m
Fernanda
Azou Lima
Brasil
vivendo em Brasília . DF
23 anos . artista

Sou estudante de Arquitetura e Urbanismo, mas com um pé nas Artes Plásticas. Desde cedo vejo o mundo com meus rabiscos, o desenho e a pintura são minhas principais formas de expressão, já que a timidez me faz ser um tanto desajeitada com as relações sociais.

Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Desde cedo fui acostumada a um ambiente cheio de tinta, solventes, pincéis e telas, já que minha mãe tinha um ateliê de pintura em casa. Então, por um longo tempo tentei usar a pintura como forma de expressão, mas de certa forma só a pintura não me completava. Ela precisava estar aliada ao papel e às linhas do desenho. Aí me encontrei. Juntei a tinta, as linhas e o papel.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Como inspiração uso basicamente o que está ao meu redor. Os meus amigos, os amigos dos meus amigos. As noites que saímos. Todas as vezes que decidimos fazer algo inusitado na casa de alguém. Tudo é material para algum trabalho meu. Gosto de tirar fotos dessas noites para depois usar como referência para algum desenho. O que também marca meu trabalho são as pequenas referências aos vestuários do nosso cotidiano: vestimentas da Adidas ou da Nike, marcas do capitalismo que nos puxam pra nossa realidade.

Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Meu processo criativo é bem pessoal, ele está atrelado ao meu cotidiano, parte das minhas vivências, do meu modo de vivenciar a vida. Se estou passando por uma fase mais depressiva pode ter certeza que terão mais autorretratos e cores mais frias. É algo que tenho percebido ao longo do tempo. Sou uma artista nova, acredito que ainda tenho pouco domínio do meu fazer artístico, me deixo levar por essa vontade que vêm de dentro, essa intuição, digamos assim, esse oceano de emoções que tento transformar em desenhos e pinturas.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Uma coisa é sempre tentar acompanhar a minha mente. Eu estou constantemente pensando em coisas pra desenhar, pintar, escrever… então sempre levo um caderninho pra tentar capturar esses pensamentos soltos e transformá-los depois em algo que eu possa aproveitar na minha poética. Acho que mesmo naqueles dias que você não se sente bem, o que me ajuda é ler sobre mulheres artistas, aquelas bem empoderadas, que fizeram história.

Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Estou atualmente trabalhando num projeto que chama Skype, que consiste em desenhar pessoas através desse programa Skype. Seria como um modelo vivo, só que eu e o modelo não ocupamos o mesmo ambiente, o enquadramento é diferente, tudo muda. De certa forma se torna mais impessoal do que já é a nossa relação usual com o modelo vivo. A ideia surgiu quando eu comecei a namorar a distância e o Skype se tornou a única forma de comunicação entre eu e meu então namorado. É até estranho pensar o quanto que nossas relações podem depender da tecnologia para existir.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Por enquanto não, sou uma artista bem iniciante ainda, mas se alguém quiser me ajudar com isso, eu topo com certeza!!!

Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Gosto muito da Mamma Andersson, ela é minha inspiração máxima. Gosto também da Kiki Smith, do Peter Doig, Hope Gangloff, Cecilia Edefalk...

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sinto, principalmente no que tange a liberdade sexual da mulher. Quando a gente faz algum desenho ou escreve algo mais libidinoso dá pra sentir que os homens se sentem incomodados ou então eles tentam se aproveitar disso porque acham que assim vão conseguir transar contigo mais facilmente.

Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Desenhar!

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Acho que o primeiro de tudo é aceitar o seu traço! Eu demorei muito para aceitar o meu, mas quando aceitei pude trabalhar com ele e no final eu gostei do resultado, então o importante é isso, você primeiro aceitar teu traço, buscar referências de artistas que pareçam com o teu traço e trabalhar com ele, se amem, meninas! Amem seus traços!

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Sinto, principalmente no que tange a liberdade sexual da mulher. Quando a gente faz algum desenho ou escreve algo mais libidinoso dá pra sentir que os homens se sentem incomodados ou então eles tentam se aproveitar disso porque acham que assim vão conseguir transar contigo mais facilmente.

Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
Fernanda Azou Lima por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Bom, no momento estou trabalhando em uma zine que se chama Malditos Millennials, ela começou numa conversa com Annima, uma quadrinista muito querida minha. Essa zine vai ser um reflexo da minha poética, misturada com a minha escrita e mais um pouco de verdade ácida sobre a nossa geração. É a primeira vez que embarco no universo das zines, então espero que dê certo. Acompanhem o Instagram que em breve em posto alguma coisa lá sobre a zine!

COMPARTILHE
b
//+entrevistas