X FECHAR
RESPONDA NOSSA PESQUISA E PARTICIPE DO
MAPEAMENTO DE PERFIL DE
MULHERES CRIATIVAS BRASILEIRAS
DO PROJETO CURADORIA
//PARTICIPAR//
*O resultado será divulgado em forma de infográfico neste site
m
Fábia
Escobar
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
45 anos . artista
Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Eu uso material de descarte, em sua maior parte madeira.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

A investigação da relação dos materiais que um dia foram utilitários com quem os utilizou guia minha criação. Gosto de pensar que esses objetos, ou fragmentos que restaram deles, tem as marcas do tempo e a energia das relações sociais de quem os planejou, fabricou, usufruiu e descartou. Essas marcas me direcionam e inspiram em recriar essas relações numa nova estrutura, dando visibilidade para aquilo que o cotidiano e o descartar tornaram invisíveis.

Ao escolher materiais descartados - no início essencialmente de madeira - para transformá-los numa obra artística, refaço esse caminho de volta, criando uma nova relação social.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

O meu processo criativo tem vários caminhos diferentes, pode ser um conceito que gostaria de explorar e a partir daí vou buscar os materiais adequados ou pode ser um objeto, uma textura, um tipo de madeira que me direciona e define o que vou fazer. Apesar de usar a abstração em meu trabalho, as peças não são colocadas aleatoriamente, sempre estruturo as linhas principais, defino as cores e qual tipo de movimento quero expressar.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Viajar pode ser a fonte mais potente de inspiração, mas claro, nem sempre é possível, então explorar como referência o trabalho de outros artistas também é valioso, assim como estar atenta aos detalhes do cotidiano.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Atualmente estou fazendo um projeto chamado “Portas”, já fiz algumas peças mas a ideia é me aprofundar mais neste estudo e pesquisa.
Busco e compro a porta de casas antigas que foram ou serão demolidas. Imagine quantas histórias da família que viveu ali e ficaram impregnadas neste objeto.

Uso a porta como base do trabalho porque é a simbologia de como nos relacionamos, por vezes nos isolando, por vezes abrindo a porta para o convívio. Ela é um observador um integrante invisível.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Minha formação inicial foi em comunicação visual e depois me formei como designer de produto, mas já saindo da faculdade as oportunidades me levaram para o mundo digital e trabalhei com projetos web por muitos anos, estudando e trabalhando inclusive na França nesta mesma área, mas aquele desejo de trabalhar com design de produto nunca me largou.

Quatro anos atrás decidi que era hora de arriscar, sai da agência que trabalhava com a ideia de desenhar móveis. O início das minhas pesquisas foi em cima das carrocerias de caminhão e quando encontrei uma oficina com tanta madeira linda indo para o lixo foi paixão imediata, voltei para casa com todo aquele material sem saber ainda o que fazer, os quadros e painéis surgiram naturalmente a partir daí.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Eu tenho como inspiração os dadaístas que costumavam aproveitar pedaços de materiais encontrados pelas ruas ou objetos que haviam sido jogados fora em suas obras.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Esta pergunta pode ser respondida de forma mais ampla.
Eu trabalho com madeira, algo que ainda é visto como sendo do universo masculino, é pesado, é desgastante, é sujo e é perigoso. Quantas vezes já fui nas lojas comprar material ou ferramentas e fiquei esperando para ser atendida porque não acham que mulher vai entender sobre maquinário, e parafuso. Ou quando quis comprar madeira e quiseram me vender por preços absurdos pensando que eu não tenho ideia de nada. Já no que diz respeito a arte em si, nunca senti diferença ou preconceito por ser mulher, mas sim por ser artista, porque infelizmente arte é algo desvalorizado para algumas pessoas.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

No trabalho é quando encontro os pequenos tesouros...material descartado e com história. Na vida... os pequenos detalhes do cotidiano, um abraço, um sorriso, uma lembrança.

Fábia Escobar por Projeto Curadoria
Fábia Escobar por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Eu acredito que isso seja bem particular de cada pessoa e personalidade, mas para mim é necessário uma certa solidão, estar só e mergulhada neste universo de ideias e contemplação, nestes dias eu fico completamente focada no que estou fazendo. Num segundo momento, compartilhar as ideias, falar e mostrar para o outro o que estou fazendo me ajuda a organizar , desenvolver e por vezes enxergar novos caminhos O mais importante de tudo é ter paixão pelo que se faz e ser verdadeiro consigo mesmo expressando o que você sente e não se pautar em cima de modismos.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas