m
Débora
Saraiva
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
31 anos . fotógrafa . designer

O trabalho artístico é algo que foi se inserindo lentamente na minha vida e sempre rodeado de constantes questionamentos. Sou formada em Rádio e TV e durante a faculdade fui percebendo que gostaria de trabalhar com criação e não ser a realizadora das ideias dos outros.

Passei por diferentes trabalhos, desde animação até restauração de filmes, e de alguma forma eles foram exercitando meu olhar e adicionando à minha bagagem visual. Sempre gostei de trabalhos manuais e foi durante a minha vida adulta que fui descobrindo meus talentos que antes pareciam estar adormecidos. Tudo foi acontecendo muito naturalmente principalmente o surgimento da Gypso junto com a amiga Tina Niessner.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Não me prendo a só uma ferramenta, parece que qualquer material pode despertar alguma criação diferente. Gosto de fotografar e com a Gypso desde um pedacinho de metal até uma forma de bolo são utensílios que podem nos ajudar na criação.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Quando me deparo com trabalhos de outros artistas que acho sensacionais geralmente tenho uma sensação de urgência e penso “Preciso parar tudo que estou fazendo e ir criar algo novo”. Ver algo surgir do nada me traz um orgulho e sentimentos indescritíveis. E um dos meus maiores prazeres é saber que pessoas querem consumir algo que produzo. Às vezes aquela peça que foi feita despretensiosamente tem um retorno muito positivo do público e isso é muito gratificante e inspirador.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Ainda estou descobrindo como meu processo criativo funciona. Na Gypso gostamos de trabalhar com materiais que já existem, juntando peças diferente e percebendo como elas podem se encaixar e quais novas possibilidades elas podem trazer. Na fotografia percebo que uso esse mesmo processo, sem muitas intervenções. São observações do que já estão apresentadas pra mim. Mesmo meus autorretratos têm algo de voyeur e contam muito com o acaso. Gosto muito de explorar as possibilidades de algo que deu “errado”.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Gosto de ouvir música e estudar trabalhos de outros artistas. Esse momento é sempre muito inspirador pra mim. Ver filmes, ler livros e consumir qualquer trabalho criativo é uma maneira de manter a minha mente ativa. Viajar e estar em contato com algo completamente desconhecido traz uma clareza e abre a mente para novas criações.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Pela Gypso gosto muito das nossas criações para o Projeto Feito, pois acredito serem nossas peças mais autorais. Gosto também da nossa série de vasos riscados, acho muito terapêutico produzi-los e pensar em padrões diferentes.

Na fotografia tenho um certo fascínio por autorretratos. Sempre tive uma insegurança de sair na rua e fotografar sozinha. A casa é um porto seguro e fazer experimentos comigo mesma foi uma forma que encontrei de expressão.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
Débora Saraiva por Projeto Curadoria
Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Ter pedido demissão do meu último emprego foi definitivamente o mais importante marco na minha vida profissional. Esse momento em que decidi que queria trabalhar com minhas criações possibilitou o surgimento da Gypso, que é minha atividade principal hoje. E desde então sinto que tenho mini momentos decisivos com tudo que realizamos com a Gypso. Desde a mudança para um ateliê maior até a publicação em revistas me faz perceber como essa vida é possível.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Difícil avaliar como o trabalho de outros artistas se refletem no meu trabalho, pra mim parece tudo muito inconsciente. Na fotografia sou apaixonada pelo trabalho das fotógrafas Sally Mann e Francesca Woodman e o Saul Leiter, pra citar alguns. Gosto muito do trabalho do Paul Klee, Lygia Pape, Magritte, entre vários outros.

Pequenos produtores de São Paulo definitivamente me ajudaram a acreditar ser possível conseguir ser bem sucedida nesse meio.

O trabalho artístico e apoio do meu marido e da minha sócia/melhor amiga sempre serão fonte de inspiração para mim.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Com certeza ainda existe preconceito contra a mulher, já senti em várias esferas da minha vida. Antes era algo que não notava por já estar tão enraizado em nossa cultura e com o tempo fui questionando certos padrões e sensos-comuns. Sinto, porém, que é algo que vem sendo cada vez mais discutido e é muito inspirador ver projetos incríveis feitos por mulheres tendo cada vez mais visibilidade.

// E o que te faz feliz?

Pequenos prazeres do cotidiano: acordar com cheiro de café, manhãs silenciosas, bolos no meio da tarde, encontrar amigos e família, viajar.

E claro, conseguir trabalhar com o que eu acredito, ter a liberdade de criar o que eu quero e ser a realizadora das minhas próprias ideias me trazem um prazer indescritível.

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
Débora Saraiva por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Não deixar que a insegurança ou a famosa síndrome do impostor te impeça de realizar suas criações. É clichê mas sempre válido: acredite em sua capacidade e não se compare com os outros. Algo que exercito diariamente e é extremamente necessário.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Sempre estamos pensando em projetos novos para a Gypso e em formas de conseguir nos tornar cada vez mais independentes. Na fotografia me falta disciplina pra pôr em prática as milhares de ideias que tenho todo dia. Em breve, quem sabe!

Débora Saraiva por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas