m
Cris
Alhadeff
Brasil
vivendo em Rio de Janeiro . RJ
48 anos . ilustradora

Meu nome é Cris Alhadeff, sou carioca e moro no Rio de Janeiro. Minha formação é de desenhista industrial. Cursei também alguns anos de arquitetura antes disso, mas não terminei.  Fui autora de um dos projetos finalistas para o novo design da atual família de moedas de Real.

No final dos anos 90, abri uma empresa com meu marido, Alexandre de Castro Gomes, e por muitos anos trabalhamos com o desenvolvimento de sites e marketing digital para grandes gravadoras e seus casts. Paralelo à isso, tivemos dois filhos e ele começou a escrever textos infantojuvenis. Acabou publicando seu primeiro livro, que foi muito bem recebido. Fui incentivada a fazer parte desse mundo e fiz minha estréia com o livro "Condomínio dos Monstros", publicado em 2010 pela RHJ. Trabalhamos juntos em vários livros, mas isso não é regra. Hoje existem mais de 40 livros publicados com ilustrações minhas. Já tive livros selecionados para os programas PNBE e PNAIC e escolhidos para compor o Catálogo de Bolonha.

Participei como convidada de alguns dos eventos literários mais importantes do Brasil: FLIPORTO de Olinda, Feira do Livro de Porto Alegre, Salão FNLIJ para Crianças e Jovens, Projeto Literatura Viva do SESI-SP, dentre outros, e tenho trabalhos exibidos em mostras de norte a sul do país (Cores e Formas, Traçando Histórias, Muitos desenhos de uma história...).

Em 2013 criei a página "Nós Ilustradores Somos Autores", reforçando um movimento em prol do reconhecimento dos ilustradores de literatura infantil e juvenil como autores.

Desde 2015 faço parte da diretoria da AEILIJ (Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil), entidade pela qual firmei parceria com a Satrápia para decoração de diversos pontos de trocas de livros espalhados pela cidade do Rio de Janeiro.

Recentemente também tenho me dedicado a criar estampas para moda, papelaria e decoração. É um novo desafio. Tenho aprendido muito e estou apaixonada por esse universo.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Para os livros e desenhos autorais, trabalho com lápis, lápis de cor, aquarela, tinta acrílica e colagem digital. No caso das estampas, faço os elementos manualmente e finalizo no Photoshop.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Posso dizer que meus filhos são uma fonte inesgotável de inspiração.

Uma boa biblioteca ou livraria também são ótimas para isso e, definitivamente, passear pelo Pinterest me cativa e me inspira demais.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Para os livros, leio e releio o texto e as imagens vão surgindo na minha cabeça. Parto para o desenvolvimento dos personagens e suas possibilidades e faço os rascunhos em lápis. Depois de aprovados, decalco, coloro à mão, escaneio e mando para a editora.

Em estamparia, estudo referências na web, ou em livros, mas é um processo mais livre e, pontualmente, não sendo uma coleção, de produção mais rápida.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Minha rotina não segue padrões. É um imenso caos que funciona. Durmo muito tarde, sempre de madrugada. Costumo trabalhar melhor à noite. Acho que a chave é estar sempre antenada, em busca de novas informações, conexões. Sou uma pessoa movida pelo visual. Estou sempre pesquisando, fazendo novas pastas e guardando imagens que sejam impactantes para mim e me façam bem. Ver essas imagens é inspiração na certa. Também acho o contato com material de desenho e pintura muito bom para dar um start na criatividade.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Muito difícil responder essa pergunta. Meus projetos preferidos são meus dois filhos. Meus trabalhos preferidos normalmente são os últimos publicados. Os mais recentes são "O Livro Que Lê Gente" (Ed. Cortez), que recebeu o selo Distinção Cátedra 10, ao ser escolhido como um dos 10 melhores livros infantojuvenis de 2016 pela Cátedra UNESCO de Leitura PUC-RIO, "Eu Sou Uma Lagartixa!" (Ed. do Brasil), e "Quem Matou o Saci?" (Escarlate), todos os três com ótimos textos do Alex.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Posso dizer que foi o "Condomínio dos Monstros". A publicação do livro representou um novo horizonte. Novos caminhos se abriram, agora como ilustradora de literatura infantil e juvenil. Corri atrás de tudo que isso englobava. Estudei muito, passei a ver o livro com outros olhos, saí da zona de conforto, busquei novos projetos...

// Quais são as influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Tenho muitos artistas preferidos. Não vou conseguir nomear todos, mas posso citar Elma, André Neves, Mariana Massarani, Graça Lima, Roger Mello, Eva Furnari, Ronaldo Fraga, Dani Brum, Tony Ross, Marie-Louise Gay, Helen Dardik, Lisa Congdon, Tim Burton, Edward Gorey, Quentin Blake, Shaun Tan, Shrigley, Toz... Busco sempre estudar e evoluir o meu traço tendo o trabalho desses artistas como referência.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Preconceito em relação à mulher nunca me freiou em nenhum projeto. Certamente que existe. Acho que sempre existirá, infelizmente. Vejo no dia a dia: na internet, nos transportes públicos, nos bastidores da televisão...

Posso estar enganada, mas não vejo muito disso na literatura infantil e juvenil. Não sei como é dentro de todas as editoras. Na minha linha de trabalho há muitas mulheres em posição de destaque, em cargos editoriais e de direção de arte.

Por outro lado, luto para ter meu trabalho de ilustração reconhecido como de autoria e não de prestação de serviço. É uma batalha negociar contratos e ser incluída em lançamentos e em eventos do livro. Algumas editoras pequenas não colocam nem o nome do ilustrador na capa. É difícil mudar um mercado viciado, mas é importante.
Ah, e não posso deixar de mencionar o preconceito que existe em relação à literatura infantil, muitas vezes considerada uma literatura menor, algo que não é.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Estar com quem eu amo, viajar com eles, passarinhos cantando, beber cerveja com os amigos, maresia, feiras de antiguidade, papelarias, animais, livros novos e uma bela caixa de lápis de cor.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Crie um bom portfólio, curto e que te represente. Tenha um site (aliás, ainda crio sites, quem quiser é só teclar). Trabalhe o marketing e a divulgação da sua obra nas redes sociais.  Estude, pesquise, experimente, seja antenada!

Corra atrás de jobs, seja firme nas negociações e tenha segurança sobre suas convicções. Acredite que você pode dar mais um passo em busca do que te faz bem. Sempre em frente.

Tenha foco. A vida é uma só e passa muito depressa.

Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
Cris Alhadeff por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Estou ilustrando um livro novo: "A Escola Que Eu Quero Pra Mim" (Ed. Zit com texto da Andrea Viviana Taubman).

Em seguida parto para o "Tem Visita no Condomínio dos Monstros" (Ed. RHJ), mais uma parceria minha com o Alex, o terceiro da série do Condomínio.

No mês que vem darei palestras para o SESI-SP.

Em paralelo, crio estampas corridas para uma nova coleção.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas