m
Ana
Momm
Brasil
vivendo em Curitiba . PR
31 anos . fotógrafa

Sempre em busca de novas experiências, novos horizontes. Cultivando cada vez mais as boas amizades e buscando sempre conhecer pessoas novas. Estou num momento da vida que estou apaixonada pelas pessoas e tentando compreende-las, assim me compreendendo. Acredito no amor, acredito na unidade, acredito que cada um fazendo sua parte teremos um mundo melhor. Em alguns momentos essa crença vai por água abaixo mas busco relembrar o quão maravilhoso é esta passagem pela Terra e todo o potencial de transformação que existe em cada um de nós. Procuro aceitar e respeitar tudo que me vem, tudo tem um propósito, tudo nos ensina e nos faz crescer/evoluir. Tento praticar esse pensamento todos os dias mas nem sempre é fácil, nem sempre é possível, mas sigo tentando.

Ana Momm por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Por mais que eu tenha passado anos achando que era uma pessoa calma e tranquila, hoje enxergo com uma clareza maior que sempre fui uma pessoa extremamente inquieta e ansiosa. Sempre com os pensamentos a mil e buscando diversos escapes que me “tranquilizassem”. Até que aprendi a guiar esse caos interno, ou melhor, sigo aprendendo e tentando. Foi com a fotografia que aprendi a canalizar parte dessas inquietações, me expressar através dela me traz uma paz interior e um resgate de todo meu potencial criativo, me traz a tona tudo que está dentro. Dentro da fotografia utilizo também outras ferramentas, como os processos manuais para criar e produzir cenários. Existe uma infinidade de ferramentas de expressão e acredito que não precisamos nos fechar somente a uma, elas estão por ai, basta estar atento e aberto que elas aparecem. Ai, é só aproveita-las e ser feliz!

Ana Momm por Projeto Curadoria
// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

É sentir a conexão comigo mesma, e o processo de criação me traz muito forte isso. Cada foto que faço instiga a descobrir/redescobrir um pouquinho mais daquilo que está oculto em mim e trazer ao exterior. E para atingir esse estado criativo utilizo muito das minhas conexões com as pessoas e a natureza. Pois é nelas que me vejo e reconheço todos os dias. É com esse todo que me inspiro e aprendo cada vez mais.

// Como é o seu processo criativo?

Meu processo criativo quase sempre se baseia no fluxo, acredito muito no deixar fluir e que as coisas são como devem ser. Minha linha de trabalho é a fotografia de retrato, então geralmente procuro sentar e conversar antes com a pessoa a ser retratada e conhecer um pouco mais sobre ela. Escutar e compartilhar histórias alguns dias antes das fotos me abrem os caminhos para uma boa criação e me preparam para conseguir extrair uma imagem verdadeira. Que é o que acredito e tento expressar no meu trabalho.

Ana Momm por Projeto Curadoria
Ana Momm por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Procuro fazer as coisas das quais realmente estou afim de fazer e não seguir uma rotina. Quando sinto que meus dias estão muito repetitivos, já busco me movimentar em outras direções e deixar coisas novas fluírem. Existem duas atividades das quais mais gosto de fazer e que me ajudam muito na criatividade que é o Yoga e a bike. São duas práticas que se complementam perfeitamente e trazem o equilíbrio do qual preciso. Ambos me trazem o foco e movimentam minhas energias.

// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Ahhh essa pergunta é muito difícil pois cada projeto é único e me desperta um amor único. Todas as imagens que produzi me trouxeram uma mensagem, algo a ser refletido. Posso ficar aqui horas falando sobre as portinhas que se abriram em cada uma delas. E é por isso que amo e agradeço todos os trabalhos e projetos!

// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Quando me mudei para a Europa acredito que foi um dos momentos decisivos, pois foi lá que me reconheci como fotógrafa. Onde comecei a produzir imagens numa constância maior e a trilhar meu caminho na fotografia. Até então trabalhava em um estúdio/birô de imagens e estava no processo de familiarização com todo esse universo.

Me intitular fotógrafa foi um processo muito importante e de amadurecimento, tanto profissional como pessoal. Foi quando comecei a realmente me conhecer.

Ana Momm por Projeto Curadoria
Ana Momm por Projeto Curadoria
// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Minhas inspirações e influências vem de todos os cantos. De lugares, pessoas, músicas, experiências, mato, cidade, silêncio, caos, etc. É um mix de tudo que vivo e absorvo no meu dia a dia. Procuro me manter sempre atenta a cada pequeno detalhe, e isso vai sensibilizando cada vez mais meu olhar diante de tudo. Acredito que minha paixão pela sutileza e profundidade dos momentos transparece bastante nos meus trabalhos, principalmente nos retratos. Um dos artistas que mais me inspiram no momento e me faz ter certeza de que estou percorrendo o caminho certo é o fotógrafo Peter Lindbergh, pois vejo que ele capta de uma forma muito verdadeira estes dois assuntos que admiro tanto, a delicadeza e a profundidade. As fotografias dele me fascinam e me fazem buscar cada vez mais a verdade que existe em mim, em nós e expor nos meus trabalhos.

Ana Momm por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

Como trabalho muito com a nudez feminina sinto uma repressão desta ferramenta de expressão constantemente. Acho a nudez algo tão puro e lindo mas existe ainda um tabu enorme em torno disso, principalmente com o corpo feminino. Sinto este preconceito dos dois lados, tanto dos homens quanto das próprias mulheres. Acho até engraçado esse controle que algumas pessoas querem ter do corpo alheio. Julgam e atiram pedras ao invés de olharem pra si mesmas e tentar descobrir o que existe nelas que a nudez alheia incomoda tanto. Mas estamos no processo de quebrar tudo isso, sinto que estamos caminhando cada vez mais para a reflexão e desconstruindo muitas coisas. A falta de compreensão de si mesmo e com o próximo aos poucos está indo por água abaixo. Já não temos mais tempo para tanta intolerância, isso está ficando ultrapassado. É hora de se unir e tocar esse barco em direção ao amor e ao respeito (talvez um pouco utópica, não sei, mas quero acreditar que logo mais não terá mais espaço para isso).

Tá rolando um movimento de união lindo demais e isso enche meu peito de felicidade, nos faz ser cada vez mais fortes e buscar nossa liberdade como mulher, como indivíduo, como ser humano. Desejo do fundo do coração que chegue o momento em que possamos utilizar e fazer com o nosso corpo o que bem entendermos sem sermos julgadas. E meu desejo não é somente para nós mulheres, é para todos os seres, todos os corpos.

Ana Momm por Projeto Curadoria
// E o que te faz feliz?

Ter boas relações, boas trocas, compartilhar coisas que elevem. Que possamos despertar cada vez mais para a unidade!

// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Que busquem em si a liberdade da qual precisam, que desfaçam os nós, quebrem os muros e escancarem as portas. Que ouçam a sua intuição sempre. Aquela vozinha que muitas vezes vem bem baixinha e não damos a atenção devida. Escute-a! E reproduza em um megafone. E claro, una-se a outras mulheres sempre, isso nos traz uma força inimaginável. Pra mim isso tudo desperta meu potencial criativo, me faz ser fluxo e acreditar em mim mesma e em todas nós, todos nós!

Ana Momm por Projeto Curadoria
Ana Momm por Projeto Curadoria
// Você tem algum novo projeto em andamento?

No momento sem nenhum projeto específico. Sigo retratando!

COMPARTILHE
b
//+entrevistas