m
Elissa
Rocabado
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
28 anos . ilustradora . tatuadora

Sou Elissa, moro em São Paulo,  e antes de falar o que estudei ou me formei ou trabalho, gosto de dizer, que ao invés disso, sou uma pessoa que me preocupo em aprender um pouco com cada pessoa que conheço por conta dos ofícios que sei fazer, e os que estou aprendendo ainda. Adoro conversar, trocar visões diferentes sobre o mundo e enxergar a essência de cada um. Tenho um filho lindo de 10 anos, chamado Theo, uma família muito próxima, irmãs lindas e amigas, irmãs que a vida trouxe, que fazem meu porto seguro ser mais gostoso e aconchegante. Sou uma pessoa que tem anseio por aprender novas técnicas, sempre em movimento e sempre atribuindo. Hoje, trabalho boa parte do meu tempo, fazendo tatuagens, em especial, gravuras botânicas, mas faço um pouco de tudo. Faço gravuras, estudo cerâmica, se precisar de alguma coisa gráfica desenho em parede, já tive banda e preciso de dias em que não tenho horários. Adoro cafés da manhã com pessoas que amo, faço yoga, ando de bike... acho que resumindo bem, essa sou eu!

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Ilustro a minha visão sobre elementos da flora e fauna em diversas superfícies, como a pele, parede, foto, cerâmica, madeira, tela, papel e o que mais pintar pela frente.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Poder, com a minha arte, transformar a visão das pessoas e atentá-las aos cuidados que devemos ter, principalmente com o elementar, com a botânica, com a preservação, com uma dica da minha mãe ali, com um texto que leio acolá, e repassar sempre, na maneira que me comunico, que é ilustrando.

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Dependendo da superfície funciona de um jeito. No caso das tatuagens, meus clientes entram em contato comigo, manifestando o desejo de tatuar, e no dia da nossa sessão, bato um papo, tomo um chá, e entendo o por que aquela pessoa me escolheu, quais são as expectativas dela, como posso, e se posso desenhar algo que seja a mistura do desejo dela, com aquela tatuagem que gostaria de ter. Então parto para tirar a medida do local que será, e caso ela já tenha espécies, incorporo sempre com um toque meu, ou também posso sugerir, a tatuagem como um todo. Depois faço um desenho mais limpo, ela olha no espelho, e ela gostando, eu gostando, tatuamos. Nesse momento, é onde fazemos as trocas mais legais, de vida, de medos, anseios, e ainda bem, meus clientes sempre voltam, se transformam em 3, 6, 9 indicações e segue...

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Vivo numa constante inquietação de salvar mil links para ler nesses momentos de "não fazer nada". Religiosamente cuido das plantas da minha casa para absorver o contato com a terra, sempre pesquisando, sempre absorvendo informações e lugares ou pessoas, com ideias que podem virar projetos, sempre escrevendo, seja numa nota no telefone, ou guardanapo de uma lanchonete. Acredito que a criatividade é um exercício nunca feito individualmente, nós temos que estar atentos às pequenas cenas que nos inspiram, seja um gato bebendo água da planta que está na água, seja na luz da manhã que passa pela fresta da janela dizendo que é hora de acordar, ou num bate papo com outras pessoas e claro, sempre que possível, embalado de uma boa música.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Minha formação foi em moda, mercado que trabalhei por mais de 10 anos, então tenho muito carinho por todos os chefes que tive, companheiros de trabalho, amigos da firma que viraram amigos da vida, levo com muito carinho, cada estampa que fiz. Mas depois que mudei o estilo de trabalhar, gosto muito quando me arrisco numa superfície nova. Fiz um projeto de uma parede do meu cabelereiro e amigo o Retrozaria que tenho bastante carinho, todo o processo levou quase um ano, entre idas esporádicas e desenhando 2h ali e aqui, e hoje colho os frutos desse trabalho, com cada cliente que pergunta para ele quem fez.

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria

E agora, estou criando um novo espaço, que é meu xodó master, um espaço - físico mesmo, é uma casa - onde vou poder conectar todas as pessoas incríveis que conheci por meio da tatuagem, cada um com uma história. Muitos com ofícios até pouco tempo escondidos, desde o oceanógrafo que viaja o mundo atrás da Baleia Azul, a bióloga que estuda um grupo específicos de lagartos, até a receita da avó de alguém.

Meu espaço se chama Casa Botânica, é a primeira vez que escrevo o nome e o torno público, está acontecendo, junto com minhas sócias, e queremos antes de mais nada, que cada um que entre ali, dê aquele suspiro de "Hummm, que gostoso!" Seja vendo um produto de uma amiga que pinta maravilhosamente bem, ou vasinho de uma pessoa que acompanha minha trajetória e está ali a venda, ou o cafézinho que tomar, junto com as rosquinhas que minha mãe faz.

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Muitos ! A maternidade para mim foi o principal marco, onde vi que nesse mundão, eu tenho um companheiro, amigo, que acorda e vem pular em cima de mim, só pra dar um chamego e um bom dia. Meu filho Theo me faz ver as coisas do jeito dele, mais simples, desde um “poxa mas você trabalha tanto” até um “ faz isso depois, vamos ficar de chamego um pouquinho.”...

Teve também outro momento onde fiquei muito doente, e vi que a vida da corporação, batendo cartão, estimulando consumo a todo momento sem pensar na origem, na réplica de informação e não da formação dela, não me cabiam mais, foi quando deixei o medo do lado de lá, e fui tentar viver para ter vontade de trabalhar e não trabalhar pra - quem sabe - viver depois.

E esse momento AGORA! Onde estou construindo um espaço muito maior, muito mais rápido do que jamais imaginei, mas está sendo um exercício de ansiedade, troca entre amigas e sócias, família e quem mais eu gosto perto de mim, ouvindo a opinião deles e sem desanimar.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Tem as minhas influências artísticas, que na grande parte são pintores que faziam um pouco de tudo, Rousseau, Redouté, Gertrude Hermes, Seaguy, Jacques Barraband, Ivan Bilibin, Gregoire et Deneux, Agnes Miller Parker, Jullien com Lemercier, Wilelm com John Goeree, John Nash... a lista fica infinita.

A maioria ilustradores, gravuristas, desenhistas, refletem muito na pesquisa que mais gosto de fazer, seja pela Lino gravura, Lito, Xilo, ou aquarela, sempre com temas naturais e construções belíssimas.

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Fui criada com alguns conceitos, ainda machistas, que tento ao máximo me desconectar, mas cada dia mais, acredito na consciência do indivíduo, independente do sexo. Durante muito tempo, as mulheres não tiveram o devido reconhecimento, mas acredito que estamos à caminho da mudança, e precisamos criar pessoas como nossos filhos, nesses mesmos valores.

Já esbarrei por empecilhos, ou falta de crédito por ser nova, mulher e várias outras coisas, mas sempre dei um jeito de contornar, de preferência nunca por ordem, raiva ou qualquer outra coisa, e fazer aquela pessoa que não deu crédito, poder pensar diferente, ou analisar de outro jeito.

// E o que te faz feliz?

Tanta coisa! E olha que gosto de escrever, mas basicamente, TER TEMPO.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações ?

O que tento fazer todos os dias, olhar para dentro de si, enxergar o que te dá prazer e alegria, e procurar nessa vida e mundo inteiro, o que pode te fazer feliz, nunca prejudicando o outro. Saber reconhecer o seu tempo de ficar dentro do casulo, mas também sair e bater um papo com aquela pessoa que cruza seu caminho todo dia e você não sabe nem o nome dela. Manifestar o amor que tem com você, para o outro e assim transformar a realidade daquelas que ainda não estão enxergando por esse ângulo.

Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
Elissa Rocabado por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Contei lá em cima, mas conto aqui de uma maneira mais resumida.

Estou montando junto com minhas parceiras, a CASA BOTÂNICA, um espaço de resgate da essência, daquilo que te faz feliz, que me faz feliz, vai fazer meu filho feliz e todos os que entrarem.

Teremos produtos de produtores que quiserem unir forças com a gente com o principal pensamento da Botânica como respeito a natureza, a ervas, as plantas, as flores, cafés e chás... um espaço para receber um curso, um workshop, um show, um balanço numa arvore!! Enfim, um espaço para no domingo, ficarmos nas cadeiras com os pés levantados, e as crianças brincando, com a sensação de estarmos fazendo o nosso melhor, pra levar o melhor para os outros.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas