m
Gabriela
Risso
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
25 anos . ilustradora . designer

Sou de São João da Boa Vista, interior de São Paulo. Sempre gostei de experimentar, e quando era mais nova fiz um pouco de tudo, aula de desenho, pintura em tela, biscuit e até bordado.

Fui buscando caminhos e com o tempo fui aprendendo que criar era a melhor forma de canalizar meus pensamentos e sentimentos.

Usava a arte como forma de contestar as pessoas a minha volta, hoje em dia funciona mais como uma terapia, uma forma de meditação.

Com o tempo São João se tornou pequena demais para mim, para os meus objetivos, queria aprender mais, me conectar com novas pessoas e experiências, então vim estudar em São Paulo.

Conheci e continuo conhecendo pessoas incríveis, aprendendo muito a cada dia e cada vez mais trabalhando para consolidar o meu trabalho autoral.

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

O desenho à mão principalmente! Quando sobra um tempinho gosto de pintar também, aquarela, nanquim... ultimamente estou tentando aprender mais sobre pintura digital.

E de um jeito amador gosto muito de colagens, fotografia, linoleogravura...

As vezes escrevo, mas só pra mim, meio que pra organizar e registrar os pensamentos.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Pessoas interessantes me inspiram, imagens bonitas, trabalhos de pessoas talentosas, e aí me dá vontade de criar também.

Gosto muito de pesquisar, me perco no Pinterest, no Behance, bibliotecas, livros, histórias em quadrinhos, mangas, animações, filmes.

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

A ideia surge. Eu gosto de pesquisar um pouco antes de começar, procurar algumas fotos de referência, e aí é todo um ritual pessoal, coloco uma música, acendo um incenso, fico confortável, vou rascunhando e geralmente o meu processo é um pouco lento. haha...

Gosto de rascunhar, fazer uma pausa, dar uma volta, olhar novamente para o desenho pra ter certeza se é assim que eu quero que comece, daí finalizo o rascunho, mais uma pausa, depois passo nanquim.

Assim tenho novas percepções cada vez que olho para o desenho antes de finalizar. Para mim, dessa forma tenho mais chances de ficar feliz com o resultado final.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Observo bastante, tento anotar todas as ideias, procuro me informar sobre projetos interessantes, exposições, trocas de experiências me mantém criativa.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

As estampas/identidade visual da Maria Tangerina, a vitrine da pop up store MT + Somos55, o cartaz do jardim secreto, e todos os trabalhos que fiz para amigos!

A energia que envolve cada parceria acaba contando até mais do que o trabalho em si, são pessoas que eu admiro, e acabo feliz com o resultado na maioria das vezes.

De trabalhos autorais, acho que o meu preferido foi o meu projeto de TCC, que é uma série de ilustrações sobre deusas pagãs em shapes de skate. São temas que me fascinam, acabou sendo fácil e divertido de pesquisar.

O projeto físico ainda está inacabado, mas eu gosto muito das ilustrações.

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acho que muitos momentos foram importantes, cada um deles me fez refletir sobre o que eu estava criando, sobre como as pessoas absorvem o meu trabalho e qual o impacto disso.

Quando decidi me mudar para São Paulo, quando comecei a trabalhar e entender como o mercado funciona, quando eu participei da primeira feira expondo meus prints e tive um feedback de clientes, isso tudo contou muito.

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

São muitas pessoas incríveis e talentosas, não consigo lembrar de todos agora, mas me inspiro muito em mulheres fodas, como a Patti Smith.

Amo as ilustrações de MaiS2, Karina Eibatova, Martine Johanna, Thaiz Leão e também do Hugo Abacrombie Ink e Dirty Robot.

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu acho que sim, ainda existe.

Eu participei de uma exposição no MIS uma vez, organizada pelo Jardim Secreto, sobre o Feminismo e o tema que eu escolhi abordar foi o machismo da própria mulher que não se aceita e não se permite sentir prazer sozinha. Desenhei uma vagina com um olho por dentro e a frase: “se tocar não é tabu”.

Logo depois vieram me perguntar: mas tinha que ser tão explicito? E a resposta é sim! Tinha sim, pois esconder só reforça a ideia de tabu.

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Estar com as pessoas que eu gosto, ver o meu trabalho ser reconhecido, saber que a minha família está bem.

Meus amigos! Sentar pra tomar uma cerveja e jogar conversa fora, conhecer pessoas, ficar em casa também, e ter tempo para descansar e fazer as minhas coisas, ver desenho, organizar o armário. Comer!

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Eu acho que o mais importante é ser honesto com você, com os outros artistas e com quem vai comprar a sua arte.

Reconhecer suas influências e inspirações, mas ser sempre original, buscar fazer um trabalho único, encontrar o seu estilo, mas sempre se permitir experimentar novas linguagens, há espaço para todo mundo!

Gabriela Risso por Projeto Curadoria
Gabriela Risso por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Sempre existem projetos paralelos com a Maria Tangerina, marca de dois amigos queridos. No momento estamos trabalhando em atualizar a identidade visual.

E alguns projetos pessoais, ideias que tive e ainda não tive tempo de pôr em prática, séries de ilustrações.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas