m
Hajin
Bae
Coréia do Sul
vivendo em Seoul . Coréia do Sul
38 anos . designer . ilustradora

Olá, meu nome é Hajin Bae (a.k.a. Soulist Autora), uma ilustradora, designer gráfica e diretora de arte vivendo em Seoul na Coréia do Sul. Meu trabalho inclui capa de álbuns de bandas, festivais de música, revistas de moda e também para a marca Nylon Japan. Também já trabalhei para uma edição limitada da Sprite e fiz a capa de um livro para a publicação italiana Rozzoli.

Hajin Bae por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Eu desenho e faço arte com qualquer material ou ferramenta que esteja disponível ao meu redor. Doze anos atrás, eu comecei a preferir trabalhos digitais e comecei a desenhar e colorir minha arte usando Photoshop e Illustrator. Isso me permite fazer edições rápidas baseadas nas alterações que o cliente pede e finalmente criar uma prova final mais efetiva para designs comerciais. Atualmente, Photoshop e Illustrator se enquadram melhor na minha arte e design.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Eu pensei muito sobre isso por um longo tempo. De onde eu tiro minha inspiração? O que percebi um tempo atrás, foi que eu me inspiro em muitas coisas da minha vida. As músicas que amo, a moda que sou fascinada... você sabe... Tudo que eu sempre amei é inerente em minha vida. Em que música eu estava naquela época? O que me toca de volta à aquilo? Essa é a resposta para aqueles momentos que tiveram grande impacto em mim.

// Como é o seu processo criativo?

"Existem três componentes bem misturados e balanceados: inspiração, paixão e sensação."

Na verdade, quando inconscientemente eu sinto falta de um desses componentes eu paro de trabalhar por um tempo e me renovo assistindo um filme, teatro ou moda. Energia criativa só é possível enquanto me permito tempo suficiente, condição mental e física para encontrar a resposta para a questão: “O que é mais criativo?” que me questiono constantemente.

Hajin Bae por Projeto Curadoria
Hajin Bae por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

"Continue a criar e absorver nutrientes para melhores ideias criativas."

Desde o momento em que reconheci o nome, Hajin como eu mesma, desenho e crio a cada hora acordada. Olhando para trás, minha identidade individual está entrelaçada com a criatividade desenvolvida ao longo da minha vida. Meus olhos, mãos e pensamentos continuam a se mover mesmo quando não desenho. Esse fluxo de energia não mudou muito e tornou-se meu padrão subconsciente e uma rotina diária recorrente. Talvez, você possa compará-lo a uma planta que obtém nutrientes do solo.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Para projetos comerciais o “Sprite Summer Special Edition 2015” – na Coréia do Sul – é o meu favorito.

Esse trabalho foi uma grande honra para mim. Fiquei agradavelmente surpresa ao ver uma foto da minha arte feita pelos meus amigos nas redes sociais. Sou agradecida por viver em uma era tão interativa.

Hajin Bae por Projeto Curadoria
Hajin Bae por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Quando eu ouvi dizer que meu trabalho estava sendo usado em escolas de arte como inspiração para estudos no mundo inteiro, eu deixei uma mensagem assim no meu blog “Olá, meu nome é Hajin Bae (a.k.a. Soulist Aurora), eu sou ilustradora, designer gráfica e diretora de arte, e eu vivo em Seoul na Coréia do Sul. Esse é o meu trabalho artístico. Eles são meus, mas a “inspiração” pode ser sua. Então vá em frente, e pegue se você quiser”. A razão para isso, foi encorajar estudantes de arte a aproveitarem minha arte como propósito educacional. Eu acredito que talento gera talento.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

“Audiência anônima, por assim dizer”

Imagino uma audiência anônima que me observa silenciosamente do espaço interior e exterior. Eu me vejo como uma atriz em um monodrama, diante de uma audiência no escuro. Na realidade, o que realmente enfrento é nada além de uma tela em branco. A constante solidão faz parte do meu trabalho e, portanto, meu carma. Eu simplesmente estou tocando minha parte. Imagino que o público está a julgar e aplaudir às vezes em minha performance. Este companheiro imaginário afeta meu trabalho mais do que qualquer coisa e, finalmente, me empurra para os meus limites criativos.

Hajin Bae por Projeto Curadoria
Hajin Bae por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Não no meu trabalho. No entanto, testemunho o preconceito na nossa sociedade contra as mulheres por expressarem livremente a sua beleza natural quando leio comentários rancorosos nas redes sociais ou YouTube sobre a roupa ou a performance das cantoras pops.

// E o que te faz feliz?

Essa pergunta. Ser questionada sobre o que me faz feliz é uma ótima coisa. Eu também amo música, filmes, moda, andar pela cidade de Seoul e café.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

"Espero que você não desista facilmente ou não se esgote facilmente”

Às vezes, a dor e a tristeza podem ser uma força motriz para a criatividade. Apenas não seja engolida pela emoção. Mantenha a harmonia e o equilíbrio entre vida e trabalho, e projete dor e tristeza em sua arte. Ser artista é uma jornada difícil, mas doce e gratificante.

Hajin Bae por Projeto Curadoria
Hajin Bae por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Atualmente, estou planejando uma colaboração com um fotógrafo inglês em um projeto onde as imagens se encontram com a ilustração. Agora estamos fazendo um brainstorming. Estamos ansiosos para uma bela mistura de suas fotos e minha arte.

Hajin Bae por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas