m
Bárbara
Penaforte
Brasil
vivendo em São Paulo . SP
27 anos . designer

Iniciei minha formação na Faculdade SENAC Pernambuco, em Design de Moda. Em seguida, fiz Pós-Graduação em Moda e Criação, na Faculdade Santa Marcelina. Nesse período, despertou-me o interesse pelo desenho de moda e, em conversas com a coordenadora do curso, fui orientada a usar esta habilidade na área da estamparia.

Diante dessa orientação, resolvi seguir nessa área, pois sempre me senti atraída por estampas, mas não tinha profundidade no assunto. Fiz vários cursos, mas meu encanto foi a partir das oficinas do SESC Pompeia, ministradas pelo mestre Celso Lima. Em suas oficinas, fiquei fascinada pela brasilidade e pela real essência da estamparia.

Durante suas oficinas, fui crescendo como profissional. Fui uma das fundadoras com mais seis profissionais do Estúdio Pochoir, cuja participação foi no período de um ano, onde foram desenvolvidos trabalhos em estamparia têxtil para vários produtos.

No período em que estava trabalhando no estúdio, aprofundei meu interesse pelas porcelanas e desenvolvi as coleções “Cores de Tarsila” e “Frutas Brasileiras”.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Gosto muito de uma técnica chamada “découpe”, onde utilizo papéis coloridos e faço recortes para realizar minhas estampas. Esta técnica me inspira muito e deixa o processo criativo divertido e leve.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Minha maior motivação e inspiração são os florais, frutas, grafismos indígenas e todos os elementos da nossa brasilidade.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Como é o seu processo criativo?

Antes de tudo, faço uma pesquisa profunda sobre o tema, observo texturas, cores e formas que me chamem a atenção.

Frequento muitas exposições, galerias de arte, assisto muitos filmes, pesquiso desenhos, pinturas que constituem fonte de inspiração.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Gosto de visitar exposições e sempre pesquiso sobre temas que me identifico. Gosto muito de observar novas formas, texturas e cores no ambiente natural.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Como a minha marca é recente, ainda estou usufruindo a construção dela. Este é o meu projeto favorito atualmente.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

O momento decisivo da minha carreia foi quando resolvi seguir essa trajetória pela estamparia com a orientação e apoio do professor Celso Lima.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Por ser recifense, tenho influências, desde criança, da cultura popular do Nordeste e, em particular, do movimento armorial. Após me mudar para São Paulo, as influências se ampliaram em relação à produção de artistas brasileiros, aprofundando o olhar sobre a nossa cultura, desde as nossas raízes indígenas e o ambiente, como também as diversas manifestações de outras origens. Esse leque se ampliou ao fazer a ponte entre o local e as diferentes manifestações internacionais.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Não sinto isso realizando o meu trabalho, pois é uma profissão tida como feminina. O preconceito maior ocorre no reconhecimento do valor do trabalho manual.

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Trabalhar no que eu amo me faz muito feliz!!!

Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
Bárbara Penaforte por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Minha dica seria ter paixão pelo que faz, aliado à técnica. Quando você tem paixão pelo seu trabalho, tudo flui.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Em fevereiro, ministrarei, junto com Studio Lin Diniz, a oficina “PADRÕES MOMESCOS: ESTAMPANDO A EMOÇÃO”, no Instituto Tomie Ohtake. Será uma Oficina de estamparia manual para criação de estampas autorais, a partir da técnica pochoir, inspiradas no carnaval pernambucano.

Esta oficina faz parte da programação da exposição “Quando a vida vira uma euforia”, da artista gráfica Joana Lira.

COMPARTILHE
b
//+entrevistas