m
Fernanda
Spilborghs
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
44 anos . joalheira

Sou designer formada pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo com especialização em arte-educação pela Universidade de São Paulo. Descobri a joalheria com uns 16 ou 17 anos e neste tempo as poucas escolas de joalheria de São Paulo não davam aula para menores de idade, quando fiz 18 anos e já cursando Arquitetura (minha primeira faculdade) foi que comecei na joalheria e de lá para cá nunca mais larguei, estagiei em muitos ateliês e tive oportunidade de trabalhar em grandes indústrias também, estas experiências foram muito importantes para dar um caminho para o que mais para frente seria a minha forma de trabalhar.

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Venho de uma escola da joalheria contemporânea onde podemos pensar em joia de uma forma mais ampla, uso o corpo como suporte para me expressar, embora utilize a prata e o ouro como materiais "base" do meu trabalho, todo tipo de material pode ser incorporado para criação de uma peça.

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

O ofício por si só já me motiva, adoro as mil possibilidades que a joalheria me possibilita, transitar por outras artes... Muitas vezes o processo por si só já é tão prazeroso ou mais do que ver a peça pronta.

Por vezes a inspiração para uma nova peça pode vir simplesmente de uma técnica que estou estudando, às vezes um filme que acabei de ver, todo aquele universo imagético que vamos acumulando e que fica no nosso subconsciente vai me despertando para o novo .

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Como coloquei rapidamente na questão anterior, às vezes no dia a dia no ateliê estudando e pesquisando aparece algo que me surpreende, por exemplo, minha última coleção que fiz em parceria com a designer Tais Francelli foi assim, estávamos estudando uma técnica muito antiga, milenar da joalheria usando um mineral chamado Mica por ser um material ótimo condutor de calor ele é muito utilizado nas grandes indústrias que fabricam fio elétrico, enfim, vimos neste material que estávamos usando como meio para chegarmos em um determinado resultado algo que poderíamos usar como fim, e assim nasceu a coleção Lume que para mim é uma das mais lindas que eu já desenvolvi utilizando um material tido como ordinário entre os joalheiros, mas que aos nossos olhos com características incríveis .

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Não é fácil se manter criativo, ainda mais quando se produz muito, o que é meu caso, às vezes me pego caindo nos meus vícios, sabe quando você sabe que determinada forma funciona, ou que aquele material é bem aceito... acho que a arte e a natureza sempre foram belos combustíveis.

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Um dos meus projetos preferidos foi ter conseguido desenvolver, ainda que por pouco tempo - durou 3 anos - uma oficina profissionalizante de joalheria artesanal dentro de uma ONG chamada projeto Quixote, durante este tempo, muitos garotos conseguiram conhecer um pouco do ofício e alguns estão trabalhando na área até hoje.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acho que uma coisa bem bacana foi ter participado da primeira Bienal de Design de São Paulo, foi incrível.

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Tive alguns professores que foram fundamentais para minha formação como artista, assim como um tio artista gravador que teve influência máxima na minha vida.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Apesar das pessoas desconhecerem isto, o mundo dos joalheiros/ourives é extremamente machista, sim, já tive algumas dificuldades por eles acharem que eu não seria capaz simplesmente por ser mulher.

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Sou muito grata pela vida que tenho, nunca foi fácil, batalho muito até hoje depois de 20 anos de profissão, mas a felicidade de ter achado neste mundo com o qual posso me expressar é incrível, sim, ser uma artista independente me dá um prazer enorme.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Ouvir o seu coração e experimentar muito, e se divertir com estes experimentos sem se prender aos resultados.

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Hoje em dia meu projeto, nem mais tão novo, é minha escola. Descobri o quanto tenho prazer em dividir com os outros tudo que venho estudando e experimentando estes anos todos...

Fernanda Spilborghs por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas