m
Eva
Uviedo
Argentina
vivendo em São Paulo . SP . Brasil
43 anos . ilustradora

Nasci em Santa Fé, na Argentina, e sempre ouvi que tinha talento para o desenho. Porém ao longo da vida fui me envolvendo com outras áreas, jornalismo, documentários, direção de arte, desenvolvimento web. E estudando pintura ao mesmo tempo. Foi só depois do retorno de Saturno que tirei o desenho da lista dos hobbies e passei a levar ilustração como uma profissão. E só recentemente tomei coragem de assumir um lado mais autoral, desenvolver uma série e um universo pictórico próprio.

Eva Uviedo por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Aquarela, nanquim, café e sentimentos.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Em parte é natural pegar um lápis, uma caneta e sair desenhando. Mas a parte de tentar formatar uma série, criar um conceito, é mostrar para as pessoas algo que está apenas dentro da minha cabeça. Como escrever uma teoria, só que em imagens.

// Como é o seu processo criativo?

Não tem muito segredo. Em geral estou trabalhando em projetos com objetivos bem definidos, como séries, feiras, livros. Daí ponho uma música, vou para a mesa no meu ateliê que não tem computador, para não dispersar - e desenho.

Eva Uviedo por Projeto Curadoria
Eva Uviedo por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Troco muito de suporte (papel, madeira, pratos) e de ferramentas. O processo de descoberta de uma nova superfície é sempre inspirador. E tento não deixar que a realidade me soterre; procuro sempre deixar um momento pra dar uma pausa no noticiário, ouvir música, histórias, focar nas pequenas relações, em sentimentos, o amor e suas ambiguidades.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Gosto muito dos livros que eu fiz em parceria com a escritora Clara Averbuck, o "Nossa Senhora da Pequena Morte" - Editora do Bispo, 2008 - e "Toureando o Diabo", que publicamos de forma independente em 2016. Temos muita sinergia e liberdade na hora de criar, isso se reflete no resultado. E tenho a série "Sobre Amor e Outros Peixes", que desenvolvo desde 2009, onde relaciono seres do mar com sentimentos e tipos de relacionamentos. Os personagens já apareceram em diversas ocasiões e parcerias, incluindo os livros.

Eva Uviedo por Projeto Curadoria
Eva Uviedo por Projeto Curadoria
Eva Uviedo por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Quando recebi o convite da Clara para fazer com ela o "Nossa Senhora da Pequena Morte", fiquei muito empolgada, e ao mesmo tempo um pouco insegura porque nunca tinha desenvolvido um projeto assim. Daí fiquei sabendo de um curso de imagem narrativa e ilustração de livros, do Fernando Vilela e Odilon Moraes, ambos artistas que admiro demais. Esse curso foi um marco e o que me deu base pra ir atrás de um trabalho mais autoral, além de ajudar a pensar na ilustração como algo que não só complementa o texto como vai além.

Eva Uviedo por Projeto Curadoria
Eva Uviedo por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Um dos meus artistas favoritos e que serve de grande inspiração é o Bob Dylan, pela liberdade de criação. Tem um trecho da biografia dele que adoro, da gravação de "Leopard-Skin Pill-Box Hat". Ele estava no auge da carreira e resolveu gravar um disco em Nashville, o que já era bem polêmico para um ex-artista-folk. Chegando lá pediu umas garrafas da bebida local e, quando todos já estavam altos, propôs que os músicos trocassem os instrumentos uns com os outros, e gravou a música em apenas um take. Acho genial essa coisa de pensar "vamos ver como fica se a gente fizer tudo de outro jeito?" - embora não consiga colocar em prática sempre.

Já na parte visual, sou muito influenciada pela arte japonesa e seus símbolos: peixes, mar, polvos, gueixas... Filosoficamente gosto do minimalismo do Sumi-ê (a arte do essencial) e do conceito do Kintsugi (arte japonesa da restauração). Amo desde os gravuristas Hiroshige, Hokusai e Utamaro - até as moderníssimas Yuko Shimizu, Yayoi Kusama e claro, a musa Yoko Ono com sua arte poética e política.

Eva Uviedo por Projeto Curadoria
Eva Uviedo por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Creio que sim, mas cada vez tenho visto menos barreiras - pelo contrário, vejo uma nova geração de mulheres se expressando muito livremente. Imagino que em certos ambientes ainda haja bastante preconceito, mas cada vez temos mais força para enfrentar isso.

Da minha parte, o que me incomoda um pouco é a diferença de tratamento. Acho muito estranho quando falam que meu trabalho "é delicado, feminino", como se fossem coisas naturalmente associadas. Existem trabalhos super agressivos de mulheres e homens com um trabalho super delicado, como Conrad Roset. E nunca vi falarem do trabalho artístico de um homem como "é masculino". Porque esse é o gênero neutro, né? Não gosto muito dessa associação porque dá a impressão de que faço um tipo de arte que só pode ser apreciado por mulheres, e não é verdade.

// E o que te faz feliz?

A sensação de tranquilidade quando está tudo bem à minha volta pelo menos - já que com o mundo todo é impossível. Que estamos com saúde e sobrevivendo a eventuais percalços que fazem parte da vida. E quando as pessoas dizem que algum trabalho meu as tocou, emocionou. Adoro quando alguém me diz que quer tatuar um desenho meu, acho uma baita homenagem. E viajar, especialmente pra praia, me deixa muito feliz.

Eva Uviedo por Projeto Curadoria
Eva Uviedo por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Não acredite que existem limites.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tem vários, mas o principal: transformar a série Sobre Amor & Outros Peixes em livro e exposição.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas