m
Camila
Gomes Lopes
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
30 anos . bordadeira

Oii, eu sou a Camila, ou Mila , ou Camis (se você me conhece pelo Clube do Bordado). Canceriana com ascendente em peixes, cabeça na lua sempre. Nasci em Lucélia, cidadezinha do interior de São Paulo.

Desde pequena, sempre gostei de desenhar, pintar e bordar (e dançar!), mas escolher uma faculdade foi difícil. Quase fui uma arquiteta. Acabei escolhendo o Design de Moda, que foi uma delícia estudar, mas como trabalho não rolou muito pra mim. Quem sabe um dia!

Para não ficar parada no período em que estava desempregada, criei um blog, comecei a fotografar e voltei a bordar. E em uma dessas encomendas de bordado foi que começou o Clube do Bordado, meu atual trabalho.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Tudo começa com lápis , papel e borracha. Faço todos os riscos manualmente, já que "no hablo" Corel/Illustrator/Photoshop. No tecido, minha base é o bordado livre. Tenho minhas linhas e pontos preferidos, mas gosto de ir experimentando aos poucos, misturando uma técnica nova ali, uma linha diferente aqui, umas pedrarias e as coisas vão se transformando.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Acho que minha maior motivação é o prazer de fazer algo que amo e continuar evoluindo e experimentando. Sempre procuro por beleza e delicadeza em meus trabalhos, e fico muito feliz quando meus bordados e fotografias tocam ou inspiram de algum jeito, isso me motiva muito também.

Flores, fotografias, séries, filmes, pessoas, tudo vira inspiração. Tenho um fraco por ilustrações botânicas, tudo o que é vintage e mundos encantados.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Para trabalhos em parceria ou encomendas, gosto de fazer um brainstorming antes de começar a ilustração. As palavras vão me trazendo as referências que em seguida vou procurar no Pinterest e Instagram.

Quando o trabalho é mais pessoal, vou direto pro meu caderninho de ideias. Sempre que estou pesquisando para um bordado, muitas ideias vão surgindo e às vezes não cabem nesse trabalho específico, então vou anotando no caderninho. Assim o mantenho cheio de temas e ideias que só estão esperando o momento certo para serem desenvolvidas.

// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Ainda estou tentando equilibrar essa vida de autônoma, de respeitar meu tempo para trabalhar e para descansar. Gosto de fazer vários nadas (sério) e deixar meu cérebro desligar um pouco, respirar para abrir espaço para o novo. Tento meditar sempre, acredito que esse silêncio e paz ajudam muito na criatividade (e vídeos de ASMR também).

Mas não fico só na paz pra me manter criativa. Livros, músicas, séries e filmes são essenciais para relaxar e ao mesmo tempo inspirar. Também passo muito tempo viajando no Instagram/Tumblr/ Pinterest /Youtube. E amo viajar, é sempre mágico conhecer outra cultura.

E o bom de fazer parte de um coletivo é que sempre rola muita troca em nossas conversas. Quando uma está travada com alguma coisa, alguém sempre aparece com uma nova ideia, um novo olhar.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Ain, que pergunta difícil! Tenho carinho por todos (alô canceriana). Bordei o Love Yourself para nossa 1° coleção e até hoje ele é um hit (tem camiseta, bolsa, postal), é muito especial.

As encomendas, principalmente as de maternidade, foram muito especiais também, pensei em cada uma com muito carinho.

Mas acho que o meu preferido foi a parceria que fizemos com a Gioconda Clothing, pelo significado, pela delicadeza do resultado, foi um processo muito lindo.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Quando estava desempregada (e perdida na vida), lembro que tinha essa frase escrita num post it onde eu podia ler todo dia: “Faça o que você pode, com o que você tem, onde você está”. Um dia eu fiz. Decidi que ia parar de reclamar e ia fazer alguma coisa para ganhar dinheiro (enquanto eu não conseguia um emprego). Bordar era o que eu sabia fazer. E aí as coisas foram acontecendo.

E depois, quando o Clube começou, eu ainda era muito insegura. As meninas me ajudaram a enxergar o bordado como trabalho, de uma forma totalmente nova, e aprendi a valorizar o que eu fazia.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Então vamos falar de amor. <3

Sou apaixonada por flores então serei sempre a pessoa que vai querer falar d’ O Jardim Secreto. São tantos filmes e séries preferidos do coração! Amo a Sofia Coppola (Maria Antonieta foi referência do meu TCC), Wes Anderson, Tim Burton; qualquer coisa de época (oi “Orgulho e Preconceito”), Harry Potter e todos os filmes de bruxas, e acabei de assistir “Anne with na E” e estou MUITO apaixonada.

Artistas como Gustav Klimt, Claude Monet, Alphonse Mucha, John William Waterhouse. Ilustradoras como Kelsey Garrity-Riley , Emily Winfield Martin, Julianna Swaney, Oana Befort , Nina Stajner, Anna Bond , Garance Doré, Polly Fern. Nos bordados, Yumiko Higuchi, Chloe Giordano, Sarah Benning, Maricor Maricar, Tessa Perlow, Coral &Tusk.

A moda sempre me influenciou muito também, amo tudo o que a Maria Grazia Chiuri faz, Valentino, Dior, todos aqueles bordados maravilhosos do Atelier Lesage para a Chanel, Vivetta, Ronaldo Fraga, Isabela Capeto. E todas as francesas do Instagram me inspiram muito também.

De alguma forma todos esses (e outros mais) me influenciam não só na estética, mas na maneira como levam a vida, como construíram suas carreiras, seus negócios.

// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

O preconceito existe e acho que ainda vai existir por algum tempo, e muitas vezes ele vem das próprias mulheres. Mas sinto que estamos no caminho certo. Particularmente, nunca senti preconceito em relação ao meu trabalho.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Ter a oportunidade de fazer o que gosto e ganhar dinheiro com isso, criar beleza, fotografar, encontrar os amigos, dançar, ir ao cinema, descobrir e me apaixonar por uma série nova ou assistir pela milésima vez um filme preferido, passar um tempo numa livraria, começar e terminar um livro, comer bolos, tomar banho de chuva no interior, ficar sozinha e poder fazer o que quiser com o meu tempo, viajar, ir a museus e ficar imaginando como as pessoas viviam em outras épocas, “abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim”.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Acho que primeiro de tudo é acreditar em si mesma, é clichê mas é tão verdadeiro!

E parar de se comparar. Hoje é muito fácil achar mil e uma referências pra tudo e a gente acaba se perdendo. É importante parar e ouvir o que você quer, entender o que você realmente gosta, aceitar sua personalidade e não ficar tentando se encaixar na personalidade dos outros que você admira. Traga sim uma coisa ou outra, mas nunca se esqueça de quem você é.

Ah, e saber filtrar o que os outros falam. Tem gente que vai falar que você é louca, que não vai dar certo, mas acredite em você, siga sua intuição e corra atrás.

Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
Camila Gomes Lopes por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

Finalmente lançamos a loja online do Clube e estou muito empolgada com as possibilidades infinitas de criar novos produtos. Estamos também com uma parceria que vamos lançar em Agosto e é bem diferente de tudo o que já fizemos.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas