m
Erica
Mizutani
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
artista

Meu nome é Erica Mizutani e vivo da minha arte. Pelo menos por enquanto, até onde eu conseguir. Essa foi a ideia desde que decidi deixar meu trabalho de editoração em revistas e livros para me dedicar somente a arte. Isso já deve ter uns 13 anos, entre tempos bons e ruins ainda escolho ser artista. A autonomia é um ouro para mim que tenho 3 filhos e quero poder estar sempre perto deles, até eles mesmo enjoarem disso.

Sou inquieta, cheia de insônias e ansiedades. Estou aprendendo a me equilibrar com o tempo. Aliás um pedido, Tempo seja mais longo por favor?

Enfim, pra saber de mim basta ler meus desenhos. Eu sou eles e se pudesse me comunicar somente através deles adoraria. Verbalizar o que eu sinto é um desastre. Sempre foi assim desde pequena.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Todo tipo de tinta acrílica, aguada ou mais densa, colagem, aquarela, pincel, rolinho... Uso em paredes, papéis, madeira e objetos. De preferencia tudo a base d’água. Meu corpo não gosta de solvente.

Também ilustro no campo digital, usando tablet e Photoshop.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Intensidade me inspira. Tristeza, muita alegria, muita pressão, muita solidão... Vazios e ócio só geram preguiça em mim.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Meu processo criativo não tem uma organização linear. Depende do dia, do trabalho, do que estou sentindo. Tem dia que começo pelas cores, penso na paleta inteira mesmo antes de pensar nas massas e no desenho. Tem dia que penso na forma e depois vejo a cor que vou aplicar. É difícil explicar, mas vou me encantando no processo até ficar satisfeita. Às vezes me encanto tanto no começo que quando termino já nem sei mais se gosto tanto assim. Então cubro tudo de novo e faço até estar totalmente satisfeita.

Nunca fiz curso de nada e saí da faculdade nos primeiros seis meses. O que eu sei e aprendi foi o que absorvi ouvindo e olhando tudo com olhos, que aprendi com meu pai e com a minha curiosidade.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Manter-se criativa é uma responsabilidade enorme pra quem vive de arte. Eu não tenho fórmulas mas tenho escolhas para manter a minha mente sempre curiosa. Fazer tudo um pouco diferente mesmo nos detalhes do cotidiano me ajuda muito. É nas surpresas e nos conflitos onde exercito o meu poder de criação. Acordar e fazer sempre as mesmas coisas engessa o pensamento.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Tão difícil dizer quais meus trabalhos preferidos, cada hora me apaixono por um. Seja ele um resultado de uma saudade, seja um trabalho comercial, seja um muro feito no exterior. Tenho pequenas ilustrações que moram no meu coração. E grandes murais que me levaram longe. Vou citar o projeto LeMur em Paris que literalmente me levou além e me fez pisar num lugar que pra mim sempre foi um sonho conhecer.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Tenho tantos marcos importantes pra mim, tantos! Cada fase da vida acontece alguma coisa que me impulsiona a uma mudança estética ou me leva para um tema. Um filho que fica doente e gera um personagem num sketchbook no hospital... Uma separação amorosa que pinta uma chuva de saudades na tela, ou algo puramente estético que nasce depois de muito trabalho mesmo.

Essa montanha russa que é a vida sempre influencia o que ainda está por vir. Os marcos vão existir até eu desistir de criar.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Meus olhos sempre perseguem artistas de plataformas variadas. Amo as animações de Hayao Miyazaki, as artes de Takashi Murakami, o ilustrador sul-coreano Moonassi...

Mas uma paixão louca pelo Matisse. Quando vi uma sala só dele em Paris no Museu Pompidou meu coração ficou gelado. Imagina uma colagem tão despretenciosa e ao mesmo tempo tão corajosa pela sua simplicidade.

Esse sentimento reflete totalmente no meu trabalho. Quero ser livre assim.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu tento não pensar nessa relação, tomando como mensagens as artes de grandes artistas mulheres que provavelmente passaram por algum tipo de preconceito. Acredito que fazer acontecer é a melhor forma. Expressar os sentimentos sem pensar em travas e bloqueios externos faz você mostrar resultados sinceros. É uma forma de exigir seus direitos de mulher, artista e cidadã.

Erica Mizutani por Projeto Curadoria
Erica Mizutani por Projeto Curadoria
Erica Mizutani por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Contas pagas, comida na mesa,  e tinta boa da melhor qualidade!

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Criar com honestidade, sinceridade e muito amor. Isso gera orgulho e confiança pra qualquer coisa.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tenho, mas é surpresa... até pra mim.

FOTO DO PERFIL POR ANDRÉ SEITI

COMPARTILHE
b
//+entrevistas