte dos trabalhos do ateliê não apenas a estamparia de turbantes e acessórios, mas também de bolsas, peças para decoração, e a pintura artística em diversas superfícies.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Me expresso principalmente através do desenho e da pintura. Tenho paixão pelas tintas mas uso diversos materiais: lápis, canetas, aquarela, corantes, spray. Quando há necessidade, utilizo ferramentas digitais como o Photoshop. Gosto de ilustrar diversas superfícies, para mim não há limites. Pode ser uma parede, papel, tela, tecido, ou objeto. Também crio alguns acessórios, sempre com interferências da pintura.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

A minha motivação para criar é a vontade de ver meus projetos prontos para mostrar pro mundo e poder sobreviver desse trabalho. Minhas inspirações vêm da natureza, da cultura africana e afro-brasileira, da ancestralidade, mulheres negras, das conversas com a minha filha, memórias da infância e pessoas.

// Como é o seu processo criativo?

Pesquiso muitas imagens e também tiro fotos de paisagens, plantas, flores. Gosto de observar as paletas de cores de roupas tradicionais, principalmente africanas. Sair do campo das imagens e ler sobre história, ancestralidade e a sociedade também faz parte desse processo.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Gosto de desenhar pequenas coisas, sem o compromisso de ser algo para um projeto, só pra exercitar o traço ou expressar um pensamento. E às vezes um rabisco despretensioso vira algo maior quando o observo em outro momento.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Sempre tenho um apreço pelos últimos projetos que faço. Mas tenho que destacar minha última estampa se chama “Cana”, foi um exercício proposto em um curso sobre estamparia e africanidade. Esse tema me remeteu aos antepassados que trabalharam em canaviais.

Outro projeto que gosto muito é o vídeo que fiz em parceria com meu amigo Mário Deganelli para divulgar os produtos da Kintê. O retorno das pessoas foi muito bom.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Um marco importante foi o fato de me assumir como artista, quando decidi criar a Kintê Ateliê. Passei anos em empregos desgastantes que não permitiam que eu vivenciasse os trabalhos artísticos. Fiquei algum tempo sem produzir e cheguei a crer que não tinha mais capacidade artística. Mudar essa chave e voltar a acreditar no meu potencial foi uma escolha e atitude libertadora. E me sinto feliz assim.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Há muito tempo tenho uma ligação com a Arte Naïf e o estilo refletiu em alguns dos meus trabalhos. Com a maturidade, artistas que dialogam mais com minha realidade e sentimentos passaram a chamar mais a minha atenção. Gosto dos trabalhos da Rosana Paulino, da designer Goya Lopes, Jean-Michel Basquiat, das canções da Nina Simone. Gosto de ver o que outros artistas negros do campo das artes visuais estão fazendo, porque são experiências diferentes da visão eurocêntrica. Posso dizer que o que me inspira vendo esses artistas não é exatamente as formas estéticas de seus trabalhos, mas sim suas ideias e experiências.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Apesar das nossas lutas, certamente ainda há. No campo das artes talvez seja mais sutil, mas quando desvalorizam nosso trabalho ou tentam nos silenciar de alguma forma já são indícios. Não percebo isso diretamente no meu trabalho mas sei que muitas artistas passam por isso.

// E o que te faz feliz?

Ter condições para produzir, ver minha filha crescendo e sendo uma pessoa sem preconceitos, pagar as contas, o caos do meu ateliê, conversar com os amigos, ver as pessoas que eu amo bem.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Exercite sempre. Mesmo que a expressão artística não seja seu principal meio de sobrevivência, não esqueça da sua arte nem deixe de produzir o que você gosta, tenha confiança no seu talento.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Pretendo ainda esse ano iniciar um projeto de workshop ou oficina de estamparia. Quero intensificar as minhas produções em artes visuais e também uma nova série de estampas com uma temática afro-brasileira. E que o universo traga novos projetos.

Jacqueline Paz por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas