m
Carol
Rossetti
Brasil
vivendo em Belo Horizonte . MG
28 anos . ilustradora . designer . quadrinista

Eu sou a Carol, tenho 28 anos e moro em Belo Horizonte. Sou formada em design gráfico e tenho um estúdio chamado Café com Chocolate Design com dois sócios onde produzimos diversos serviços e peças gráficas, como editoriais, marcas, sites, promocionais etc. Temos também uma loja de produtos independentes, a Coffee Shop. Eu também tenho projetos autorais de quadrinhos e ilustração e trabalho em casa.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Acho que minha principal ferramenta de expressão é o desenho e, eventualmente, texto atrelado às ilustrações, como no caso de quadrinhos ou mesmo do projeto Mulheres. Meus desenhos são quase todos feitos manualmente, que é como me sinto mais confortável trabalhando. Já tentei, mas nunca me dei muito bem com técnicas digitais.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Minha inspiração vem realmente de todos os lados. Em parte, me encanta a vida cotidiana e as pessoas que passam todos os dias por mim. Acredito que todo mundo tem histórias incríveis para contar, e que podemos aprender e nos encantar se nos dispusermos a ouvi-las. A diversidade de ideias, de identidades, de aparências, de vivências... tudo isso é um material riquíssimo.

Ao mesmo tempo, também me sinto inspirada pelas minhas referências artísticas e culturais, como os filmes, séries, músicas e trabalhos artísticos que eu consumo.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Eu trabalho em casa e valorizo muito minha autonomia para me organizar, planejar meu dia-a-dia e decidir constantemente o que está ficando bom ou não no meu trabalho. Gosto de ficar longos períodos em casa, me dedicando às minhas coisas com tempo de me aprofundar em cada tarefa.

Uma rotina “picada” com compromissos diferentes em lugares diferentes acaba me tornando muito improdutiva. Para mim, é importante dormir 8 horas por dia e me alimentar bem, senão não funciono.

Tendo essas condições de trabalho, eu costumo buscar referencias na internet e em livros, gosto de fazer rascunhos até chegar no resultado que tenho em mente, mas também me mantenho aberta para novas possibilidades que possam surgir ao longo do processo.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Além do que já falei, sobre dormir bem e comer bem, tento sempre manter uma boa qualidade de vida de forma geral. Se não me cuido, não fico bem disposta e realmente não consigo criar nada. É importante também ter momentos de respiro.

Às vezes vou ao cinema num dia de semana a tarde, para respirar, espairecer, pegar novas referências e quebrar um pouco a rotina de forma prazerosa. Recomendo também sempre ler um livro. Eu sempre estou lendo alguma coisa, e procuro variar estilos literários.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Meus trabalhos preferidos são os autorais, nos quais tenho controle da criação e produção do início ao fim. O Mulheres, o Cores, esses são autorais. Eu trabalho também com clientes, e adoro vários trabalhos que já fiz para outras pessoas ou empresas, mas é uma relação diferente.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acho que o momento mais decisivo da minha carreira foi o surgimento do Mulheres. Foi um projeto que surgiu espontaneamente, um filho totalmente não planejado.

Em dois meses, eu estava mudando completamente minha rotina e meus planos de trabalho e fazendo coisas que nunca imaginava que iam acontecer, por exemplo, dando entrevistas e assinando contratos internacionais de publicação de livro.

Esse projeto trouxe muita visibilidade pro meu trabalho, me abriu várias oportunidades e me trouxe muitas surpresas positivas.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Como disse, a inspiração vem de toda parte e as influências são muito diversas.

Algumas vêm de outras quadrinistas e ilustradoras, outras vêm de profissionais de áreas totalmente diferentes, como do cinema, da música e da literatura. Os textos de Saramago e Lygia Fagundes Telles foram super marcantes pra mim, assim como a narrativa de JK Rowling e Neil Gaiman. Craig Thompson, Will Eisner, e pessoas mais próximas também, como Aline Lemos, Bianca Pinheiro e Rebeca Prado são grandes influências do quadrinho independente.

Na música, de Amanda Palmer (que me ensinou também sobre financiamento coletivo), Belle & Sebastian e Karina Buhr trazem sentimentos que tento reproduzir, à minha maneira, em uma mídia diferente. As referências são e devem ser plurais.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Acho que existe preconceito em relação à mulher em tudo que fazemos. Eu sinto menos isso no meu trabalho porque 1-eu trabalho sozinha, no dia a dia e 2-sou muito privilegiada. Sou branca, de classe média, cisgênero, hétero, então, naturalmente, enfrento menos dificuldades. Mas sim, percebo isso em menor escala através de críticas na internet e discursos de ódio voltados para minha pessoa e meu trabalho.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
Carol Rossetti por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Eu sou muito feliz com minhas escolhas de vida. Minha profissão, minha família... Então, me orgulho um pouco em dizer que minha rotina me faz feliz. E quando estou de férias, desenhar só por desenhar me faz muito feliz. E chocolate, claro, sempre.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Acho que minha melhor dica é a prática diária. Planejamento é bom e muito importante, mas a maior parte da mágica acontece enquanto a gente faz. Muita coisa da nossa ideia original se perde, mas justamente porque muitas coisas vão sendo descobertas e experimentadas ao longo de processo. Então, pratiquem, comecem e não tenham medo de mostrar. É também através de críticas que o trabalho evolui.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tenho sim, uma graphic novel. Mas ainda não tenho muito o que dizer sobre esse projeto, ainda estou beeeem no início e não tenho previsão de lançamento.

Carol Rossetti por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas