m
Camila
Gray
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
34 anos . ilustradora

Meu nome é Camila Gray, tenho 34 anos e sou ilustradora freelancer. Nasci em Ribeirão Preto e me formei em Publicidade. Quando vim para São Paulo aos 24 anos estava atrás de resgatar um antigo hobby de infância que era desenhar, para passar o tempo, mas fui gostando cada vez mais, treinando, e aos poucos, descobrindo que poderia fazer disso a minha vida, e aqui estou. Hoje trabalho full time com isso (e um pouco com Design Gráfico também).

Camila Gray por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Basicamente papel, lápis e aquarela. Às vezes mais um, outras vezes outro e de vez em quando Photoshop para montar os elementos, como os mapas que tenho feito. Mas a ideia é sempre descobrir e testar novos meios.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Principalmente o prazer de fazer o que faço e o desafio de me tornar cada vez melhor. Eu sou uma pessoa muito visual, então tudo que me agrada esteticamente me inspira e dá vontade de criar. Filmes, pessoas interessantes, músicas, personalidades que admiro, comidas e drinks (rs), cultura pop num geral. Viagens tem me inspirado muito ultimamente, pois é o que mais gosto de fazer e o que mais abre a minha cabeça para ideias novas.

Camila Gray por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Um pouco caótico (áries rs) e bem solto também. Tenho mil trabalhos começados e não terminados engavetados. Eu estou fazendo um e de repente vem a inspiração para algo diferente e eu largo e parto pra outra.

Mas eu sou a louca das referências, tudo que me inspira visualmente vou salvando em pastinhas para quando precisar fazer uma roupa diferente, ou cabelo, ou expressão facial, etc. O lugar que mais curto procurar referências online é no Pinterest.

Camila Gray por Projeto Curadoria
Camila Gray por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Eu procuro ter uma vida agradável em todas as maneiras, me sinto privilegiada de poder me manter em São Paulo financeiramente como freelancer, então quero fazer dessa experiência de vida o melhor possível. Quero uma mesa de trabalho criativa e divertida para encarar o dia a dia, ouvir músicas que me deixam bem, tirar um break no meio da tarde numa terça feira e tomar um sorvete, dar risadas no twitter, fazer yoga e assistir filmes e séries interessantes sempre que possível e jantar com as pessoas que gosto para bater papo e tomar uns drinks. No trabalho estou procurando testar meios diferentes para sair da mesmice, desenhar com canetinha, caneta Bic, desenhar em madeira, fazer recortes de papel, etc... acho que variar os meios e mídias ajuda muito no processo criativo e tira a gente daquele vórtex rotineiro. Por exemplo, quando eu mudei do grafite cinza para o lápis de cor vermelho e azul, já senti uma melhora, e foi apenas uma pequena variação.

Camila Gray por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Geralmente sempre o último, mas um trabalho pessoal que gostei muito de fazer foram os mapinhas, que fiz depois de um mochilão de 5 meses, e resolvi registrar as cidades por onde passei. Foi muito legal relembrar tudo e deixar um registro ilustrado e tão pessoal dessa viagem incrível. E depois disso começaram a aparecer várias propostas de trabalho seguindo a linha dos mapas, e tenho adorado fazer todos!

Camila Gray por Projeto Curadoria
Camila Gray por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Foi essa viagem que citei acima, o mochilão. Estava trabalhando como designer em uma editora, e desenhava quando sobrava tempo, mas sentia falta de desenhar mais. Quando caí na rotina após 3 anos nessa empresa, resolvi pedir demissão e me jogar na viagem. Lá aprendi que dá para viver com menos dinheiro e que quero fazer o máximo da minha vida em termos de qualidade. Vi muitos artistas criativos que se arriscam e vendem desenhos no meio da rua, e pensei que também estava na hora de me arriscar e voltei decidida a seguir a vida de freelancer. E tem dado certo até agora.

Camila Gray por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

No geral: Ru Paul, Patti Smith, Kim Gordon, Rihanna, Bowie, Stevie Nicks, Nina Simone, Diana Vreeland, John Waters. Eu aprecio e admiro as pessoas como um todo, na ideologia de vida e como elas transformam seu universo pessoal em arte, e isso não precisa ser necessariamente só em artes plásticas.

Já na área de arte/ilustração, alguns trabalhos que tenho gostado bastante são da Laura Callaghan, Esra Roise, Marguerite Sauvage, Paula Bonet, Anna Halarewicz, Martine Johanna, Cecilia Carlsted, o James Jean, Ricardo Cavolo.

Camila Gray por Projeto Curadoria
Camila Gray por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Infelizmente o machismo está por toda a parte e é velado, por isso talvez eu nem saiba como posso sofrer com ele, talvez se fosse homem teria mais oportunidades de trabalho... acredito que sim. Também conheceria mais artistas mulheres, de agora e do passado se não fosse pelo machismo. Mas felizmente não sofro ataques machistas diretos, em relação ao trabalho, mas sei que muitas sofrem, então me solidarizo demais com as mulheres por isso e apoio a união, coletivos, eventos e etc que nos una.

// E o que te faz feliz?

Estabilidade financeira, poder viver do que gosto, sair para encontrar os amigos e estar cercada de pessoas incríveis que admiro, família que me apoia e celebra cada passo importante da minha carreira, poder viajar, ser livre e independente.

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Não depender da aprovação de homens. Conhecer mulheres independentes, batalhadoras e talentosas que não aceitaram uma vida imposta e foram atrás do que as deixavam felizes. Tentar ser essa mulher, e ajudar outras a conquistar isso também. Não tentar ser uma versão feminina de nenhum homem, explorar o universo feminino que é rico e infinito, mas também não se limitar a temas femininos. Resumindo: auto-aceitação para fazer o que der na telha!

Camila Gray por Projeto Curadoria
Camila Gray por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tenho projetos e metas pessoais, uma delas é sair do papel-casa-computador e me aventurar em feiras, bazares... produzir mais produtos e ver minhas ilustrações mais espalhadas por aí.

Quero fazer um zine e pretendo também montar uma loja online pessoal, para eu mesma vender e entregar esses prints e produtos.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas