m
Fernanda
Rodante
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
42 anos . artista
Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Principalmente tinta a óleo e acrílica sobre tela. Gosto de honrar os artistas que vieram antes de mim e manter essa tradição. Já trabalhei sobre objetos e paredes, mas a minha paixão são as telas. Atualmente faço vídeos para a internet, que podem ser vistos nos canais Musikuarella, Draw my Light e Rodante&Giffoni.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

O que mais me motiva é o ser humano, a experiência de estar vivo. Acredito que a Arte deve elevar as pessoas. Gosto de apontar para a beleza da vida, apesar de haver tanta feiúra também nessa viagem. Mas onde colocamos a nossa atenção é o que faz a diferença. Seja uma postagem nas redes sociais, um comentário, uma fotografia. Tudo compõe a nossa energia e faz parte do nosso rastro. Gosto muito de pintar frutas, plantas, animais... e o vento, sempre representado pelas pipas e cataventos.

Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Ele é bastante difícil de descrever, pois cada obra possui uma história muito particular. Alguns quadros já chegam prontos na minha cabeça. Outros vão se modificando durante o processo... Muitos começam do nada. Como me disse um professor, Jorge Franco, podemos brincar com erros e acertos. A pincelada acontece. Se ficou legal você deixa, se não gostou é só transformar.

Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

O espírito de criança, que se encanta com tudo. O exercício do olhar. Exercício mesmo, como academia ou a prática de amar. É exercitar, misturar temas, elementos, agir nessa direção. Como tudo o que é bom, também é simples. E vai se tornando algo natural, conforme damos ouvidos à nossa intuição.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Os trabalhos que fazem parte de projetos maiores, como TETO, Coletivo Cachola, Palhaços sem Fronteiras. Estamos num mundo cheio de gente, e não acredito que nossa passagem deve se restringir apenas à nossa pequenez, nosso círculo familiar e amigos. Muitos precisam de ajuda, há muito o que fazer. Ajudar ao próximo faz bem pro mundo e para a nossa alma até.

Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Tive a ajuda de muita gente. A começar pela minha mãe, Heloisa, que me incentivou a pintar em primeiro lugar. Minha tia Cléo e meu tio Léo, que deram de presente as primeiras aulas de pintura com João Carlos Pensa. Anne Colesanti, que fez minha primeira exposição individual. E Vivian Gebara, que me apresentou ao professor Chen Kong FANG, a quem irei cantar o nome até o fim da minha vida. Para mim, é sempre sobre pessoas, mais do que as minhas conquistas de expor na Suíça ou pintar ao vivo no Uruguay.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Amo os trabalhos de Marc Chagall e Amedeo Modigliani mais que tudo. Mas os artistas prediletos são verdadeiramente meus professores e os amigos Sergio Grecu, Marta Carvalho e Sou Kit Gom.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Artistas mulheres que tiveram destaque na história da arte são em menor número, refletindo a época em que viveram. Hoje em dia acredito que as oportunidades de expressão e criação são bem maiores. Nossa cultura permite isso. Mas cada pessoa tem sua experiência de vida, que reforça uma crença ou não. Eu tive muita sorte, somada à vontade de trabalhar e o mundo me sorriu. Gostaria que fosse assim para todas.

// E o que te faz feliz?

Estar viva e ter saúde para realizar projetos. Esse brilho no olho de querer fazer algo é pouca gente que conhece. Meu marido Daniel Giffoni me faz feliz, minha filha Micaella, minha sogra Therezinha, meu irmão Marcello, minhas cunhadas, sobrinhas, amigas... Vixe! Não vai dar para colocar o nome de todo mundo aqui... E a oportunidade de participar desse projeto da Nini, simplesmente fabuloso.

Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
Fernanda Rodante por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Ter vontade, arregaçar as mangas e superar qualquer desafio, por meio do otimismo e da crença de que estamos vivos para deixar marcas positivas no mundo.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Estou às voltas com os cenários do musical de Natal “Em Busca de Noel”, que vai acontecer até 30 de dezembro, no Ginásio do Ibirapuera. Uma experiência muito gratificante e feliz, algo diferente de tudo o que já fiz.

O projeto Draw My Light almeja inspirar pessoas para a Paz, o Amor, a Alegria e a Plenitude.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas