m
Aline
Albino
Brasil
vivendo em Los Angeles . EUA
29 anos . letrista

Sou a Aline Albino, sou formada em Design de Moda, Pós em Educação e Especialização em Design Gráfico. Depois de anos com uma marca de moda no Brasil, mudei de país e de profissão e virei artista de hand lettering.

Aline Albino por Projeto Curadoria
// Quais ferramentas você utiliza para se expressar?

Lápis, papel e caneta.

// Qual sua maior motivação para criar? O que te inspira?

Eu preciso criar, não consigo ficar parada, a criação em si me motiva. Minha inspiração pode vir de qualquer lugar, de uma fotografia bonita que eu vejo, uma frase, uma embalagem, enfim qualquer lugar mesmo.

// Como é o seu processo criativo?

Para criar um hand lettering, geralmente eu começo com a frase, à partir daí eu busco referências visuais que conversam com aquela frase e parto para o rascunho. Assim que cheguei no resultado esperado eu finalizo o desenho com a técnica escolhida.

Aline Albino por Projeto Curadoria
Aline Albino por Projeto Curadoria
// O que você faz no seu dia a dia para se manter criativa?

Como o que eu faço depende muito da minha criatividade, da minha imaginação, eu preciso estar com a cabeça fresca, então eu procuro adicionar coisas que me dão prazer e me acalmam durante o meu dia.

Não trabalho o dia inteiro sem interrupções, eu trabalho um pouco e para para tomar um café, levantar da cadeira, dar uma volta no quarteirão com a minha cachorrinha, ler um livro, ou coisas do tipo para voltar a trabalhar depois com as energias recarregadas.

Aline Albino por Projeto Curadoria
Aline Albino por Projeto Curadoria
// Quais os seus trabalhos ou projetos preferidos? Qual o motivo?

Trabalhos em si é difícil falar porque eles são tão individuais, cada arte tem uma linguagem, uma inspiração. Agora como projetos fica mais fácil. Tenho muito orgulho do desafio que fiz durante o ano de 2015, foi o #365DiasDeHandLettering, eu comecei no dia 01 de janeiro e terminei em 31 de dezembro, fiz arte praticamente todos os dias, ficou faltando uns 4, e foi quando tudo começou e onde eu consegui uma exposição grande do meu trabalho na internet. Dá para ver todas as artes aqui.

E meu projeto mais recente que estou amando fazer é o meu canal no Youtube, onde eu ensino muita coisa sobre hand lettering, DIY, curiosidades e coisas da minha vida aqui em Los Angeles.

Aline Albino por Projeto Curadoria
Aline Albino por Projeto Curadoria
// Você teve algum marco importante na sua carreira ou um momento decisivo? Como isso influenciou sua trajetória?

Sim! Minha mudança de país foi um momento muito decisivo. Meu marido recebeu uma proposta de trabalho aqui em LA, conversamos muito e tomamos a decisão conjunta de que mudaríamos. Para mim isso implicou em ter que fechar minha empresa de moda no Brasil e recomeçar algo diferente aqui, mas eu aceitei o desafio e não mudaria nada! Foi a melhor decisão que já fizemos. Com o hand lettering eu consegui voltar para a parte mais prazeirosa para mim até no mundo da moda, a criação. Eu amo lápis, papel e caneta desde criança e agora eu finalmente foquei em trabalhar com isso.

// Quais são suas influências, inspirações ou artistas preferidos? Como isso se reflete no seu trabalho?

Eu sou uma pessoa extremamente visual, então minhas influencias, inspirações e afins vem de coisas que eu vi por ai. Eu tenho uma conta no Pinterest onde reúno esse turbilhão de imagens que me inspiram, tem mais de 10 mil imagens coletadas lá e só cresce todo dia. Quanto à outros artistas, eu não foco em seguir um artista em específico, até para não ter problema de me inspirar demais em um e acabar com um estilo parecido. Eu vejo arte de muitos artistas pela internet ou livros, vou vendo coisas bacanas que combino com outras e quando sai no papel, já vem com todo o meu traço e personalidade. Mas obviamente posso citar alguns artistas que vale a pena seguir e que tem um trabalho inspirador, no Brasil tem a Marina Viabone e a Talita Marques, duas artistas que eu conheço e são incríveis como pessoa e artista e internacionais, posso citar a Jessica Hische, Mary Kate McDevitt.

Aline Albino por Projeto Curadoria
Aline Albino por Projeto Curadoria
// Ainda existe algum preconceito em relação a mulher se expressar livremente? Você sente isso no seu trabalho?

No meu trabalho em específico, não me lembro de ter enfrentado nenhum preconceito. Eu me expresso livremente e nunca fui reprimida por isso. Mas eu sei que isso não é uma realidade em outras áreas, um quadro que precisa ser revertido urgentemente.

// E o que te faz feliz?

O que me faz feliz é poder fazer o que eu amo, trabalhar com isso, ter prazer com o meu trabalho e poder fazer isso de uma forma orgânica onde consigo conciliar com a minha vida, minha família, meus momentos de lazer, de descanso. Além de perceber como meu trabalho impacta positivamente as pessoas. Tudo isso me faz muito feliz.

Aline Albino por Projeto Curadoria
Aline Albino por Projeto Curadoria
// Quais dicas você daria para outras mulheres potencializarem suas criações?

Fazer o que se ama, ou amar o que se faz. Esse é o segredo, porque mesmo fazendo o que a gente ama vai ter horas de dúvida, de desânimo e afins, porque somos seres humanos e somos oscilantes, e quando a gente ama o que faz, fica mais fácil passar por esses momentos. Outra coisa é não esquecer de ter uma vida além do trabalho, para manter a criatividade a mente precisa respirar.

// Você tem algum novo projeto em andamento?

Tenho muitos planos para um futuro próximo! Um deles é um curso online de hand lettering, onde vou conseguir dar o curso à distância aqui de LA para o Brasil. Estou trabalhando no projeto de um livro sobre o assunto. E pretendo expandir mais um pouco o canal e trazer o universo da costura para lá, outra coisa que amo fazer e tenho muito a ensinar sobre.

Aline Albino por Projeto Curadoria
COMPARTILHE
b
//+entrevistas