m
Carol
Cherubini
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
31 anos . artista . bordadeira

Nasci em Ribeirão Preto e me mudei para São Paulo para estudar Desenho de Moda. Me formei em 2011 e assim que saí da faculdade decidi que não queria atuar no mercado tradicional pois não compactuava com os modos de produção da maioria das empresas do ramo.

Fui morar fora, fiz alguns cursos de artes e decidi que iria me dedicar a isso.

Em 2013, surgiu o "Ímã cósmico", criado com uma amiga, com intuito de explorar novas práticas de criação do bordado, tirando-o do âmbito tradicional e das artes decorativas e trazendo-o para outros diálogos com a Arte Contemporânea.

Desde então divido meu tempo entre as aulas de bordado e a produção do meu trabalho artístico pessoal, que envolve questões da territorialidade, do corpo e do espaço.

Carol Cherubini por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Uso muitas ferramentas, mas atualmente a principal é a minha máquina de costura, agulhas e linhas. Gosto de trabalhar com tecidos e com diversos usos que posso dar a eles.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Para mim sempre foi muito difícil me expressar com palavras, então passei a dizer o que quero através de formas, cores, texturas e imagens em movimento para despertarem memórias afetivas e minhas inquietações internas.

Sempre me inspira as relações que nosso corpo cria no mundo e o posicionamento político, social e afetivo que mantemos com ele.

Carol Cherubini por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Ele acontece em diversas direções. Posso estar dormindo ou caminhando observando o que está acontecendo ao meu redor.
Também crio muitos imaginários através da literatura. Sou uma pessoa muito visual, então tento transformar tudo que está subjetivo no mundo em imagens. Ando sempre com caderninhos onde faço anotações e desenhos que depois me ajudam a desenvolver as minhas ideias.

Carol Cherubini por Projeto Curadoria
Carol Cherubini por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Tive uma professora que uma vez disse que a nossa criatividade é como uma semente que plantamos e sempre temos que estar regando para que ela não morra.

Observar ao redor e experimentar sem medo creio que é o que nos torna criativas. Não ter preocupações formais e pressa para um resultado final nos deixa livre para criar processos que podem desdobrar em inúmeros trabalhos e ideias. Quando pego um tecido, por exemplo, não sei que forma ou cores vou usar, fico um tempo observando meu material, vendo as possibilidades que ele pode me proporcionar, vou testando, erro, volto, acerto e isso vai construindo outros caminhos para o trabalho, me leva para outras formas de pensar e novas construções criativas.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Não tenho um trabalho preferido. Acho que cada um reflete um momento, um pensamento, uma fase que eu estava e como consegui me expressar.

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Acho que estou num momento decisivo da minha carreira. Muitas coisas estão acontecendo esses tempos, muitas mudanças e agora consigo visualizar claramente toda minha trajetória e minhas escolhas, tanto pessoalmente como profissionalmente falando.

Dizem que momentos de crises são aqueles que nos movem e nos fazem pensar, refletir e questionar o que está acontecendo, e creio que estou neste momento inquieto buscando outras maneiras de ser e estar no mundo e isso se reflete em meu trabalho.

Carol Cherubini por Projeto Curadoria
Carol Cherubini por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Sempre fui apaixonada pelo trabalho da Louise Bourgeois, pela forma como ela recriou e explorou o corpo e suas diversas maneiras. Me inspira muito também Pipilotti Rist, Rei Kawakubo, Ana Mendieta, Olafur Eliasson, o fotógrafo Ryan McGinley, os bordados do Bispo do Rosário, e como estes, poderia passar mais uma lista de artistas que me emocionam.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Estamos num momento muito delicado nas artes e para a mulher acredito que existe um empecilho um pouquinho maior. Os salões, as exposições, os museus ainda são predominantemente marcados com a presença masculina e nós mulheres muitas vezes precisamos estar provando que somos seres atuantes, criativos e capazes.

// E o que te faz feliz?

Estar perto de pessoas queridas.

Carol Cherubini por Projeto Curadoria
Carol Cherubini por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Não tenham medo de experimentar e criar. O importante não é o destino e sim a trajetória, o processo, o caminho, então é só se jogar e acreditar.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Sim, estou buscando criar uma rede de mulheres que trabalham com bordado de uma maneira mais intuitiva, criativa e que fuja dos padrões tradicionais para criar um grupo de estudos para discutir o papel deste corpo que borda no contexto atual. Se alguma se interessar, é só me escrever.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas