m
Jacqueline
López
Brasil
vivendo em Florianópolis . SC
30 anos . ilustradora . tatuadora

Manézinha da ilha, nascida e criada na ilha de Florianópolis. Ariana com ascendente em peixes, ou seja, nem uma coisa nem outra.

Acredito que desde criança sempre tive uma veia criativa, adorava desenhar, artesanato, aulas de educação artística e de alguma maneira ou outra eu tentava expressar esse lado artístico. Porém os anos passam, a adolescência chega e na busca pelo meu lugar no mundo esse lado artístico adormeceu. Fiquei anos sem necessariamente me dedicar a isso, porém a criatividade sempre andou comigo, por isso a minha escolha de carreira foi publicidade.

Sou formada em Publicidade e Propaganda há 9 anos e desde então sempre trabalhei na área como diretora de arte. A minha passagem pela publicidade foi de extrema importância para minha carreira, eu entrei na área já sabendo que não permaneceria nela, havia algo de errado ali e eu não me identificava com o papel que eu estava fazendo. Mas apesar de todas as frustrações da carreira, foi exatamente ela que me impulsionou a buscar algo com mais significado. Foi dentro da agência, rodeada de ilustradores que a minha vontade de desenhar voltou, fui fazendo rabiscos em folhas de rascunho e aos poucos eu comecei a acreditar que aquele poderia ser um novo caminho, que eu conseguiria alinhar arte com propósito.

Os anos se passaram e novos caminhos se abriram, comecei cada vez mais a me dedicar ao meu trabalho autoral em paralelo com a carreira de diretora de arte até o momento que houve a ruptura, o cansaço mental e físico fizeram eu parar.

Ali naquele momento eu sabia; era hora de mudar de rumo.

Faz um ano dessa decisão e tudo fluiu conforme deveria, sinto que finalmente sigo meu coração e nada mais justo que as coisas deem certo quando seguimos nosso coração, não é mesmo?

Em dezembro de 2016 um grande amigo de infância me fez o convite para ser aprendiz dele no seu estúdio de tatuagem, o medo estava ali presente mas a vontade de viver de acordo com o que eu acreditava era maior. Aceitei o convite. Por meses fui a sombra dele, acompanhava horas de trabalho empoleirada atrás do seu ombro, observando cada traço, cada técnica. E o amor pela tatuagem foi crescendo. Há 4 meses eu fiz o meu primeiro traço, nele mesmo. Como um rito de passagem, sem querer, a tatuagem foi feita na madrugada do dia 20/04/17, quando eu completava 30 anos. E a vida me deu esse presente. Ainda sou uma aprendiz, talvez vou me considerar eternamente aprendiz, pois nessa área estamos sempre aprendendo algo, às vezes relacionado a técnica, às vezes relacionado a vida. Pois a troca diária com todos os meus clientes fazem eu aprender todos os dias, é maravilhoso.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Eu gosto muito de trabalhar com o nanquim, foi assim que eu iniciei meus primeiros rabiscos. Mais tarde eu trouxe vida pro preto e inseri a aquarela no meu trabalho. Mas hoje em dia eu gosto de utilizar e misturar diversos materiais; tinta acrílica, pasteis, guache, lápis coloridos, canetas e agora o meu principal instrumento de trabalho: a agulha.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

A minha arte vem de dentro pra fora, sou motivada por sentimentos e inspirada pela natureza. Nasci numa ilha, rodeada de natureza e mar, com certeza minha maior inspiração é essa. Além disso, sou mulher e é inevitável para mim não usar isso como inspiração também, o lado feminino é muito presente na minha vida e isso acaba se expressando no meu trabalho, o mergulho que fiz no meu interior se transmutou em arte e com certeza toda essa magia que não podemos ver serve também como inspiração para o meu trabalho.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Não tenho uma rotina pré definida, algumas vezes as ideias vem e eu anoto num bloquinho para mais tarde dar vida à elas. Outras vezes eu apenas quero criar algo, e a partir daí eu mergulho em referências, fico horas olhando os trabalhos de outros artistas até que me sinto preparada parar criar algo meu.

Eu gosto muito de criar em casa, no meu recanto. Muitas vezes coloco algum filme de fundo, ou algum canal do Youtube (gosto de canais sobre livros) e fico escutando de fundo enquanto a arte se cria, gosto de iniciar e terminar o processo no mesmo dia, às vezes não é possível devido ao tamanho do projeto, mas sempre que posso termino no mesmo dia, mesmo que levem horas a fio.

E tento manter uma rotina artística, de criar pelo menos um sketch por dia, pois a correria da vida faz os dias passarem rápidos demais e quando me dou conta estou há dias sem de fato criar.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu estou sempre em contato com arte, as redes sociais hoje em dia facilitam isso, por isso mais de 70% das pessoas que tenho nas redes são artistas, isso me ajuda a ter novas ideias, a não me deixar estagnada. Além disso, eu vejo muitos filmes e leio muito, apesar de eu não trabalhar com esses meios, acredito que eles estimulam muito o lado criativo do cérebro, além de ajudarem nos bloqueios criativos.

E viajar, ir para o mundo transforma nossas mentes.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Não saberia apontar, são tantos, a cada dia um novo se torna o preferido. E acho que isso tem a ver com a minha própria evolução, tanto artística quanto pessoal, pois a cada dia eu me encontro mais e mais na minha própria arte.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Sim, houve alguns marcos importantes. O primeiro deles foi o dia que fiz uns rabiscos numa folha e alguns colegas elogiaram, aquilo pra mim foi tão significativo e importante, pois foi a partir daquele dia que eu comecei a explorar mais a técnica de desenhar. E anos depois a decisão que em 2016 eu largaria meu emprego fixo para me dedicar a algo que fosse mais significativo para mim. E novamente em 2017 a troca de carreira de publicitária para tatuadora.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Eu nunca parei para realmente analisar de onde vem minhas influências, tudo vem de forma tão orgânica e natural que fica difícil para mim apontar. Acredito que tudo e qualquer pessoa pode ser uma influência e/ou fonte de inspiração. E artistas, nossa são tantos, não? Tem muito artista bom no mercado, artistas mais experientes, artistas novos, estaria sendo injusta em citar apenas alguns aqui. Pois com certeza sou influenciada por uma gama muito grande de artistas. Sem sombra de dúvida ver o trabalho dos outros me influencia a sempre ir além, me dedicar mais, estudar mais, por mais alma no traço.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sim, existe claro. Talvez dentro da minha bolha eu não tenha de fato sentindo esse preconceito, ou talvez tenha feito vista grossa para tal. Nunca fui uma pessoa que me deixei abalar por isso, nunca me vi como vítima e sempre penso nisso como um combustível para ir além e levar outras a irem além também. Aos poucos vamos caminhando para quebrar esses preconceitos, é uma caminhada lenta, porém continua.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Trabalhar com arte e despertar sentimentos bons nas outras pessoas através do meu trabalho me faz feliz. Tomar um cafezinho da tarde, ir de encontro a natureza, escutar o canto dos passarinhos pela manhã. Ter liberdade, não me sentir enclausurada pelas minhas escolhas de vida, viajar.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Se dedique, não tenha medo de se expressar e principalmente divulgue seu trabalho. Todos sempre seremos julgados, ninguém é perfeito. Acredite, sempre terá alguém que vai se identificar com o que você está fazendo e é aí que a magia acontece. Se ame e se aceite, não tenha medo de olhar para dentro, é ali que mora sua arte, você.

Jacqueline López por Projeto Curadoria
Jacqueline López por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Sim, minha nova carreira como tatuadora. Como havia dito, esse é um novo caminho que estou percorrendo, estou no início ainda, mas já enxergo um grande potencial. Meu público em sua grande maioria são mulheres e isso me enche de alegria. Quero de alguma maneira transmitir algo de especial para todas essas pessoas que passam pelas minhas mãos, quero eternizar sentimentos e momentos através da arte no corpo.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas