m
Elisa
Sbardellini
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
25 anos . ilustradora

2017 era pra ser meu ano sabático.

Eu cresci e vivi toda a minha vida numa cidadezinha no interior de São Paulo, que ninguém nunca ouviu falar, a menos que eu diga: é do lado de Poços de Caldas.

Tive o privilégio de estudar numa escola onde se aprendia música e educação dos Sentidos. Nessa aula, nós saíamos pra explorar a cidade, aprender sobre a natureza e o comportamento das pessoas na rua.

Morei durante um ano na África do Sul, e na escola, ficava sempre na turma de artes. Tive aula de artes com todas as turmas, desde o maternal até o terceiro ano. Foi incrível. Me formei em Arquitetura e Urbanismo, mesmo sabendo que não era o que eu queria ser.

Eu não sabia o que eu queria ser, com o que eu ia trabalhar, como eu ia me manter. Isso fez com que 2016 fosse o ano mais difícil da minha vida. Comecei a cuidar das plantas da minha casa, e percebi que todo dia quando acordava, a primeira coisa que eu ia fazer era ir ao quintal. Essa relação com as plantas me resgatou da ansiedade que eu estava vivendo, e com isso a minha vontade de pintar renasceu, e junto com ela, nasceu o Atelier Casulo, o que era pra ser um acervo pessoal de trabalhos manuais, fez com que 2017 fosse o ano em que mais trabalhei e me dediquei na vida!

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Sempre gostei de fazer qualquer tipo de trabalho manual. Seja tricô, origami, cerâmica, xilogravuras... Mas me encontrei na aquarela. Principalmente a aquarela botânica.

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Acho que o que mais me inspirou a criar nos últimos tempos foi o documentário da Netflix : Abstract. Mudou a minha vida criativa e a forma como eu me inspiro. Principalmente o primeiro episódio com o Christoph Niemann, onde ele fala que inspiração é sentar na cadeira e trabalhar até conseguir o que você quer. Isso fez toda a diferença pra mim, por que eu sempre fui daquelas artistas preguiçosas que precisava de “inspiração” pra inventar alguma coisa nova, e passava muito tempo idealizando e pouco tempo fazendo. O Pinterest e Instagram são ótimas fontes de referências, ótimos lugares pra descobrir artistas de todos os cantos do mundo.

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Eu tenho um caderno onde anoto todas as ideias que tenho pra futuras aquarelas, ou futuros projetos. Se eu não anoto eu esqueço. Aí, quando consigo um tempinho mais tranquilo, pego esse caderno e começo a fuçar no Pinterest em busca de ideias e inspirações pra esse projeto. Geralmente eu tenho uma ideia e já parto para o trabalho final. Não costumo fazer muitos rascunhos e desenhos de teste. Quando eu faço não fica tão bom quanto a primeira ideia.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Lá em casa todo mundo gosta de por a mão na massa. Então sempre que a gente via algo interessante, a gente corria atrás do material, e logo tinha vasinhos de cimento, uma fantasia da Carmem Miranda, um abajur de origami. Esse sempre foi o meu processo. A minha vida toda. Hoje em dia as coisas ficaram bem mais sérias, e eu preciso não só ser criativa, como também organizar as vendas, os estoques, as idas ao Correio. É uma correria danada.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Meu trabalho favorito é a aquarela Monstera Deliciosa Desconstruidona de Pinheiros. Poucas pessoas sabem o nome inteiro desse quadro, mas foi a partir dessa aquarela que eu fui me tornando o que sou hoje. Foi por causa dessa aquarela que eu estou respondendo essa entrevista hoje! Quando eu tive essa ideia, eu estava na casa do meu namorado em Pinheiros, meu bairro preferido em São Paulo, numa época em que tudo era “desconstruído”. A costela de Adão estava no auge da sua fama, daí eu tive a ideia de juntar os três.

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acho que eu respondi isso ali em cima, mas não foi só isso. Acho que o momento decisivo foi quando eu recebi o convite para a primeira feira, foi a primeira edição da Las Plantas, que aconteceu em março desse ano. Foi quando eu percebi que dava pra ser artista sim, e que eu ia ter que ralar muito pra isso.

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Tenho me interessado muito mais por artistas que encontrei no Instagram do que pelos grandes mestres de antigamente. Gosto muito do trabalho da Jenny, no Instagram é @livingpattern, Sasha Unisex, Sha’an d’Anthes, e a Jackie Diedam, que é brasileira mas é ilustradora na Alemanha. São mulheres, artistas e que eu acompanhei e me inspirei tanto no trabalho quanto na trajetória de vida delas.

No Brasil, tive a oportunidade de conhecer de perto o trabalho de artistas que eu já admirava há muito tempo, como Franncine de Miranda, Estela Miazzi, Denise Mikoswiski, Brunna Mancuso. Elas são incrivelmente fodas, e acho que a melhor parte de ter entrado nessa rede foi poder conhecer o trabalho de tanta gente incrível de perto.

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Eu sempre fui muito privilegiada em relação ao meu trabalho, por ter uma família que sempre me apoiou e me deu a retaguarda pra que eu pudesse realizar esse sonho. Eu pude viajar e conhecer muitos lugares incríveis. Mas vejo que tudo o que nós mulheres fazemos ganha mais peso quando um homem assina embaixo. E isso é um saco.

// E o que te faz feliz?

Poder chegar em casa e ser recebida pelos meus bichos, tenho um gato e um cachorro. Estar exatamente onde eu estou, ser conectada com tantas pessoas maravilhosas e com trajetórias tão bonitas. Ter uma família maluca que apoia minhas ideias malucas. E minhas plantinhas, não saberia viver sem elas.

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Olhe pra dentro de você. Procure o que faz sentido, o que te faz sentir bem. E sempre mentalize o que você gostaria que se tornasse realidade. O universo conspira a seu favor.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Estou finalmente me mudando para São Paulo, depois de quase um ano vindo para cá quase todo final de semana. Acho que essa é a maior notícia que tenho. Tenho trabalhado na ilustração de um livro sobre poemas e plantas, e também num projeto com a Brunna Mancuso.
Estou ensaiando uma nova coleção de aquarelas botânicas, gostaria de apresentá-las em breve. Em novembro o Casulo completa 1 ano de vida, gostaria de criar algo comemorativo pra esse momento também!

Elisa Sbardellini por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas